Notícias
animais

Conheça Arturo, o urso polar mais triste do mundo

Vanessa Daraya - INFO Online - 21/07/2014

[img2][box-leia]O urso polar da foto acima é o Arturo, um animal que nasceu nos Estados Unidos, mas que vive confinado em um zoológico em Mendoza, na Argentina, há duas décadas. A tristeza vista nesta e em outras imagens revela a situação em que o animal vive atualmente e que tem comovido diversos ativistas pelo mundo.

Em 2012, ele perdeu sua parceira Pelusa e entrou em depressão. Mas este não é o único problema. Arturo vive em condições insalubres para sua espécie e precisa suportar temperaturas muito quentes. Partes de seu pelo chegam a apresentar queimaduras provocadas pelo Sol.

Diante da situação, protetores de animais do Canadá e do Greenpeace organizaram uma petição para conseguir retirá-lo dessas condições. O objetivo do grupo é mudar Arturo para um santuário no Canadá.

Além de uma página no Facebook, mais de 200 mil pessoas já assinaram o documento online do Greenpeace. Há também outra petição no Change.org com 250 mil assinaturas.

Segundo a petição do Greenpeace, o zoológico negou o pedido de transferência após a análise de um grupo de veterinários local. Os especialistas alegam que a viagem pode colocar a vida do urso em risco.

Mas o Greenpeace diz que os veterinários que avaliaram Arturo não são especialistas em ursos polares. A nota afirma que é essencial que o animal seja avaliado por um especialista da área para que a qualidade de vida de Arturo seja melhor, independente da mudança.

[img1]A ONG afirma que somente um profissional da área pode fazer as recomendações necessárias para que a mudança de país seja feita. Caso não seja possível, o veterinário pode ainda listar as melhorias necessárias para o bem-estar do animal.

A petição do Greenpeace espera chegar ao governador de Mendoza, Francisco Paco Perez para pedir que ele permita que especialistas possam examinar Arturo. Já a do Change.org tem como meta alcançar Cristina Fernandez de Kirchner, presidente da Argentina.

[img3]

comments powered by Disqus
Tags: