Notícias
chuvas

Nove cidades decretam estado de emergência no Mato Grosso do Sul

Gilberto Costa - Agência Brasil - 10/03/2011

Os municípios de Ribas do Rio Pardo, Rio Verde de Mato Grosso, Bandeirantes, Paranaíba, Dourados, Rio Brilhante, Sidrolândia, Maracaju e São Gabriel do Oeste vão decretar estado de emergência por causa das chuvas fortes que atingem o estado de Mato Grosso do Sul. O volume de água, o maior desde 1990 segundo a Defesa Civil, provocou enchentes de rios, destruiu pontes e afetou a lavoura das áreas rurais dos municípios

Segundo o coordenador estadual da Defesa Civil, coronel Ociel Ortiz Elias, o número de pessoas desabrigadas (perderam a casa), desalojadas (casa abandonada por causa da chuva) ou isoladas (por causa das cheias dos rios) já passa de 67 mil.

Além dos nove municípios, já estavam em situação de emergência as cidades de Aquidauana (com 10,7 mil pessoas afetadas), Anastácio (4,1 mil pessoas), Dois Irmãos do Buriti (1,8 mil pessoas), Coxim (7 mil pessoas) e Miranda (75 pessoas). Essas cidades foram afetadas pelas enchentes dos rios Aquidauana, Taquari e Miranda que, em média, subiram 7,4 metros alagando parte das cidades.

Alguns desses municípios tiveram situação de emergência decretada no ano passado, também por causa de chuva, como foi o caso de Aquidauana e Miranda (entre janeiro e março) e Dois Irmãos do Buriti (fevereiro a abril). Em outubro de 2010, as cidades de Anaurilândia, Bataguassu, Batayporã, Naviraí, Nova Andradina, Santa Rita do Pardo, Selvíria e Três Lagoas também decretaram emergência por causa de chuvas com granizo e vendavais.

De acordo com informações do portal do governo de Mato Grosso do Sul, o governo federal se comprometeu a repassar às cidades afetadas pelas chuvas da primavera de 2010 R$ 9,6 milhões, mas apenas 30% foram liberados pelo Ministério da Integração Nacional. O último empenho foi feito no dia 29 de dezembro de 2010. No dia 3 de fevereiro, o governador do estado, André Puccinelli (PMDB), esteve com o secretário nacional de Defesa Civil, Humberto Viana Filho, pedindo a liberação dos recursos.

Ainda não foi contabilizado o valor total dos prejuízos causados pela destruição de casas, estradas e pontes e pelo alagamento de diversas lavouras do estado devido às chuvas dos últimos dias.

De acordo com o coordenador da Defesa Civil em Mato Grosso do Sul, coronel Ociel Ortiz Elias, a chuva deu trégua hoje, mas o Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Cptec/Inpe) prevê para amanhã muitas nuvens e pancadas de chuva na região mais afetada pelas enchentes (norte do estado).

Segundo o Cptec, deve chover forte hoje em grande parte do Brasil, como em áreas dos estados do Acre, do Amazonas, de Rondônia, do Pará, do Tocantins, de Mato Grosso, de Goiás, do Distrito Federal, de Minas Gerais, do Espírito Santo, do Rio de Janeiro, de São Paulo e do Rio Grande do Sul.

comments powered by Disqus