Notícias
inovação

Fundo europeu de transporte verde financia maior aeronave do mundo, que emite menos carbono

Suzana Camargo - Planeta Sustentável - 09/04/2015

[img1][box-leia]Airlander 10. Este é o nome da maior aeronave do mundo, um misto de dirigível, avião e helicóptero. Ela tem 92 metros de comprimento, praticamente o tamanho de um campo de futebol oficial. Todavia, o mais interessante da tecnologia é ser sustentável.

Ao ser inflada com gás hélio, a aeronave flutua e com isso, produz menos barulho, menos poluição e emite uma quantidade muito menor de gases de efeito estufa, já que consome apenas um terço de combustível do que um avião convencional.

Outra vantagem é que como ela consegue pairar no ar, pode aterrisar em qualquer terreno: gelo, deserto, mar ou terra.

A aeronave, que está sendo construída pela empresa Hybrid Air Vehicles num hangar na Inglaterra, já recebeu diversos investimentos para que em breve, possa decolar. Esta semana conseguiu um financiamento de US$ 2,7 milhões de um fundo da União Europeia que apoia iniciativas de transporte verde.

[img2]
Em fevereiro, o projeto do Airlander 10 já tinha ganhado US$ 440 milhões do governo britânico como prêmio por inovação

A Airlander foi desenvolvida originalmente para ser usada por um programa das Forças Armadas dos Estados Unidos. Na época, a aeronave fez diversos voos testes. Todavia, cortes no orçamento americano fizeram o projeto ser abortado, em 2013. Com isso, a empresa inglesa comprou o protótipo novamente.

Segundo a Hybrid Air Vehicles, este será o transporte do século 21. Entretanto, a aeronave que pode viajar por semanas sem precisar ser reabastecida, atinge no máximo 160 km/h. A intenção é que ela seja usada para transporte de cargas, pois tem capacidade para levar até 50 toneladas numa distância de 2.500 quilômetros.

Outros usos para a Airlander seriam para a distribuição de alimentos para ajuda humanitária, programas de vigilância ou até mesmo, passeios de turismo de luxo, já que consegue acomodar até 50 pessoas.

Os responsáveis pelo projeto precisam ainda permissão para regulamentar o voo da aeronave para uso civil no Reino Unido, em conformidade com a legistação da European Aviation Safety Agency (EASA), já que a Airlander foi desenvolvida para fins militares nos Estados Unidos.

Atualmente a Hybrid Air Vehicles está tentando arrecadar mais US$ 3 milhões para o projeto até meados de maio, através de um site de crowdfunding. No momento, já conseguiu 33% da meta desejada.

comments powered by Disqus
Tags: