Notícias
Yachana Lodge/Divulgação
autossuficiente

Colégio na Amazônia dá exemplo de sustentabilidade

Anderson Estevan - National Geographic Brasil Online - 26/10/2011

Um pequeno colégio na Amazônia Equatoriana está se tornando exemplo de preservação ambiental. Com ações ambientais e de educação da comunidade, o projeto já conquistou diversos prêmios de sustentabilidade por todo o mundo.

O colégio Yachana está a sete horas de ônibus e mais 15 minutos de lancha da capital do Equador, Quito. O projeto recebe aproximadamente 80 novos alunos por ano, que trocam seus lares pela escola - é lá que moram durante 21 dias do mês. Entre as principais ações do projeto estão: a produção orgânica autossuficiente, uma clínica e um hotel na Amazônia Equatoriana.

O colégio é autossuficiente em energia, com um sistema híbrido. É um dos poucos lugares remotos da Amazônia equatoriana com eletricidade e internet permanentes. Painéis solares provêm 2.000 watts e, quando está nublado ou chovendo, uma usina hidrelétrica gera outros 1.000 watts. A usina é parte de um sistema que canaliza água de chuva acumulada. Ao descer ela gera eletricidade e também alimenta piscinas para criação de peixes.

Toda a produção agrícola do projeto serve para alimentação dos alunos e também é direcionado à alimentação de três mil hóspedes anuais que se hospedam no hotel que leva o mesmo nome do colégio: Yachana Lodge.

Os pequenos proprietários de terra da Amazônia equatoriana também se beneficiam com a ação de preservação. Eles recebem U$ 80 por hectare (muito mais do que ganhariam desmatando a área) de floresta para mantê-la em pé, quase três vezes mais do que um programa de governo similar. Para isso, não terão que apresentar títulos legais do terreno, algo que a metade da população não tem.

Este modelo tem sido testado com sete finqueros - como são chamados os proprietários de terra, que somam mais de 100 hectares dentro da área do Yachana. O projeto não seria possível sem este colégio, cofundador da fundação Kaya, que o promoverá nos Estados Unidos e Europa. Kaya identificará doadores estrangeiros que poderão doar de U$ 60 e U$ 140. A cada U$ 500, um hectare de floresta poderá ser mantido em pé por cinco anos - U$ 400 irão aos "finqueros" e U$ 100 dólares para monitoramento e educação. Os estudantes farão monitoramento da floresta por meio de um sistema de informação geográfica desenvolvido pela Universidade de Standford.

A ação vem chamando a atenção de diversas organizações, que lhe conferiram premiações e menções por todo o mundo. O Yachana Lodge, que tem entre seus funcionários diversos alunos do colégio Yachana, levou o prêmio de melhor exemplo de geoturismo da National Geographic, além do Ecoturismo Award, da Associação Internacional de Profissionais de Turismo. Também foi finalista do prêmio Turismo do Futuro.

comments powered by Disqus