Notícias
saúde

Remédio traz esperança para vítimas do câncer de mama

Saulo Pereira Guimarães - EXAME.com - 10/04/2014

[img1]

[box-leia]Um novo remédio pode ajudar no tratamento de mulheres na pós-menopausa que tenham câncer de mama. Desenvolvido pela Pfizer, o Palbociclib tem apresentado bons resultados em testes e pode ser liberado em breve nos EUA. 

O medicamento aumentou de 10,2 meses para 20,2 meses o tempo durante o qual as pacientes viveram sem que o câncer progredisse em comparação com o tratamento atual, à base do medicamento Letrozol. 

Usado há muito tempo no combate ao câncer, o Letrozol foi ministrado junto do Palbociclib nos testes da Pfizer. Hoje, o laboratório testa o novo tratamento com cerca de 500 pessoas ao redor do mundo. 

"A comunidade médica e a Pfizer estão bastante entusiasmadas com os resultados da pesquisa", afirmou Eurico Correia, diretor médico da Pfizer Brasil. 

COMO FUNCIONA
Ingerido por via oral, o Palbociclib atua sobre os mecanismos de reprodução das células. O remédio evita a replicação descontrolada delas que costuma acontecer em pessoas com câncer. 

O principal efeito colateral causado pelo Palbociclib é a queda no nível de glóbulos brancos do paciente. Além disso, os cientistas também constataram fadiga e anemia nas pessoas que tomaram o remédio. 

Porém, Correia destaca que problemas comuns em tratamentos de quimioterapia (como queda de cabelo e diarreia) não foram constatados entre quem tomou o novo remédio. 

SÓ EM 2016
O Palbociclib ainda não tem expectativa de chegar às farmácias brasileiras. Hoje, a previsão da Pfizer é que o remédio ainda siga em fase de testes por, pelo menos, dois anos nos Estados Unidos até que seja aprovado por lá. 

Principal causa de morte por câncer entre as mulheres, o câncer de mama mata hoje mais de 10 mil pessoas por ano no Brasil - segundo dados do Inca. Cerca de 60% dos casos da doença estão concentrados entre mulheres que já passaram da menopausa.

Tags: