Notícias
vencedores

56º Prêmio Fundação Bunge

Redação - Agência Fapesp - 03/08/2011

José Roberto Postali Parra, Luiz Drude de Lacerda, Helena Lage Ferreira e César de Castro Martins são os vencedores do 56º Prêmio Fundação Bunge, anunciados na sexta-feira (29/07).

Na área de Defesa Sanitária Animal e Vegetal, Parra foi o ganhador na categoria “Vida e Obra”, e Ferreira, na “Juventude”. Em Oceanografia, Lacerda foi agraciado na categoria “Vida e Obra” e Martins em “Juventude”.

A cerimônia de premiação ocorrerá em 13 de setembro, no Palácio dos Bandeirantes, em São Paulo. Os agraciados receberão, cada um, R$ 100 mil na categoria “Vida e Obra” e R$ 40 mil na “Juventude”.
No dia anterior (12/9), será realizado o Seminário Internacional FAPESP-Fundação Bunge, no qual serão abordados os temas da premiação, apresentados por especialistas.

Criado há 56 anos, o Prêmio Fundação Bunge tem como objetivo incentivar a inovação nas diversas áreas do conhecimento, que são alternadas a cada edição.


A categoria “Vida e Obra” reconhece o trabalho de um pesquisador cujos projetos desenvolvidos representem um patrimônio importante para o país. “Juventude” destaca um profissional de até 35 anos, com trabalho inovador em sua área.


Natural de Campinas, Parra é formado em engenharia agronômica pela Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz da Universidade de São Paulo (Esalq-USP). Possui mestrado e doutorado em entomologia pela USP e pós-doutorado pela Universidade de Illinois, nos Estados Unidos.

Iniciou sua atividade profissional no Instituto Agronômico de Campinas (IAC), permanecendo na instituição até 1974. Desde então, atua como professor titular na Esalq, onde já exerceu o cargo de diretor (2003 a 2007) e coordenador do programa de Pós-Graduação em Entomologia. Integra o Quadro de Coordenadores Adjuntos da FAPESP, em Ciências da Vida.

Suas principais atividades de pesquisa estão relacionadas às técnicas de criação e nutrição de insetos para controle biológico e alternativas de controle de insetos. Atualmente, dedica-se ao estudo da utilização de feromônios e o controle biológico do bicho-furão que ataca os citros, coordenando o Projeto Temático "Bases tecnológicas para identificação, síntese e uso de semioquímicos na agricultura".
Parra, que também é membro titular da Academia Brasileira de Ciências e da Academia de Ciências para o Mundo em Desenvolvimento (TWAS), tem mais de 280 trabalhos e 17 livros publicados. Em 2002, recebeu a Comenda da Ordem Nacional do Mérito Científico e, em 2010, foi admitido na classe Grã-Cruz desta mesma ordem.

Com a carreira baseada na área de ecologia, com ênfase em biogeoquímica e contaminação ambiental, Lacerda possui graduação em biologia, mestrado e doutorado em ciências biológicas, todos pela Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ).

Entre 1998 e 2006 foi professor visitante da Université de Toulon et du Var (França) e, de 2005 a 2008, coordenou o Instituto do Milênio “Transferência de Materiais na Interface Continente-Oceano”.
Atualmente é professor e coordenador do programa de pós-graduação em Ciências Marinhas Tropicais do Instituto de Ciências do Mar, da Universidade Federal do Ceará (UFC), e membro da Comissão Científica sobre Interação Terra-Oceano no Coastal Zone-International Geosphere Biosphere Program (LOICZ-IGBP) e do Conselho Científico da Sociedade Internacional para Ecossistemas de Manguezais.
O pesquisador coordena também o Instituto Nacional de Ciência e Tecnologia de Transferência de Materiais Continente-Oceano e é membro do Comitê Diretor do Painel Brasileiro de Mudanças Climáticas. Lacerda publicou 80 artigos científicos de reconhecimento internacional e foi citado 1.175 vezes.
A mineira Helena Lage Ferreira é formada em medicina veterinária pela Universidade Estadual Paulista (UNESP), possui doutorado – com apoio da FAPESP – em genética e biologia molecular pela Universidade Estadual de Campinas (Unicamp) e pós-doutorado em influenza aviária pelo Veterinary Agrochemical Research Centre (VAR), na Bélgica.

A pesquisadora atua na área de virologia aviária, participando de diferentes projetos voltados ao diagnóstico e pesquisa de vírus prejudiciais à indústria avícola, desenvolvimento de métodos diagnósticos eficientes e vacinas. É professora da Faculdade de Zootecnia e Engenharia de Alimentos da USP, em Pirassununga.

O outro jovem talento, o paulistano Martins, é formado em química, com mestrado, doutorado e pós-doutorado em oceanografia química e geologia pela USP.
Em 2006, atuou como pesquisador visitante no Environmental Change Research Centre, da University College of London, no Reino Unido. Atualmente, é professor adjunto do Centro de Estudos do Mar da Universidade Federal do Paraná e coordenador de três projetos de pesquisa que visam a entender as mudanças ambientais na costa paranaense, utilizando marcadores orgânicos geoquímicos como indicadores.

A candidatura ao Prêmio Fundação Bunge não é feita por meio de inscrições, mas sim por indicação de dirigentes de universidades e entidades científicas e culturais. Uma comissão técnica, composta por cinco membros – sendo um do exterior – em cada área de premiação, seleciona os pesquisadores na categoria "Vida e Obra", indicando-os para a decisão do grande júri. Já na categoria “Juventude”, a escolha dos vencedores se dá diretamente pela comissão técnica.

A Fundação Bunge, criada em 1955, é uma entidade social da Bunge Brasil que tem como missão contribuir com o desenvolvimento sustentável por meio de ações que valorizem o avanço científico, a educação e a conservação dos recursos naturais.

Presidido por Jacques Marcovitch, professor da Faculdade de Economia e Administração da USP, figuram entre os membros do conselho administrativo da fundação o presidente e o diretor científico da FAPESP, Celso Lafer e Carlos Henrique de Brito Cruz, respectivamente.

Mais informações: Fundação BUNGE

comments powered by Disqus