BLOGS |Sustentável na Prática

O meio ambiente e o dragão de borracha Afonso Capelas Jr. - 23/04/2010 às 18:12

Na semana passada comentei sobre as montanhas de lixo eletrônico. Aproveitando que ontem comemoramos (comemoramos?) o Dia da Terra,  achei pertinente falar de um enorme e quase indestrutível vilão do planeta, o pneu velho. Mantenho ainda viva uma lembrança de infância em meu bairro, onde em um terreno atrás da biblioteca municipal, eu e alguns amigos encontramos meia dúzia deles. Prontamente tornaram-se nossos melhores brinquedos naquela fase da vida, quando saíamos a rolar os pneus pelas ruas.

Muito além dessa imagem inocente – e mesmo agora, em plena era digital – eles ainda insistem em compor a paisagem: um terreno baldio e lá estão vários, amontoados; um rio poluído e ele aparece boiando como náufrago; uma beira de estrada e ele ali largado.

Nem ao menos se sabe quanto tempo um pneu sobrevive, mas certamente é coisa de algumas centenas de anos. Somados a todos os problemas ambientais, eles também são caso de saúde pública já que servem de esconderijo de insetos e animais peçonhentos, e – pior – criadouro de mosquitos transmissores da dengue. Sem contar a poluição tóxica que causam pela atitude criminosa de quem ateia fogo na intenção de tirá-los da frente dos olhos.

Para atender à crescente demanda das montadoras e concessionárias de veículos a indústria brasileira de pneus produziu, em 2009, mais de 62 milhões de unidades. Cada um deles, depois de rodar por cerca de 50 ou 60 mil quilômetros torna-se o que os fabricantes chamam de inservíveis.

Felizmente, uma lei federal do Conselho Nacional de Meio Ambiente (Conama) determina que, a partir de março deste ano, fabricantes e importadores sejam responsáveis pelo destino final dos tais inservíveis. Preocupada com a enxurrada de multas e processos judiciais que poderiam despencar em suas costas, a Associação Nacional da Indústria de Pneumáticos (Anip) criou a Reciclanip.

A ideia é estimular a disposição correta de pneus entre os pontos de venda, borracharias e consumidores, disponibilizando mais pontos de coleta em todo o Brasil. A entidade garante que já recolheu e encaminhou para reciclagem mais de 200 milhões de pneus inservíveis, ou um milhão de toneladas de borracha e aço.

Para quem não sabe, poucos inventos da era da industrialização possuem tanta utilidade depois de sua vida útil quanto os pneus. Eles podem transformar-se em gás combustível para fornos (substituindo o nocivo carvão), solas de sapato, borrachas de vedação, piso de quadras esportivas, enchimento de bancos de automóveis, entre outros produtos. Até o aço do seu interior é aproveitado. Imagine quantos empregos podem ser criados com essa nova atividade.

No site da Reciclanip você encontra os endereços dos pontos de coleta de sua região. Quem mora em São Paulo tem ainda a opção de encaminhar os pneus para os ecopontos da prefeitura. Eliminar o pneu velho da paisagem é mais uma batalha no desafio de fazer o século 21 mais sadio e agradável para nós, nossos filhos e netos.

Foto: Divulgação – Obra do artista alemão Mirko Flodin com pneus velhos

 

ver este postcomente
Comentários

23/04/2010 às 23:06 Anonymous - diz:

walter craveiro – diz:E a importação de pneus “semi-novos” , ela ainda é legal???

24/04/2010 às 10:34 Anonymous - diz:

Ana Claudia Crispim – diz:MUITO bom Afonso, estas iniciativas fazem a diferença sim…ameniza o estrago. É disso que estamos falando, né?

24/04/2010 às 22:44 Anonymous - diz:

Ethel Weitzman- Movimento Aquecimento Global- I Care- Eu me Importo! – diz:Ola Afonso tudo bem?Você mais uma vez acertou no tema para debate.Acho que a sociedade precisa ser educada de maneira mais efetiva sobre o que e como reutilizar e/ou reciclar. Acho que a educação ambiental no Brasil ainda deixa muito a desejar e os meios de comunicação deveriam ser utilizados para este fim com mais frequência.Para mais infos e idéias de como reutilizar os pneus aí vai mais um link:http://empreendedorismoms.wordpress.com/2009/07/06/pneu-vira-carvao-para-al to-forno-e-mistura-para-concreto-ecologico/

25/04/2010 às 11:09 Anonymous - diz:

Bruno Alves – diz:Os pneus servem para fazer borracha granulada para campos de grama sintetica. A Borcol em Sorocaba é uma grande fabricante, ou melhor recicladora.

25/04/2010 às 11:22 Anonymous - diz:

Eduardo Andrade – diz:Dar o destino certo ao nosso lixo é um problema que envolve falta de informação e de iniciativa por parte de nós consumidores. Para que não fiquemos na espera que as autoridades ou as industrias tomem alguma atitude vamos nos mobilizar e o primeiro passo é se inteirar sobre o assunto, daí a importância de materias como esta.

25/04/2010 às 20:51 Anonymous - diz:

Emilia – diz:Afonso,parabéns pelo seu blog!!!Às fabricas que reciclam pneus deveriam aparecer mais,ser mais divulgadas,e quem sabe com essa divulgação a população não largariam mais os pneus mas ruas ou nos rios.

25/04/2010 às 21:10 Anonymous - diz:

Guiomar – diz:Oi Afonsinho, gostei muito de conhecer seu blog;è isso que estamos precisando!ajudar a salvar o planeta.Uma idèia-quando puder escreva sobre a sujeira do nosso querido Bràs tâo abandonado!!!

26/04/2010 às 23:34 Anonymous - diz:

Erika Fae – diz:Oi Afonso!Trabalho diretamente com Educação e foi muito útil para mim este artigo, principalmente quanto à responsabilidade do fabricante na coleta e destinação dos pneus.A informação será disseminada!Parabéns pelo espaço abraçoErika Fae

27/04/2010 às 13:39 Anonymous - diz:

Afonso Capelas Jr. – diz:Walter, respondendo à sua dúvida, a importação de pneus usados está proibida no Brasil, de acordo com o Conama – Conselho Nacional do Meio Ambiente (Resoluções nos 23, de 12 de dezembro de 1996, e 235, de 7 de janeiro de 1998). Se encontrar alguma revendedora que comercializa este tipo de pneu, denuncie.

29/04/2010 às 11:12 Anonymous - diz:

sonia salles – diz:Oi Afonso,parabéns pelo blog e pela importante contribuição ao nosso tão sofrido meio ambiente… compartilhar essas informações é um caminho, que, embora longo, poderá ser percorrido.

03/05/2010 às 10:38 Anonymous - diz:

JOSÉ A ARONE – diz:Afonso, parabens, pena que nossos políticos e empresarios do setor só querem levar vantagem, o correto tem preço, mas o não pagamento agora tem um custo muito alto amanhã, que pena…

14/05/2010 às 11:51 Anonymous - diz:

Soane Souza – diz:Incrível a maneira como você escreve, consegue trasportar o leitor ao passado e estimula a fazer uma reflexão de quanto o planeta vem perdendo em qualidade de vida com relação ao avanço e tanta tecnologia.É preciso que a lei exista, um orgão fiscalizador é imprescindivel. Tambem é preciso a iniciativa do Governo Federal em parceria com o terceiro setor para a criação de novas empresas de reciclagem. Dessa forma além do controle do descarte dos pneus ainda tem a geração de empregos.

23/06/2010 às 06:51 Anonymous - diz:

Roldinei Gusson – diz:Meus comprimentos, pois vc consegue passar os efeitos causados pelo descarte inadequado de materias que podem ser reciclados, contando estorias…parabens.

Deixe aqui seu comentário: Preencha os campos abaixo para comentar, solicitar ou acrescentar informações. Participe!

Enviar

Sustentável na Prática

AFONSO CAPELAS JR

é paulistano, jornalista e produz textos sobre meio ambiente, turismo ecológico e sustentabilidade desde que saiu da faculdade (ou seja, faz tempo). Colabora com a revista National Geographic e o site do Planeta Sustentável. Neste blog – atualizado às terças e sextas - debate com os leitores ideias sobre o que podemos fazer pela sustentabilidade em nosso dia-a-dia. Sem dor, sem chatice, sem imposição, mas com a consciência de que não vivemos mais a era do desperdício. Afinal, está na hora de enfrentarmos o século 21. Você tem dúvidas sobre como ser sustentável na prática? Então, pergunte para o Afonso! As mais relevantes serão respondidas aqui no blog. Seu e-mail é pergunteaoafonso@gmail.com

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Sustentável na Prática

Arquivos de posts