Notícias
preservação natural

Projeto Oásis quer premiar ruralistas responsáveis

Débora Spitzcovsky - Planeta Sustentável - 24/06/2011

A Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza está desenvolvendo um novo modelo de cálculo de PSA - Pagamento por Serviços Ambientais, que visa premiar os donos de terra, de todo o Brasil, que conservam as áreas naturais de suas propriedades.

A metodologia faz parte do Projeto Oásis Brasil, da Fundação, que visa à conservação das áreas naturais e, consequentemente, da biodiversidade brasileira, além da preservação dos serviços ambientais prestados por essas áreas, como, por exemplo, o fornecimento de água limpa.

Prefeituras, consórcios, empresas, ONGs e comitês de bacias hidrográficas, entre outras entidades, poderão implantar o projeto nas regiões onde atuam, com o auxílio e acompanhamento da Fundação - que, inclusive, planeja criar um manual que detalha o passo a passo da implantação da iniciativa. As fontes financiadoras para a viabilização do projeto e para o PSA aos donos de terra, no entanto, ficará por conta de cada entidade comprometida com a ação.

A expectativa da Fundação é de que, até o ano de 2013, o projeto esteja implantado em, pelo menos, um município de cada região geográfica brasileira. Para isso, a organização investirá, neste ano, mais de R$ 450 mil no projeto, que é patrocinado pelo Instituto HSBC Solidariedade, para que seu desenvolvimento seja concluído ainda em novembro.

O Projeto Oásis Brasil é baseado nos projetos Oásis São Paulo e Oásis Apucarana, também da Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza, implantados, com sucesso, nos anos de 2006 e 2009, respectivamente, para premiar os donos de terra das duas regiões, comprometidos com a conservação das áreas naturais de suas propriedades.

*Fundação Grupo Boticário de Proteção à Natureza 

comments powered by Disqus