Notícias
Dia da Pessoa com Deficiência

Unesp desenvolve plataforma virtual de aprendizagem acessível

Soraia Marino - Unesp Agência - 11/10/2013

[img1]

[box-leia]Como forma de garantir o acesso e a plena participação de pessoas com deficiências motoras, visuais e auditivas aos cursos não presenciais da Unesp, o Núcleo de Educação a Distância tem trabalhado no aprimoramento da plataforma virtual de aprendizagem Moodle com recursos de acessibilidade. A iniciativa é pioneira entre as Universidades públicas de São Paulo.

A intenção é oferecer a novidade, primeiramente, aos alunos dos sete novos cursos do programa Redefor, que englobam a Educação Especial e Inclusiva e tem previsão de início em janeiro de 2014. Os conteúdos das disciplinas também serão desenvolvidos com esse propósito.

Para que o trabalho pudesse ser iniciado, o analista de sistemas do NEaD, Renê Gomes Beato, participou de um curso na Unesp de Marília para aprender sobre as diretrizes da acessibilidade e o que precisava ser feito para promover essas mudanças no ambiente virtual de aprendizagem (AVA). Segundo ele, foram implementadas a navegação via teclado, que beneficia pessoas com deficiência visual e motora; o tema "Alto Contraste" com conteúdos em fundo preto e letras em amarelo, verde e branco, para quem possui baixa visão; navegação via botão "TAB" por meio do leitor de tela NVDA (com instalação gratuita) e também o ícone "Pular para Conteúdo", no qual o cursista pode ir direto para as leituras e exercícios sem precisar encontrá-los via "TAB".

"Programamos também a opção de inserir explicações em todas as imagens do AVA. Assim, no momento que o aluno chegar naquela imagem via tabulação, vai ouvir uma descrição sobre ela", comentou.

O analista de sistemas explicou, ainda, que foi inserida uma barra de acessibilidade no Moodle que apresenta o mapa da plataforma e do site de entrada para os cursos. Ela direciona os cursistas para uma página informativa sobre os recursos disponíveis, que traz as funcionalidades, quando e onde podem ser utilizados, e desta forma funcionará como um guia para as pessoas com alguma necessidade especial.

"Na minha pesquisa para o trabalho de desenvolvimento do ambiente virtual de aprendizagem, encontrei dados recentes que apontam que 20% da população tem algum tipo de necessidade especial. Dessa forma, com a implementação da plataforma acessível, possibilitamos que qualquer pessoa possa participar de nossos cursos."

Para que as melhorias de sistema realmente atendam ao seu público, o núcleo de EaD contou com a colaboração de Uilian Donizeti Vigentim, pesquisador na área de Acessibilidade da Unesp de Araraquara. Para ele, não tem sentido disponibilizar um conteúdo acessível e de qualidade se o usuário não consegue chegar até ele. "E a equipe do NEaD está justamente fazendo este trabalho, melhorando o meio de campo, estudando os recursos e construindo sites e plataformas pensadas para pessoas cegas como eu, ou com outros tipos de deficiência, para que possamos chegar com mais autonomia e independência ao conteúdo final", explicou.

O coordenador do NEaD, Klaus Schlünzen Junior, relata que a iniciativa demandou o envolvimento de uma equipe multidisciplinar, e que é um grande passo para a Universidade no sentido de cumprir seu papel social. "Esta iniciativa reforça o compromisso da Unesp em prol de uma sociedade mais inclusiva e justa."