Notícias
água

Represa poluída de São Paulo receberá investimento

Daniel Mello - Edição: Rivadavia Severo - Agência Brasil - 08/06/2011

A represa que abastece 3,5 milhões de pessoas da região sudoeste da capital e de Taboão da Serra terá um projeto de despoluição. O anúncio foi feito ontem (7) pelo governo de São Paulo e pela prefeitura da capital. O Programa Nossa Guarapiranga prevê investimentos de R$ 14,6 milhões. As principais ações serão a retirada do lixo que chega pelos córregos e plantio de mudas nas margens.

Para isso, serão instaladas barreiras nos 11 córregos que deságuam na represa. O equipamento é composto por boias e uma tela submersa, para conter os resíduos, que serão removidos diariamente. O lixo recolhido será levado para um aterro sanitário.

Está prevista também a remoção de plantas aquáticas que crescem na superfície da água. Na Represa de Guarapiranga existem 82 tipos diferentes de planta aquáticas catalogadas. Um barco será desenvolvido e construído pela Universidade Estadual Paulista (Unesp) para retirar estes vegetais da represa.

Para o professor do departamento de ecologia da Universidade de São Paulo (USP), Marcelo Pompêo, as medidas são interessantes, mas não atacam os pontos principais do problema. "Fazer contenção para retirar resíduos sólidos que chegam na represa, é um paliativo para resolver o problema", disse em entrevista à Agência Brasil.

Segundo Pompeô, o Estado deveria dar mais atenção a políticas públicas, como uma coleta de lixo mais eficiente e controlar as ocupações no entorno da represa. "Se você tem uma política clara de monitoramento, de urbanismo, uso e ocupação do solo, você consegue gerenciar resíduos, desde os sólidos a líquidos", ressaltou.

O professor lembrou ainda que mais grave do que o lixo sólido,é o problema do esgoto que contamina as águas da represa. Essa matéria orgânica que possibilita o crescimento de plantas aquáticas. "O controle das macrófitas aquáticas também passa pela coleta e tratamento dos esgotos".

O presidente do Movimento Garça Vermelha, formado por moradores do entorno da Guarapiranga, Eduardo Melander Filho, também acredita que as medidas não pequenas em relação aos desafios. "Ainda é uma iniciativa muito tímida. Eles inventam medidas paliativas como se o problema fosse a educação da população, que joga o lixo dentro dos córregos".

O governador de São Paulo, Geraldo Alckmin, disse hoje durante o lançamento do programa, que a Saneamento Básico do Estado de São Paulo (Sabesp) "está fazendo um grande trabalho de coletar e tratar o esgoto para despoluir a Represa de Guarapiranga".

comments powered by Disqus