Notícias
postos de coleta

Ação incentiva descarte correto de medicamentos em SP

Débora Spitzcovsky - Planeta Sustentável - 05/05/2011

Para evitar que os cerca de 170 milhões de medicamentos que são vendidos, mensalmente, no varejo da capital paulista sejam descartados de forma incorreta - e, consequentemente, poluam o meio ambiente -, a cidade de São Paulo está promovendo o programa Descarte Consciente

Aprovada pela Secretaria de Saúde do município, a ação espalhou estações coletoras de medicamentos, apelidadas de Ecomeds, em 13 farmácias da capital, que estão descritas no site da iniciativa*. Cada uma delas possui três compartimentos de depósito:
- para pomadas e comprimidos;
- para líquidos e sprays e
- para caixas e bulas, que devem ser rasgadas antes de serem descartadas. 

Os consumidores podem fazer o depósito dos medicamentos gratuitamente, mas primeiro precisam registrar os remédios na própria estação coletora. A ideia é evitar que medicamentos controlados sejam revendidos, após serem depositados no local, e ainda contabilizar o quanto o meio ambiente está deixando de ser poluído, graças à iniciativa. 

Por enquanto, mais de 7 mil medicamentos foram descartados nas estações, evitando a contaminação de mais de 350 milhões de litros de água. Quem quiser, pode conferir diariamente o aumento dos números, na seção "Preservômetro" do site. 

Após descartados nas estações coletoras, os medicamentos são levados para o Limpurb - Departamento de Limpeza Urbana do município de São Paulo, que, por sua vez, os encaminha para usinas de incineração certificadas. 

Além da cidade de São Paulo, o projeto Descarte Consciente - criado pela BHS - Brasil Health Service, em parceria com a rede Droga Raia e com a Medley - possui três pontos de coleta no município paulista de Limeira e há planos de expandir a ação para Belo Horizonte, Porto Alegre e Rio de Janeiro. 

Leia também:
Ação em SP incentiva o descarte correto de remédios 
Descarte certo 
Descarte de remédios: uma questão muito grave  

*Descarte Consciente

comments powered by Disqus