Notícias
caso inédito

Cobra gigante se reproduz sem ter relações sexuais com um macho

Ione Aguiar - Brasil Post - 28/10/2014

[img1][box-leia]Pela primeira vez na história da ciência, uma cobra fêmea da espécie Malayopython reticulatus engravidou sem ter relações sexuais com um macho.

Thelma, 11 anos, 90 quilos, seis metros, vivia no Louisville Zoo* com outra fêmea, Louise, e nunca havia tido contato com machos. No verão de 2012, ela pôs 61 ovos. Até aí, normal: não é incomum que cobras botem ovos inférteis.

Impressionados com a aparência dos ovos -- geralmente os inférteis são murchos e sem cor, e aqueles tinham aparência saudável -- a equipe do zoológico recolheu os ovos e os colocou em uma incubadora. Surpreendentemente, em setembro de 2012 os filhotes começaram a nascer.

Quando todos já haviam trocado de pele, os resíduos resultantes foram submetidos a um "teste de dna" na Universidade de Tulsa, em Oklahoma. Os pesquisadores concluíram que todos os seis bebês tinham sido fruto de uma concepção "imaculada", sem contribuições genéticas de um macho.

COMO ASSIM?
A partenogênese, processo de reprodução assexuada, ocorre em muitas plantas, insetos e até mesmo em vertebrados como alguns tipos de lagartos. Mas este é o primeiro registro do caso entre a espécie Malayopython reticulatus, conhecida por ser a cobra mais comprida do mundo.

No caso de Thelma, uma porção de células chamadas polócitos fizeram o papel do esperma, se fundindo com o óvulo e desencadeando o processo de divisão celular. Por isso, seus bebês têm metade de seu material genético idêntico ao da mãe.

Veja, abaixo, um vídeo sobre a história da cobra:

*Louisville Zoo

comments powered by Disqus
Tags: