Notícias
tecnologia

Brasil reforça serviço de prevenção de desastres naturais

Alana Gandra - Edição: João Carlos Rodrigues - Agência Brasil - 06/06/2011

O primeiro pool de equipamentos geofísicos da América Latina, inaugurado sexta-feira (3) pelo ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, no Observatório Nacional, no Rio de Janeiro, deverá incentivar o desenvolvimento de áreas econômicas estratégicas, como petróleo e mineração, e também contribuir para o novo sistema de alerta e prevenção de desastres naturais. "O sistema de alerta vai usufruir dessa rede", afirmou Mercadante.

Além de estudar o espaço, destacou o ministro, o Observatório Nacional se dedica a estudar a terra. Os equipamentos ajudam muitas universidades, que desenvolvem estudos sobre a crosta terrestre. Isso é importante, acrescentou, porque contribui para prevenir terremotos, abalos sísmicos e auxilia na construção de estradas e cidades. "O conhecimento das profundezas do Brasil é muito importante para a mineração, para a geologia, para as descobertas de petróleo, como os campos do pré-sal, e também para a previsão de desastres naturais."

Segundo Mercadante, o sistema só começará a funcionar no próximo verão. No momento, o ministério está realizando concurso para a contratação de técnicos e especialistas em diversas áreas, entre as quais sismologia e meteorologia.

A equipe do Sistema Nacional de Alerta ficará instalada no Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais (Inpe), em Cachoeira Paulista (SP).

O Pool de Equipamentos Geofísicos do Brasil recebeu investimentos de R$ 14 milhões da Petrobras. A rede vai oferecer suporte instrumental e de pessoal técnico a projetos apoiados pela estatal do setor de petróleo e gás, por meio da Rede de Estudos Geotectônicos, integrada por 16 institutos de pesquisa. Mais de 30 projetos integram a carteira do Peg-Br.

O gerente executivo do Centro de Pesquisas da Petrobras (Cenpes), Carlos Tadeu da Costa Fraga, disse que a empresa está investindo em projetos no Observatório Nacional um total de R$ 25 milhões.

comments powered by Disqus