Notícias
faminto por carvão

Por que a Polônia é o enfant terrible do clima na Europa

Vanessa Barbosa - Exame.com - 22/11/2013

[img1]

[box-leia]Devastada na Segunda Guerra Mundial, a Polônia guarda uma certa nostalgia, que passa a sensação de que é possível viver um capítulo perdido da história. Mas quando o assunto são as mudanças climáticas, essa áurea antiga reflete sinais claros de retrocesso.

Sede da reunião da ONU sobre Clima, a Polônia é o país europeu mais faminto por carvão, a fonte de energia mais poluente e maior emissora de gases efeito estufa, vilões do aquecimento global.

O carvão responde por nada menos do que 90% da geração de energia no país. Por lá, são consumidos cerca de 140 milhões de toneladas do mineral por ano, segundo dados do World Resources Institute.

Pensa que o país se acanha? Em plena COP 19, que busca soluções para sanar a crise climática, a Polônia tenta limpar a barra da fonte poluente. Em paralelo à reunião da ONU, que acontece em Varsóvia, realiza uma conferência sobre a fonte suja, o International Coal and Climate Summit, que tem entre seus objetivos estimular uma “indústria do carvão mais limpa”.

Essa postura incongruente associada a um avanço moroso nas discussões sobre o clima levou vários grupos ambientalistas a adotarem uma postura inédita – abandonar a conferência antes do seu fim, previsto para esta sexta-feira.

Em entrevista à agência Efe, o líder do Greenpeace internacional, Kumi Naidoo, lamentou que o governo polonês tenha demonstrado que seu verdadeiro interesse corresponde à chamada indústria do carvão, já que, segundo Naidoo, a reunião está sendo usada para "limpar sua imagem".

TROCA DE MINISTROS PARA ESTIMULAR O GÁS DE XISTO, OUTRA FONTE FÓSSIL
Outra investida do governo polonês que irou ainda mais os ativistas foi a demissão do ministro do Meio Ambiente do país, Donald Tusk, em meio as negociações climáticas. Além do seu papel estatal, Tusk preside as mesas de discussão da COP 19. Essa mudança, segundo as Ongs, demonstrou a falta de compromisso do país com a reunião da ONU.

Tusk, que continua no comando da reunião, foi substituído por Marcin Korolec nos afazeres ministerias, como parte de uma remodelação governamental. A dança das cadeiras, segundo o país, visa estimular aindústria de gás de xisto, que apesar de ter emissões de gases efeito estufa inferiores as do carvão, constitui ainda assim outra fonte de combustível fóssil, além de guardar outros riscos ambientais potenciais. Achou contraditório? Essa é a Polônia, o enfant terrible do clima na Europa.