Notícias
prevenção

Brasil usou apenas 1/3 da verba contra desastre natural

Vanessa Barbosa - Exame.com - 20/03/2013

[img1][box-leia]Em meio à calamidade natural que mais uma vez se instala em Petrópolis - onde 900 pessoas morreram nos deslizamentos de 2011, e que agora já soma mais de duas dezenas de mortos pelas chuvas - a ONG Contas Abertas* divulgou um levantamento preocupante.

O Brasil usou apenas um terço do orçamento autorizado para programas de prevenção de risco e de desastres naturais, como enchentes, em época de chuvas fortes, e seca, no ano passado.

De acordo com o levantamento, apenas R$2,1 bilhões de um total de R$5,7 bilhões disponíveis foram investidos com tal finalidade. O montante equivale a 36,8% do total. Na ponta do lápis, o país deixou de usar R$ 3.6 bilhões para fortificar as cidades.

PETRÓPOLIS RECEBEU MENOS QUE RIO

Palco do maior desastre natural da história do país, a cidade de Petrópolis recebeu somente 41,2 mil reais para obras de prevenção. A capital Rio de Janeiro abocanhou a maior parte dos recursos destinados ao estado: R$ 206,2 milhões de um total de R$ 242,9 milhões recebidos pelo estado.

A burocracia aparece como principal entrave para a execução das ações preventivas na região serrana, segundo a Ong. "Segundo a última cartilha estadual do PAC, as quatro ações voltadas para prevenção em áreas de risco ainda se encontram em fase de licitação ou em contratação, ou seja, não saíram do papel", diz.

Para a análise, o Contas Abertas levou em consideração quatro programas do governo federal referentes ao assunto: "Gestão de Risco e Resposta a Desastres"; "Prevenção e Preparação para Desastres"; "Resposta aos Desastres e Reconstrução" e "Drenagem Urbana e Controle de Erosão Marítima e Fluvial".

*ONG Contas  Abertas