BLOGS |Sustent√°vel na Pr√°tica

Imagens gritantes do nosso lixo Afonso Capelas Jr. - 18/07/2014 às 11:36

AUma imagem vale mais que mil palavras. Então, este post vai mostrar algumas delas, impressionantes, produzidas pelo fotógrafo norte-americano Gregg Segal. Ele registrou pessoas envoltas no lixo que elas próprias produziram durante uma semana.

As fotos fazem parte de seu projeto 7 days of garbage (7 dias de lixo), que ainda est√° em andamento. As imagens registram californianos ‚Äď amigos do fot√≥grafo, vizinhos e at√© estranhos ‚Äď deitados sobre as restos do que consumiram nesse per√≠odo.

‚ÄúAlgumas pessoas ‚Äėeditaram seu lixo‚Äô. Outras n√£o se importaram em mostrar coisas desagrad√°veis que deixaram a imagem ainda mais forte‚ÄĚ, revelou o fot√≥grafo.

A inspiração do Segal é uma pesquisa da Agência de Proteção Ambiental (EPA) dos Estados Unidos dando conta de que o norte-americano médio produz mais de quatro quilos de dejetos diariamente.

Esse montante representa, de acordo com a EPA, mais que o dobro da quantidade produzida nos anos 1960 e 50% mais do que a quantidade descartada pelos europeus ocidentais.

Veja as fotos chocantes,¬†reflita e tire suas conclus√Ķes sobre o assunto.

L

S

E

S

D

M

 

T

M

J J

 

M

Leia também

Lixo aumentou, reciclagem n√£o

Ricardo Abramovay e a riqueza do lixo 

Imagens ‚Äď Gregg Segal/Slate.com

Tem alguma d√ļvida sobre sustentabilidade¬†no seu dia a dia? Ent√£o fa√ßa sua pergunta. Envie seu e-mail para¬†pergunteaoafonso@gmail.com. Sua d√ļvida¬†ser√° respondida aqui no blog¬†Sustent√°vel na pr√°tica.

ver este postcomente

Seca: porque não usar as nascentes? Afonso Capelas Jr. - 16/07/2014 às 15:22

NASCENTE_OK_3Prezado Afonso

Gostaria de saber porque n√£o aproveitamos toda a √°gua que jorra diariamente de in√ļmeras nascentes e olhos d‚Äô√°gua ‚Äď e acabam desaguando em rios e canais polu√≠dos ‚Äď para combater a seca nas cidades? Luiz Fernando Rangel, S√£o Paulo, SP.

Caro Luiz Fernando, pois é, a situação não anda nada boa com os mananciais que abastecem muitas cidades brasileiras do Sul, Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste. Especialmente na capital paulista, cujo sistema de reservatórios Cantareira seca a cada dia e as chuvas substanciais, segundo os meteorologistas, só vão cair a partir do final de setembro.

De acordo com o engenheiro químico e consultor da GO Associados, Marcelo Morgado, as nascentes e olhos d’água são fontes de abastecimento muito comuns em propriedades rurais, Brasil afora. Mas essas fontes não podem ser utilizadas para o abastecimento urbano.

A raz√£o √© bem simples, de acordo com Morgado: ‚ÄúAs vaz√Ķes dispon√≠veis s√£o pequenas e esparsas para atender as popula√ß√Ķes urbanas. Para abastecer tanta gente √© preciso armazenar a √°gua dos rios mais caudalosos em grandes reservat√≥rios. Ou fazer uso dos imensos mananciais subterr√Ęneos, como o colossal¬†aqu√≠fero Guarani‚ÄĚ.

Mesmo que fossem suficientes para suprir as cidades com água, seria arriscado demais. Como o próprio nome diz, nascentes são onde nascem os rios que se tornam caudalosos e depois vão abastecer as grandes cidades. Então, é preciso preservar esses nascedouros, evitar a contaminação e até o esgotamento desses lençóis freáticos para garantir a perenidade dos rios e mananciais.

Mesmo no caso das propriedades rurais, n√£o se pode ir com tanta sede ao pote. Alguns cuidados devem ser tomados: ‚Äú√Č preciso fazer an√°lises f√≠sico-qu√≠micas e microbiol√≥gicas para atestar a potabilidade da √°gua e manter o local isolado da presen√ßa de pessoas e de gado para evitar contamina√ß√£o. Tamb√©m √© recomend√°vel limitar o volume captado‚ÄĚ, recomenda Morgado.

H√° uma legisla√ß√£o a ser cumprida pelos fazendeiros, lembra o engenheiro qu√≠mico. ‚Äú√Č fundamental recompor e manter a mata nativa num raio m√≠nimo de 50 metros das nascentes e olhos d‚Äô√°gua, como prev√™ o artigo 4¬ļ do C√≥digo Florestal. A vegeta√ß√£o protege as nascentes da eros√£o e da contamina√ß√£o por agrot√≥xicos e fertilizantes‚ÄĚ.

Ent√£o, o que nos resta √© conservar¬†as regi√Ķes onde elas est√£o e recuperar as que est√£o degradadas plantando¬†vegeta√ß√£o nativa.

O que mais podemos fazer? Rezar para que chova ‚Äď e muito ‚Äď no pr√≥ximo ver√£o.

Leia também

√Āgua cai do c√©u, mas n√£o est√° sobrando

Tem alguma d√ļvida sobre sustentabilidade¬†no seu dia a dia? Ent√£o fa√ßa sua pergunta. Envie seu e-mail para¬†pergunteaoafonso@gmail.com. Sua d√ļvida¬†ser√° respondida aqui no blog¬†Sustent√°vel na pr√°tica.

Imagem ‚Äď Creative Commons

ver este postcomente

Você tem escravos e nem sabe Afonso Capelas Jr. - 11/07/2014 às 18:30

shackles_OK_3

Sim, voc√™ tem, n√£o s√£o poucos e a ONG internacional Made in a Free World prova. Como? Eles criaram um aplicativo onde voc√™ se cadastra, depois responde a um question√°rio. As perguntas s√£o relacionadas ao seu estilo de vida e v√£o desde em que cidade voc√™ mora e qual a sua idade at√© o que voc√™ come, quantas roupas t√™m no arm√°rio e o n√ļmero de gadgets que possui.

O aplicativo chama-se Slavery footprint, uma esp√©cie de calculadora que mede o tamanho da sua¬†pegada de escravid√£o deixada neste planeta. A rela√ß√£o √© bem simples, embora triste: atualmente milh√Ķes de pessoas ‚Äď incluindo crian√ßas ‚Äď trabalham de forma desumana para produzir muitos dos bens que consumimos. Essas pessoas est√£o em algum elo da cadeia de produ√ß√£o de muitas empresas, inclusive as mais poderosas e famosas.

A pesquisa do Slavery footprint √© feita no pr√≥prio site de forma ilustrada, interativa e f√°cil. Em¬†cada pergunta, informa√ß√Ķes relevantes sobre o trabalho escravo nos mais diversos setores da vida moderna s√£o apresentadas.

A calculadora está em inglês, mas não é um problema para quem não entende: basta habilitar o tradutor do Google, que funciona perfeitamente e vai transpondo os textos automaticamente para o português.

√Č preciso ser sincero¬†nas respostas para saber quantos escravos est√£o √† sua disposi√ß√£o para atender ao seu modo de vida. H√° at√© uma inc√īmoda pergunta ‚ÄúQuantas vezes voc√™ pagou por sexo?‚ÄĚ. Tem coragem de responder?

Calculei minha pegada. O resultado: tenho nada menos que 24 escravos trabalhando para mim neste momento.

Mais que um teste, o Slavery footprint √©, na verdade, uma forma de nos alertar que ‚Äď em pleno s√©culo 21 ‚Äď ainda temos pessoas trabalhando em condi√ß√Ķes semelhantes √† escravid√£o dos tempos feudais. Por tr√°s da calculadora est√° uma campanha da Made in a Free World para erradicar o trabalho escravo no mundo, que merece a ades√£o de todos.

De acordo com a ONG, existem pelo menos 27 milh√Ķes de escravos em todo o planeta. Esse n√ļmero representa o equivalente √† popula√ß√£o da Austr√°lia e da Nova Zel√Ęndia juntas. √Č uma realidade muito s√©ria e √©, sim para que cada um de n√≥s¬†pare para refletir e se preocupar.

Leia também

Mulher compra vestido e acha den√ļncia de trabalho escravo na etiqueta

Imagem ‚ÄstCreative Commons

ver este postcomente

Sustent√°vel na Pr√°tica

AFONSO CAPELAS JR

√© paulistano, jornalista e produz textos sobre meio ambiente, turismo ecol√≥gico e sustentabilidade desde que saiu da faculdade (ou seja, faz tempo). Colabora com a revista National Geographic e o site do Planeta Sustent√°vel. Neste blog ‚Äď atualizado √†s ter√ßas e sextas - debate com os leitores ideias sobre o que podemos fazer pela sustentabilidade em nosso dia-a-dia. Sem dor, sem chatice, sem imposi√ß√£o, mas com a consci√™ncia de que n√£o vivemos mais a era do desperd√≠cio. Afinal, est√° na hora de enfrentarmos o s√©culo 21. Voc√™ tem d√ļvidas sobre como ser sustent√°vel na pr√°tica? Ent√£o, pergunte para o Afonso! As mais relevantes ser√£o respondidas aqui no blog. Seu e-mail √©¬†pergunteaoafonso@gmail.com

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

18/07 - Imagens gritantes do nosso lixo

16/07 - Seca: porque n√£o usar as nascentes?

11/07 - Você tem escravos e nem sabe

10/07 - Pra onde vai o meu barbeador?

04/07 - Mais boas notícias de bikes

02/07 - Como limpar nossa √°gua?

27/06 - Pequenos pedalantes de Paris

24/06 - Como descartar fluorescentes?

22/06 - Cuidado com as baterias bot√£o

13/06 - Incandescentes se apagam de vez

06/06 - Plastiglomerate, a rocha pl√°stica

30/05 - Lixo aumentou, reciclagem n√£o

23/05 - Mudança climática chega às cidades

19/05 - A bicicleta do futuro

09/05 - Sacolas: tire as d√ļvidas

05/05 - Catadores na Bolsa de Valores

28/04 - Desperdício: quem paga a multa?

18/04 - Faça sua bike ficar elétrica

11/04 - Nossa √°gua est√° contaminada

04/04 - Nuvens mais limpas na rede

28/03 - O atlas das brigas ambientais

21/03 - Nova York autossustent√°vel

14/03 - Mais d√ļvidas sobre o lixo

07/03 - Cadastro anti-roubo de bike

21/02 - Embalagens: lavar ou n√£o – 2

14/02 - Embalagens: lavar ou n√£o lavar?

07/02 - 3 notícias sobre 2 rodas

31/01 - Manual de agricultura urbana

24/01 - Telhados verdes funcionam mesmo

20/12 - App contra o trabalho escravo

13/12 - Supermercado social, uma ideia legal

06/12 - Bike mais barata para todos

29/11 - Mundo: uma imensa lixeira em breve?

23/11 - O bendito verde urbano

18/11 - Phonebloks, o futuro?

08/11 - Abaixo os impostos das bikes!

01/11 - Brasil est√° reciclando mais?

25/10 - Você já comprou e nunca usou?

18/10 - Bikes x Carros

11/10 - Invista no banco de tempo

04/10 - V√° de carona, ou de t√°xi, ou de bike

27/09 - Recursos naturais no buraco

20/09 - Siga o caminho do pl√°stico

06/09 - A ang√ļstia de ter um carro

30/08 - Brasil adotar√° o Lixo Zero?

23/08 - Viva a economia solid√°ria!

16/08 - Uma ideia que ilumina o mundo

09/08 - A solidão é insustentável

02/08 - Denuncie os lix√Ķes sem d√≥

26/07 - O papa pedala

19/07 - Sobre lixo, m√ļsica e dignidade

12/07 - As incríveis roças paulistanas

05/07 - Contra o desperdício de comida

24/06 - Carros: é preciso reciclar mais

14/06 - Uma universidade para a bike

07/06 - Estamos comendo peixes em extinção

31/05 - Fraldas limpas

24/05 - Campe√£o e sustent√°vel

17/05 - O bom político e as ovelhas negras

10/05 - Mercado de madeira legal em alta

03/05 - A felicidade mora na praça ao lado

26/04 - Sampa tenta se humanizar

19/04 - Bê a bá dos resíduos sólidos

12/04 - Mais espaço para reciclar

05/04 - O mapa da mobilidade no país

30/03 - O fim dos lix√Ķes em 2014?

22/03 - Carro velho = bike nova

15/03 - Algumas ideias para o bem

08/03 - Aprendendo mais sobre a √°gua

01/03 - Ansiedade e consumo

22/02 - Economia verde indo pro azul

15/02 - O pl√°stico que nos envenena

08/02 - Para onde foi o seu dinheiro?

