Glossário

MDL, GRI, IPCC, IDH. Aprender o significado dessas siglas - que cada vez mais ganham espaço nos noticiários e nas discussões cotidianas - é uma forma de entender os movimentos e avanços que levam à construção de um Planeta Sustentável.Descubra o que significam esses e outros termos, navegando no menu abaixo.

próxima >

Madeira certificada

Além de possuir documentação de acordo com a lei, esta madeira passou por processo de certificação que assegura que sua produção preserva a floresta, por meio de manejo sustentável, e é viável economicamente em longo prazo. A fabricação desse tipo de madeira ainda está de acordo com a legislação trabalhista.

No Brasil, o FSC - Forest Stewardship Council é o órgão responsável por estabelecer regras para as certificadoras emitirem o selo FSC, destinado a áreas e produtos florestais, como madeira e sementes.

Fonte: Madeira é Legal

Madeira de lei

Termo de interpretação variável. Pode-se referir tanto às madeiras escuras e com alta resistência mecânica e biodeterioração, como às de alto valor comercial.
Fonte: Madeira - Uso sustentável na construção civil. 2ª edição. IPT e SVMA

Leia tambem:
Era uma vez na Mata Atlântica
Rapina ambiental

Madeira legal

Este tipo de madeira cumpre todos os requisitos previstos na lei, no que diz respeito à documentação emitida pelos órgãos ambientais federais ou estaduais. Portanto, pode vir tanto de manejo sustentável como de desmatamento, desde que autorizada pelos órgãos responsáveis.

No Estado de São Paulo, desde março de 2009, representantes do governo, iniciativa privada e ONGs se uniram, de forma voluntária, para criar o programa Madeira é Legal, com a intenção de combater o uso da madeira ilegal, no setor da construção civil.
Saiba mais em Os bons resultados do "Madeira é Legal" .

Fonte: Madeira é Legal

Maquiagem verde

Maquiagem verde - Definição utilizada para quando uma empresa disfarça práticas predatórias com uma política ambiental de fachada.

Mandato de Berlim

Estabelecido em Berlim, em 1995, na COP1 para negociar e acompanhar a implementação de todos os acordos negociados pelos países desenvolvidos.

Fonte: Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

Manejo adaptativo

O termo é usado no meio acadêmico desde os anos 1970s e ultimamente foi considerado palavra de ordem para práticas conservacionistas. A gestão adaptativa de reservas naturais e unidades de preservação incorpora a pesquisa em ações de conservação. O método representa a integração do desenho, da administração e do monitoramento para testar diferentes ações, sistematicamente, com o objetivo de melhorar seus resultados e documentá-los para evitar erros no futuro. Fonte: Foundation of Success

Marco de Ação de Hyogo

É o instrumento mais importante para a implementação da redução de risco de desastres, adotado por países membros nas Nações Unidas. O objetivo é aumentar a resiliência das nações e comunidades diante de tragédias naturais, visando para 2015 a redução considerável das perdas de vidas humanas, bens sociais, econômicos e ambientais provocadas pelas forças da natureza e pelos efeitos das mudanças climáticas.

Maré negra

Ocorre quando uma grande quantidade de petróleo é derramada no mar em conseqüência do naufrágio de um petroleiro, do rompimento de um oleoduto ou de um acidente grave numa plataforma de perfuração.

Maré vermelha

É a concentração de algas tóxicas em águas litorâneas. Ela causa a morte de cardumes e nas pessoas, pode provocar reações alérgicas e dificuldade de respirar. Destruição do assoalho marinho - Uma plataforma de perfuração e extração de petróleo pode prejudicar o assoalho marinho. O nível de hidrocarbonetos no solo marinho se mantém extremamente alto numa área de 8 quilômetros em volta das plataformas de extração. Isso destrói o habitat das espécies que vivem nessas regiões.

Mata ciliar

Mata que ocupa margens de rios e mananciais. Mantém-se verde durante todo o ano com árvores de 20 a 30 metros.

Matas de araucária

Típicas da região Sul e pontos elevados da região Sudeste. Vivendo em um clima subtropical as árvores vão de 20 a 50 metros.

Matas de tabuleiro

Vegetação pouco explorada da região litorânea, que ocorre em áreas planas.

Matas de galeria

Assim como a mata ciliar, está na margem de rios e mananciais coberto de arbusto de pequeno porte e árvores retorcidas.

Matriz energética

Combinação das fontes de energia disponíveis numa economia ou país e dos usos de energia em suas diferentes formas. A economia moderna consome energia de duas formas: a combustível e a elétrica, podendo ser extraídas diretamente da natureza ou produzidas a partir dessas fontes primárias.

Mata mesófila

Mata fechada de porte médio e alto. Está na transição entre as florestas do litoral e cerradão. No inverno, 20 a 50% das árvores perdem as folhas.

Matas primárias

Floresta nativa e natural, como a Mata Atlântica.

Matas secundárias

É aquela com vegetação em processo de regeneração, em local desmatado pela ação do homem, mas que ainda não conseguiu alcançar a altura máxima.

Mecanismo de Desenvolvimento Limpo (MDL)

É um mecanismo previsto no Protocolo de Kioto, criado para reduzir as emissões de gases responsáveis pelo aquecimento global. O MDL torna possível, também, o desenvolvimento sustentável em países emergentes, pois os países industrializados que não cumprirem suas metas de lançamento de poluentes na atmosfera podem compensar o problema financiando projetos de redução da poluição nesses países. Segundo estimativas do Banco Mundial, esse mercado pode movimentar cerca de US$ 1 bilhão por ano.

Mecanismo de Redução de Emissões por Desmatamento das Florestas Tropicais


Em inglês, a sigla é TDERM.
Alternativa do Greenpeace para o REDD. Prevê um fundo global que receberia recursos voluntários e obrigatórios dos países do Anexo 1 para a aplicação em projetos de conservação, redução no desmatamento e repartição de benefícios com comunidades tradicionais. Em troca, os países do Anexo 1 ganhariam uma nova moeda, as unidades florestais, equivalentes à quantidade de emissões reduzidas nos países em desenvolvimento que contassem com sistemas de monitoramento de suas florestas. Cada tonelada de carbono equivaleria a uma unidade florestal.
Fonte: Revista Página 22, nº 30, maio 09

Mecanismos de flexibilização

Permitem que um país do Anexo I adquira unidades de redução de emissão de gases de efeito estufa, seja por intermédio de aquisição direta, seja por investimentos em projetos em outros países.

Fonte: Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

Medidas compensatórias

Medidas tomadas pelos responsáveis pela execução de um projeto. Essas medidas são destinadas a compensar impactos ambientais negativos, custos sociais que não podem ser evitados ou o uso de recursos ambientais não renováveis.
Fonte: IBAMA

Medidas corretivas

Ações para a recuperação de impactos ambientais causados por qualquer empreendimento ou causa natural. Significam todas as medidas tomadas para proceder à remoção do poluente do meio ambiente, bem como restaurar o ambiente que sofreu degradação resultante dessas medidas.
Fonte: IBAMA

Medidas mitigadoras

São aquelas destinadas a prevenir impactos negativos ou reduzir sua magnitude. É preferível usar a expressão "medida mitigadora" em vez de "medida corretiva", uma vez que a maioria dos danos ao meio ambiente, quando não pode ser evitada, pode apenas ser mitigada ou compensada.
Fonte: IBAMA

Medidas preventivas

Medidas destinadas a prevenir a degradação de um componente do meio ou de um sistema ambiental.
Fonte: IBAMA

Meio ambiente

Conceito que define as relações entre os diversos aspectos que regem a vida em todas as suas formas. A principal causa do desaparecimento das espécies é a degradação dos ambientes naturais, provocada por desmatamento, expansão agrícola, urbanização e poluição.

Mercado Brasileiro de Redução de Emissões (MBRE)

Em 6 de dezembro de 2004, com a presença do ministro do Desenvolvimento, da Indústria e do Comércio, Luiz Fernando Furlan, foi lançado na BM&F - Bolsa de Mercadorias & Futuros, em São Paulo, o Mercado Brasileiro de Redução de Emissões (MBRE). Seu objetivo é facilitar o acesso de médios empresários a um mercado relativamente complexo, devido às exigências como o registro de projetos de Mecanismos de Desenvolvimento Limpo (MDLs) no Executive Board do Protocolo de Kyoto, na Alemanha.

Fonte: Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

Metabolismo social

Criado por Marx, o termo metabolismo social se refere ao processo pelo qual a sociedade humana transforma a natureza externa e, ao fazê-lo, muda sua natureza interna.

Nesse conceito, a ação de transformar a natureza externa diz respeito ao processo de trabalho, enquanto seu efeito sobre a natureza interna se manifesta na forma como se estabelecem as relações sociais de produção.

Metano

Responde por um terço do aquecimento do planeta. Seu poder de retenção de calor na atmosfera é 23 vezes maior que o do dióxido de carbono, o metano é liberado na queima do gás natural, do carvão ou de matéria vegetal em processo de decomposição de resíduos orgânicos. Criação de gado e plantações de arroz também geram emissão de metano.

Metas de Aichi

Têm o nome da Prefeitura da qual faz parte a cidade de Nagoya, no Japão, onde as 20 metas da COP10 - Conferência das Partes para Diversidade Biológica foram acordadas em 2010. São elas (em síntese):
1) Até 2020, as pessoas terão consciência do valor da biodiversidade e conhecerão os passos para sua conservação e uso sustentável.
2) Até 2020, os valores da biodiversidade serão integrados ao desenvolvimento nacional e local e às estratégias de redução de pobreza e processos de planejamento.
3) Até 2020, serão eliminados ou alterados os incentivos, incluindo subsídios, considerados prejudiciais à biodiversidade e serão desenvolvidos e aplicados incentivos positivos à conservação e ao uso sustentável da biodiversidade.
4) Até 2020, governos e iniciativa privada, em todos os níveis, terão iniciado ou implementado planos de produção e consumo sustentáveis e limitado os impactos do uso de recursos naturais a limites seguros.
5) Até 2020, o ritmo de perda em todos os habitats naturais, incluindo florestas, será reduzido à metade e, onde possível, se aproximará de zero. A degradação e a fragmentação serão significativamente reduzidas.
6) Até 2020, todos os estoques de peixes, invertebrados e plantas aquáticas serão manejados e coletados de forma sustentável, legal e baseada no funcionamento do ecossistema, de modo que a super exploração será evitada. Planos e medidas de recuperação serão adotados para todas as espécies depauperadas e a pesca não terá impactos adversos significativos sobre espécies ameaçadas e ecossistemas vulneráveis. O extrativismo se manterá dentro de limites seguros.
7) Até 2020, áreas de agricultura, aquicultura e silvicultura serão manejadas de forma sustentável, assegurando a conservação da biodiversidade.
8) Até 2020, a poluição, incluindo por excesso de nutrientes, será reduzida a níveis que não impeçam a função e a biodiversidade dos ecossistemas.
9) Até 2020, espécies invasoras e suas rotas serão identificadas, as espécies prioritárias serão controladas ou erradicadas e medidas serão tomadas para prevenir novas introduções e estabelecimentos.
10) Até 2015, serão minimizadas as múltiplas pressões humanas sobre recifes de corais e outros ecossistemas vulneráveis ao impacto das mudanças climáticas e da acidificação dos oceanos, de modo que manterão sua integridade e funcionamento.
11) Até 2020, serão conservados e eficazmente manejados pelo menos 17% das áreas terrestres e águas interiores e 10% das áreas costeiras e marinhas, especialmente as de particular importância para a biodiversidade e serviços dos ecossistemas.
12) Até 2020, será prevenida a extinção das espécies ameaçadas conhecidas e seu estado de conservação será melhorado ou mantido.
13) Até 2020, será mantida a diversidade genética das plantas cultivadas e dos animais domésticos criados, e de seus parentes selvagens.
14) Até 2020, serão restaurados e salvaguardados os ecossistemas que provêm serviços essenciais, relacionado a água, saúde, bem estar e qualidade de vida, levando em consideração as necessidades das mulheres, indígenas e comunidades locais, pobres e vulneráveis.
15) Até 2020, aumentará a resiliência dos ecossistemas e a contribuição da biodiversidade para os estoques de carbono, por meio da restauração e da conservação de pelo menos 15% dos ecossistemas degradados, contribuindo, assim para a mitigação e a adaptação às mudanças climáticas e para o combate à desertificação.
16) Até 2015, o Protocolo de Nagoya estará em vigor e operacional, consistente com as legislações nacionais.
17) Até 2015, cada país signatário terá desenvolvido e adotado seu plano estratégico e de ação para a biodiversidade, de modo participativo.
18) Até 2020, serão respeitados o conhecimento tradicional, as inovações e as práticas de indígenas e comunidades locais relevantes para a Conservação e o uso sustentável da biodiversidade. Seus direitos serão objeto de legislação nacional e internacional.
19) Até 2020, aumentarão o conhecimento, a base científica e as tecnologias relativas à biodiversidade e seus valores, funções, status e tendências serão amplamente compartilhados, transferidos e aplicados.
20) Até 2020, a mobilização de recursos financeiros para implementar o Plano Estratégico para a Biodiversidade 2011 deverá aumentar substancialmente.

Metodologia bottom-up

Metodologia de inventário de emissões de CO2 definida pelo IPCC. Ela calcula as emissões de CO2 por combustíveis através da oferta primária e secundária dessa fonte.

Fonte: Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

Metodologia top-down

Metodologia de inventário de emissões de CO2 definida pelo IPCC. Ela calcula as emissões de CO2 através do uso final dos combustíveis.

Fonte: Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

Microcrédito

Sistema bancário criado, em 1976, pelo economista bengalês Mohammad Yunus, ganhador do Prêmio Nobel da Paz de 2006. O microcrédito visa o empréstimo de pequenas quantias a pessoas de baixa renda, incentivando o desenvolvimento de pequenos negócios com mais facilidade pelos bengaleses. Hoje, o sistema é copiado em mais de cem países.

Microgeração distribuída de energia

É a produção descentralizada de eletricidade, realizada próxima aos locais de consumo, evitando assim a necessidade de redes de distribuição de energia.

A prática é apontada como alternativa para regiões que ainda não possuem acesso à eletricidade.

Leia também:
O desafio do suprimento de energia
Planeta lança aplicativo sobre expedição de Energia, Negócios e Meio Ambiente

Mitigação

Ação de tornar algo menos intenso. Por exemplo, abrandar os efeitos do aquecimento global.

Modelo climático

Representação quantitativa de interações da atmosfera, oceanos, superfícies terrestres e gelo.

Modelos climáticos

Modelos computacionais cujo objetivo é a tentativa de replicar, de forma matemática, o clima na Terra e fazer previsões sobre as alterações climáticas com uma maior concentração de gases do efeito estufa na atmosfera.

Fonte: Fórum Brasileiro de Mudanças Climáticas

Mortalidade infantil

Indica o número de crianças que morrem no primeiro ano de vida entre mil nascidas vivas. Alguns estados brasileiros têm índices próximos da média de países menos desenvolvidos. No entanto, nenhum se aproxima da média de países desenvolvidos, nos quais a taxa de mortalidade infantil é em torno de 6.

Monte Pinatubo

Vulcão localizado nas Filipinas. A erupção, ocorrida em 1991, liberou partículas de sulfato na atmosfera suficiente para bloquear a entrada de radiação solar na Terra. Esse fato esfriou o planeta entre 1992 e 1994, mascarando o aquecimento que vinha ocorrendo desde a década de 80.

MOP (ou CMP) - Meeting of the Parties

É a reunião das Partes que agrega os países que assinaram e ratificaram o Protocolo de Kyoto e acontece sempre dentro da COP - Conferência das Partes, pois o Protocolo é um instrumento para a implementação da Convenção de Clima. Além de aumentar a sintonia entre o que é decidido no Protocolo de Kyoto e na Convenção do Clima, o fato de os eventos serem simultâneos também reduz custos para as Nações Unidas.
Fonte: UNFCCC

MOP

Reunião das partes do Protocolo de Cartagena sobre Biossegurança, realizada no âmbito da Convenção sobre Diversidade Biológica (CDB). O primeiro encontro ocorreu em 2004.

Mudanças climáticas

Mudança que possa ser, direta ou indiretamente, atribuída à atividade humana, que altere a composição da atmosfera mundial e que se some àquela provocada pela variabilidade climática natural observada ao longo de períodos comparáveis.

Reproduzido do UNFCCC.