Notícias
menos filas de espera

Brasil reduz número de transplantes no início de 2013

Redação - Veja.com - 26/09/2013

[img1]

[box-leia]O número de transplantes de córnea no Brasil caiu 13% no primeiro semestre deste ano em relação ao mesmo período do ano passado. De acordo com dados do Ministério da Saúde, divulgados nesta quarta-feira, a queda se deve a uma redução nas filas de espera. Por outro lado, os transplantes de órgão sólidos — como pulmão e coração — aumentaram 3%. No total, foram realizados 11.569 transplantes no país de janeiro a junho — 6% menos do que em 2012 em razão da queda dos transplantes de córnea.

Segundo levantamento do SNT - Sistema Nacional de Transplantes, no primeiro semestre de 2013 foram registrados 3.842 transplantes de órgãos como pulmão, coração, pâncreas, rim e fígado, um aumento de 3,8% em relação a 2012, quando foram realizadas 3.703 operações. Sozinho, o transplante de pulmão cresceu 113%: de 30 para 64 cirurgias. Os procedimentos de coração tiveram aumento de 14,8%, chegando a 124 atendimentos no primeiro semestre deste ano. Os transplantes de medula óssea também aumentaram, passando de 862, em 2012, para 974, no primeiro semestre de 2013.

DOAÇÃO
De acordo com a pasta, os índices de transplantes são acompanhados por uma melhora na aceitação familiar quanto à doação. A negativa para doação caiu de 80%, em 2003, para 45%, em 2012. O país, que demorou 23 anos (1987 a 2010) para chegar a 9,9 doadores por milhão de pessoas, teve um salto nos últimos três anos: o número cresceu para 13,5 doadores por milhão da população. O Ministério tem como meta chegar a 15 por milhão até 2014.

Para fazer a doação de órgãos no Brasil, no caso de doador falecido, é necessária apenas a autorização da família para que os órgãos sejam doados, além da constatação da morte encefálica do indivíduo, que deve ser diagnosticada por dois médicos diferentes e comprovada por um exame complementar interpretado por um terceiro profissional.