Notícias
primata ameaçado

Foto de Rihanna com lóris no Instagram gera polêmica

Vanessa Barbosa - Exame.com - 25/09/2013

[img1]

[box-leia]Durante passeio numa feira livre na Tailândia, a cantora Rihanna se encantou com um pequeno primata de olhos esbugalhados e resolveu publicar um foto com o animal para seus milhares de fãs no Instagram, seguida da mensagem "Look who's talking dirty to me!", algo como "Olha quem está falando besteiras para mim". Sem saber, a cantora provocou uma polêmica. O animal em questão era um lóris-preguiçoso, uma espécie ameaçada de extinção e que é protegida por lei na Tailândia.

No Instagram de Rihanna, a imagem publicada no dia 20 de setembro já tem quase 200 mil "likes". Na prática, a cantora só conseguiu posar com o bichinho porque fora atraída por traficantes de animais, que costumam vender o lóris de forma clandestina em feiras livres do país. Naturalmente, a ação chamou atenção das autoridades públicas locais, que conseguiram rastrear os criminosos e prendê-los.

"É como um jogo de gato e rato", disse o chefe do distrito de Phuket, Weera Kerdsirimongkon, à Associated Press. "Mas desta vez é maior, porque uma celebridade como Rihanna postou a imagem, e havia mais de 200 mil 'likes' de todo o mundo." Rihanna diz que não sabia da condição de vulnerabilidade do animal.

Seu post no Instagram atraiu críticos e defensores. "Eu só não entendo porque as pessoas continuam culpando Rihanna, ela não sabia! Ainda bem que ela postou essa foto e os irresponsáveis estão pagando por isso", diz o usuário tangie16. "Ela não fez nada de errado? Ela está posando com animais em extinção!", responde nadialee80.

"FOFURA" QUE CONDENA
Em agosto, uma pesquisa mostrou como vídeos domésticos feitos com lóris e publicados no You Tube contribuem para o aumento da exposição dessas espécies ao comércio ilegal. Os primatas são transportados por centenas de quilômetros de seus habitats naturais na China, Vietnã, Laos e Camboja, para serem vendidos, por menos de U$ 15, em feiras clandestinas.



De acordo com os pesquisadores, ao se tornaram virais na rede, os vídeos ajudam a introduzir esses primatas a uma grande parte da sociedade que normalmente não entraria em contato com eles. "Com essa capacidade de atingir o público, os recursos da Web 2.0, como o YouTube estão entre os meios mais poderosos para aumentar a conscientização da conservação. [...] Ao mesmo tempo, as imagens apresentadas pelos meios de comunicação podem ter efeitos nocivos se os espectadores não sabem o contexto", dizia a pesquisa.