Notícias
pé no freio

Cartilha ‘Dê Passagem para a Vida’ alerta sobre atropelamentos de animais selvagens nas estradas

Suzana Camargo - Planeta Sustentável - 14/04/2015

[img1][box-leia]Animais de pequeno, médio ou grande porte como sapos, ratos, gambás, lebres, antas, onças e veados enfrentam o mesmo problema nas estradas do Brasil: atropelamentos. Estima-se que 475 milhões deles morram atropelados nas rodovidas do país todos os anos.

O número assustador revela que a cada 15 segundos, uma espécie selvagem da fauna brasileira perde a vida e a biodiversidade nacional fica mais pobre.

Para discutir a questão e levar mais informações para a sociedade sobre o tema, o Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia de Estradas (CBEE)* lançou a cartilha "Dê Passagem para a Vida", escrita em parceria por Alex Bager, coordenador do CBEE, e a jornalista ambiental Liana John, autora dos blogs Biodiversa e AgriSustenta, do Planeta Sustentável.

Usando fotos, ilustrações e dados, o folheto com 20 páginas ensina como o motorista deve se comportar nas estradas - andar devagar e ter paciência sempre, qual o procedimento em casos de atropelamentos e faz ainda recomendações a governos e concessionárias de rodovias para minimizar o problema.

São muitas as situações de risco de norte a sul do país. Algumas estradas cortam reservas naturais e os bichos atravessam a pista para buscar alimentos ou abrigo. Frequentemente, caminhões com cargas mal embaladas - sobretudo grãos - deixam cair resíduos na estrada e os animais são atraídos por uma refeição fácil e acabam sendo atropelados.

Entre as medidas sugeridas pela cartilha do CBEE estão a construção pelas concessionárias de passarelas com vegetação, por cima da estrada. Para tatus, ouriços, furões e cachorros-do-mato, a alternativa seriam passarelas subterrâneas. E é fundamental ainda a instalação de sonorizadores, lombadas, radares e placas para alertar motoristas sobre trechos onde há vida selvagem.

Quando ocorre um atropelamento, o motorista deve avisar imediatamente a Polícia Rodoviária ou a concessionária. Outra maneira de ajudar é baixar o aplicativo Urubu Mobile, em que o motorista registra o acidente e ajuda a criar um banco de dados sobre atropelamentos de animais selvagens (leia reportagem completa publicada aqui no Planeta Sustentável).

Em estudo realizado em três estradas de Mato Grosso do Sul, entre abril de 2013 e março de 2014, as maiores vítimas de atropelamentos foram cachorros do mato, tatu peba, tamanduá bandeira, tamanduá mirim, capivara, tatu galinha, anta brasileira, mão pelada, veado e quati.

Empresas e instituições interessadas em divulgar a cartilha "Dê Passagem para a Vida" podem fazer o download gratuito neste link. Para aqueles que desejam imprimir o material, o CBEE pode disponibilizá-lo em alta resolução. O centro criou ainda folders, adesivos e outros materiais de divulgação para uma completa ação de educação ambiental focada em impactos de rodovias na biodiversidade.

Juntamente com a organização WWF-Brasil e a Rede Nacional Pró-Unidades de Conservação, o CBEE também está apoiando um projeto de lei que assegure a circulação dos animais silvestres pelas estradas brasileiras. Se você quiser participar da petição #475milhoesNao, acesse a página da campanha e obtenha mais informações.

 

*Centro Brasileiro de Estudos em Ecologia em Estradas (CBEE)

comments powered by Disqus
Tags: