Notícias
mãos à horta

Troque, receba e doe alimentos fresquinhos e saudáveis (DESATIVADO)

Estúdio ABC - -

Imagine plantar alimentos em casa, na varanda ou no quintal, trocá-los com vizinhos e doá-los a quem deseja. Ou até mesmo receber gratuitamente a produção de outras pessoas. A agricultura urbana já é uma realidade no país e tem potencial para desempenhar um importante papel: além de tornar a alimentação dos brasileiros mais saudável, pode ajudar a reduzir o desperdício de comida. É isso o que incentiva a recém-lançada plataforma FARMSQUARE, com um "plus": tudo isso por meio da colaboração.

Com um empurrãozinho da tecnologia, a ferramenta conecta produtores e consumidores urbanos com interesses e necessidades comuns, facilitando o compartilhamento e troca de alimentos entre eles. Essa lógica é conhecida como economia colaborativa, um movimento que ganha força no mundo todo e já é considerado a principal tendência econômica do século 21 - capaz de reduzir o desperdício, aumentar a eficiência no uso de recursos naturais, promover o consumo consciente, além de ajudar a reduzir a desigualdade no mundo.

Vale dizer que a iniciativa surge em um momento especialmente favorável aos produtos orgânicos no país. Neste ano, a previsão da média de crescimento deste mercado é de 35%. Além disso, até 2009, mais de 120 mil famílias em 309 cidades brasileiras já praticavam agricultura orgânica em centros urbanos, segundo o Ministério de Desenvolvimento Social e Combate à Fome.

Apesar de tudo isso, ainda não existia no Brasil uma maneira de garantir a livre troca e doação de frutas, legumes e verduras diretamente entre pessoas. A partir dessa ideia, o ator e apresentador Rodrigo Hilbert e um coletivo de parceiros, criaram o FARMSQUARE, iniciativa pioneira de conexão, sem qualquer instituição intermediando o processo. E mais: a plataforma tem grande potencial para ser uma maneira de trocar bens que pode mudar a relação dos brasileiros com alimentos naturais.

A inspiração para criar o projeto partiu de uma frustração do ator, que é dono de uma horta de orgânicos. Ele tentou algumas vezes doar o excesso da produção para escolas, mas sempre esbarrava na burocracia. "Meu questionamento era: como conectar quem produz com quem quer receber alimentos frescos?", conta. Foi então que Del Valle o colocou em contato com uma rede de pessoas com o mesmo desejo. Com o sucesso dessa pequena rede, o sonho cresceu e a plataforma tomou forma.

Como participar

Ficou interessado e quer entrar no FARMSQUARE? Para trocar ou doar, basta produzir qualquer tipo de alimento, seja na janela de casa, na horta ou no sítio, ou até mesmo possuir os mesmos na geladeira de casa ou do restaurante. Vale tudo, até o manjericão cultivado na sacada do apartamento, mudas ou sementes. Para receber, é só buscar as ofertas dos produtores e entrar em contato com eles - isso mesmo, você não tem necessariamente que produzir para participar. Zero burocracia. Outra característica interessante da plataforma é que, apesar de ter sido pensada e criada para cidades brasileiras, pode ser utilizada em qualquer lugar do mundo.

Uma vez logado na plataforma, fornecedores e interessados em alimentos saudáveis podem estabelecer conexões, combinar entregas e autogerir a comunidade. Os usuários recebem as oportunidades mais próximas e podem cadastrar alimentos que têm disponíveis.

Os pedidos chegam por meio de mensagens diretas e o dono do alimento pode continuar a conversa, por meio de um chat, ou rejeitá-la. Depois que a conexão foi feita, os usuários podem avaliar uns aos outros, garantindo mais segurança ao FARMSQUARE e estimulando ainda mais conexões. Vale lembrar que a plataforma é responsiva, fácil de usar e pode ser acessada pelo computador, celular ou tablet.

É a chance de tornar tudo muito mais saboroso. Bon appétit!
Os parceiros de FARMSQUARE são: Del Valle, FLAGCX, CI&T, Niiez e Gastromotiva

comments powered by Disqus