Notícias
onu

América Latina e Caribe são cobrados a cumprir metas

Renata Giraldi - Edição: Graça Adjuto - Agência Brasil - 08/07/2011

A América Latina e o Caribe podem não cumprir a meta de oferecer educação primária universal até 2015, pois o número de matrículas nas escolas primárias aumentou apenas de 93%, em 1999, para 95% em 2009. A ausência de saneamento básico também é problema na região, já que um morador da cidade tem duas vezes mais chance de ter acesso à infraestrutura do que aquele que vive na área rural.

Os dados estão no relatório Objetivos de Desenvolvimento do Milênio 2011, das Nações Unidas, divulgado ontem(7). O secretário-geral da Organização das Nações Unidas (ONU), Ban Ki-moon, disse que a instituição constatou que o progresso ocorre de forma desigual nas regiões de cada país.

Os latino-americanos e caribenhos são cobrados ainda, pelas Nações Unidas, pelo atraso nas políticas de sustentabilidade ambiental, embora tenha caído o desmatamento. O assunto será tema de uma conferência específica, em junho de 2012, a Rio+20, no Rio de Janeiro. A ideia é debater o desenvolvimento sustentável e a economia verde.

No mundo, o dado negativo se refere à redução da pobreza que, nos próximos quatro anos, deve cair menos do que 15%. A situação, segundo as Nações Unidas, agrava-se nas áreas em que há conflitos armados, principalmente para as crianças e adolescentes do sexo feminino. Cerca de 28 milhões de crianças, o equivalente a 42% da população mundial, que estão fora das salas de aula vivem em países em combate.

"O progresso tende a ignorar aqueles que estão nos patamares mais baixos da hierarquia econômica ou são desfavorecidos de alguma maneira por causa de seu gênero, idade, deficiência ou etnia", disse o secretário-geral da ONU. "E as disparidades entre as áreas rural e urbana permanecem assustadoras", acrescentou.

comments powered by Disqus