Notícias
reino animal

Espécie de tubarão vive em grupo, revela pesquisa

Olavo Guerra - National Geographic Brasil Online - 28/02/2012

Os tubarões têm fama de durões, individualistas e solitários caçadores do mar. Porém, um estudo realizado por pesquisadores do Centro Nacional de Pesquisas Científica, da França, afirma que os tubarões -de-pontas-negras-do-recife vivemem grupos e se organizam para caçarem e se protegerem de predadores juntos.

A pesquisa, publicada na edição de fevereiro da Animal Behaviour, foi realizada nos recifes de corais de Moorea, uma ilha vulcânica da Polinésia Francesa. Os cientistas Johann Mourier - autor principal do estudo -, Julie Vercelloni e Serge Planes - coautores -, observaram comunidades de tubarões -de-pontas-negras-do-recife (Carcharhinus melanopterus), que nadavam em grupos, sem distinção de sexo.

Ao todo, quatro grupos foram identificados - sendo que em um deles, havia duas subdivisões -, nos sete pontos onde a pesquisa foi realizada, no norte de Moorea. "Comecei a pesquisa quando estava mergulhando em Moorea para meu projeto de PhD e rapidamente percebi que podia reconhecer alguns tubarões pela cor de suas nadadeiras, encontrando-os mais de uma vez em diferentes mergulhos, sempre juntos de alguns outros animais", disse Johann Mourier.

"Cada grupo de tubarões era composto por machos e fêmeas que, aparentemente, preferiam ficar dentro dessas comunidades com animais do mesmo sexo", falou o autor da pesquisa. "Isso deve ser por conta de estratégias de alimentação", completou o pesquisador.

De acordo com a pesquisa, o principal motivo para que os tubarões convivam é a proteção contra predadores, evitar a agressão entre eles por conta de território e alimento e a caça em grupo.

"Não temos uma resposta clara do por que esses animais vivem juntos, mas, por tudo o que estudamos, eles convivem para aumentar a eficiência na caça, consequentemente, na alimentação, evitar predadores, fazer estratégias de acasalamento. Vivem em uma sociedade, como nós com amigos", afirmou Mourier.

O cientista não sabe ao certo se os tubarões de cada grupo têm ou não algum grau de parentesco entre si. "É difícil acreditar que tubarões formem famílias, pois as fêmeas depositam seus ovos em lugares específicos e não tomam conta deles, como os mamíferos", disse. "Entretanto, estou analisando geneticamente cada grupo. Já coletei material genético de 70% dos indivíduos estudados e logo terei essa resposta".

comments powered by Disqus