Notícias
preservação x extinção

Ratos tóxicos combaterão serpentes na Ilha de Guam

Paula Bezerra - Planeta Sustentável - 08/04/2013

[img1][box-leia]A Força Aérea dos Estados Unidos está preparando uma ação bastante inusitada na ilha de Guam, localizada na Micronésia, extremidade sul das Ilhas Marianas, no Oceano Pacífico: cerca de dois mil ratos mortos, preparados com substância fatal, serão lançados sobre as florestas da região. Isso deve acontecer entre os meses de abril e maio.

Especialistas americanos afirmaram que a serpente arbórea marrom (Boiga irregularis) - originária do litoral australiano e da ilha de Papua - provocou a extinção de nove das 12 espécies de aves nativas da região, após sua chegada em meados da Segunda Guerra Mundial em navios da marinha americana.

Além disso, o réptil - que chega a ter três metros de comprimento - também é responsável por causar sérios problemas no sistema de abastecimento de energia elétrica, ao invadir suas instalações.
Estima-se que dois milhões de serpentes habitem as florestas de Guam, já que a ausência de predadores naturais e a grande abundância de alimentos contribuem para sua expansão na ilha, como observam os especialistas.

A ação proposta para frear o crescimento da população de réptil consiste em lançar os roedores preparados com paracetamol (substância nociva às serpentes), um a um, em um miniparaquedas, para que outros animais que vivem na região não sejam prejudicados. No entanto, nada garante que estes não sejam afetados também.

A operação passou pela aprovação da Agência de Proteção Ambiental americana e custará US$ um milhão ao Departamento de Defesa dos Estados Unidos.

comments powered by Disqus

Leia também