Notícias
preservação

Campanha ″Adote uma Espécie″, do WWF-Brasil, ganha animais brasileiros

Fábio Paschoal - National Geographic - 05/12/2014

[img1][box-leia]A campanha Adote uma Espécie, lançada pelo WWF-Brasil em outubro deste ano, ganha dois animais brasileiros: a arara-azul e o boto-cor-de-rosa (antes só o urso-panda, símbolo da ONG, podia ser adotado). O objetivo é chamar a atenção para os animais ameaçados, apoiar programas que atuam com as espécies por meio de doações, financiar o trabalho em defesa da expansão dos habitats protegidos e a reduzir os impactos humanos no ambiente natural.

"É preciso que a população tenha consciência do impacto das ações humanas no meio ambiente e, consequentemente, nos animais que nele habitam. Nossa missão, enquanto organização que realiza trabalhos de conservação ambiental, é também mobilizar o maior número de pessoas para mudar essa realidade", diz Renata Amaral Soares, Superintendente de Comunicação, Marketing e Engajamento do WWF-Brasil.

ARARA AZUL
Segundo a IUCN (União Internacional para a Conservação da Natureza, na sigla em inglês), O desmatamento, a falta de cavidades para reprodução, a coleta de ovos e de filhotes para tráfico e a caça para a fabricação de artefatos para serem vendidos aos turistas são as ameaças enfrentadas pela arara-azul. A população estimada é de 6.500 indivíduos (5 mil estão na região do Pantanal), mas está em declínio.

Status na IUCN: espécie vulnerável

[img2]

BOTO-COR-DE-ROSA
Não há dados suficientes para determinar se o boto-cor-de-rosa, encontrado na Amazônia brasileira, está ameaçado de extinção. Cerca de 13 mil animais vivem na Reserva de Desenvolvimento Sustentável Mamirauá, no estado do Amazonas. Uma das maiores ameaças à espécie é a pesca da piracatinga (Calophysus macropterus), um tipo de peixe que se alimenta de animais mortos. Os botos são abatidos para servirem de isca. Aproximadamente 600 são mortos por ano no Brasil com essa finalidade. A construção de hidrelétricas nos rios amazônicos, que pode isolar populações de botos e afetar os peixes da região, é outra ameaça.

Status na IUCN: dados deficientes

URSO-PANDA
Confinado a pequenas florestas de bambu no centro-sul da China, o urso-panda corre sérios riscos de extinção. O bambu floresce em intervalos que podem variar de 15 a 120 anos. Quando esse evento ocorre, todas as plantas de uma mesma floresta produzem as sementes e morrem. Os pandas devem procurar novos fragmentos de bambu. Com a fragmentação do habitat, fica cada vez mais difícil para a espécie achar um lugar para se alimentar. As melhores estimativas indicam uma população entre 1 000 e 2 000 indivíduos. É um dos mamíferos mais ameaçados do planeta e virou um símbolo da luta pela conservação das espécies.

Status na IUCN: espécie ameaçada

ADOTE UMA ESPÉCIE
Para "adotar" uma espécie brasileira, é preciso contribuir com uma doação mensal. O contribuinte receberá um kit contendo uma pelúcia da espécie adotada, um certificado de participação, uma cartilha com informações sobre o WWF-Brasil e sobre a espécie, além de adesivos personalizados.

Para mais informações sobre a campanha e as novas espécies brasileiras, acesse: wwf.org.br/adote

comments powered by Disqus
Tags: