Notícias
efeito estufa

Xangai é 2ª cidade chinesa com mercado de emissões

Redação - Agência Brasil - 28/11/2013

[img1]

[box-leia]Xangai lançou nesta terça-feira, 26/11, seu primeiro mercado de cotas de CO2, tornando-se a segunda cidade da China a estabelecer um sistema de comércio do tipo no país, maior emissor mundial de gases do efeito estufa.

Por enquanto, só 191 empresas participam destas transações em Xangai, capital econômica da China, onde vivem 23 milhões de pessoas, destacou a agência de notícias Xinhua.

Está previsto que ao longo da semana Pequim se some à lista de metrópoles chinesas que usam este sistema.

A cidade de Shenzhen (sul), que tem status de Zona Econômica Especial e é símbolo das reformas e do sucesso econômico da China, se tornou em junho a primeira metrópole chinesa a lançar uma plataforma de comércio de direitos de emissão de carbono.

A China prevê desenvolver progressivamente um mercado nacional no setor com vistas a reduzir suas emissões e economizar em energia.

Pequim tem metas ambiciosas de redução de emissões de gases-estufa, mas trava um duro combate contra a contaminação, de pelo menos 18 anos, segundo especialistas.

O meio ambiente da China, a segunda economia e o primeiro mercado automobilístico do mundo, é ameaçado pelas muitas indústrias poluentes do país, um parque automobilístico em constante expansão e tolerância na proteção de seus ecossistemas.

Além disso, o país obtém mais de 70% de sua energia a partir da combustão de carvão e continua construindo várias usinas térmicas.