01/02 - Pedalar e comer em Buenos Aires

25/01 - Mais cidades sustent√°veis

18/01 - O mundo n√£o quer as sacolas

11/01 - Lance sua ideia sustent√°vel

21/12 - Chega de óleo na água

14/12 - A logística reversa chegou

07/12 - Além da obesidade infantil

30/11 - Sampa na marcha a ré

23/11 - Aplicativos verdes

16/11 - Tempo e qualidade

09/11 - Consumo infantil não é brincadeira

02/11 - Chique e sustent√°vel

26/10 - Ineficiência sobre rodas

19/10 - Obsolescência e economia criativa

13/10 - Sa√ļde sustent√°vel

05/10 - Descurtiu o brinquedo? Troca!

28/09 - Votar bem só faz bem

21/09 - √Č preciso voltar a andar

14/09 - Semana para desengarrafar

07/09 - Los hermanos pedalam

31/08 - Nós e os botos

24/08 - Saneamento b√°sico na lama

17/08 - Coleta de lixo do futuro em SP

10/08 - Voto por uma cidade melhor

04/08 - Saud√°veis paredes verdes

28/07 - Se a moda pega…

20/07 - O Google d√° pedal

13/07 - O passaporte verde

09/07 - Pobreza e economia verde

29/06 - Sustentabilidade a bordo

22/06 - A mergulhadora e os pl√°sticos

18/06 - O povo unido…

08/06 - Brasil mais consciente

01/06 - Ora, sacolas…

25/05 - A revolução do pedal continua

18/05 - Novos e preocupantes relatórios

14/05 - Lixão, até quando?

04/05 - A corrente do bem

27/04 - Uma calçada no meio do caminho

20/04 - O 7¬ļ continente… de pl√°stico

13/04 - √Ārvores da sa√ļde

06/04 - A bike, engrenando em Sampa

30/03 - De olho nas empresas sustent√°veis

23/03 - Tom Zé e sustentabilidade

19/03 - Cidades do futuro, j√°

09/03 - Carona para quem precisa

05/03 - Logística reversa sai do papel

24/02 - Mais vitórias da magrela

17/02 - Reciclagem a passo de tartaruga

10/02 - Golfinhos envenenados

03/02 - O pedal faz a diferença

27/01 - A insustent√°vel leveza da sacola

20/01 - Farmville sustent√°vel

23/12 - Horta no apê

16/12 - A era do cidad√£o indignado

09/12 - Consumo e lixo: temos um plano

02/12 - A energia do futuro j√° chegou

25/11 - Reciclagem na ponta dos dedos

18/11 - Empresas de boas a√ß√Ķes

11/11 - Os sem sacolas

04/11 - De bike é bem melhor

28/10 - J√° somos 7 bi

21/10 - Fa√ßa as contas de suas emiss√Ķes

14/10 - Sobre novas formas de se mexer

07/10 - A era do consumidor mais verde

30/09 - Temos que diminuir o passo

23/09 - Como fazer um rio renascer

16/09 - Primavera da mobilidade

09/09 - E o vento levou…

02/09 - O divertido escambo cultural

26/08 - 8 Rs da sustentabilidade

19/08 - O direito de caminhar a salvo

12/08 - Sobre a import√Ęncia de cuidar

05/08 - De novo as sacolinhas

29/07 - Os velhos tempos, de roupa nova

22/07 - Que tal uma composteira?

15/07 - Dias melhores para os carroceiros

08/07 - O turista sustent√°vel

01/07 - Sustentavelzinho na pr√°tica

24/06 - N√£o me engana que eu gosto

17/06 - Caminho suave na selva de pedra

10/06 - Sacola não é só problema nosso

03/06 - Se tartarugas marinhas falassem

27/05 - Perdendo o trem da história

20/05 - Consumo colaborativo, no Brasil

13/05 - A farra das embalagens in√ļteis

06/05 - X√ī urubus, fora lix√Ķes!

29/04 - Pedalada descomplicada

22/04 - Nós temos a força

15/04 - Vamos descurtir o carv√£o

08/04 - O que é meu é seu, pode ser?

01/04 - A hora do planeta é agora

25/03 - Reduzir: o melhor dos 3Rs

18/03 - Os abomin√°veis peixes de pl√°stico

11/03 - A tecnologia pode nos salvar?

04/03 - Cuidado com a roupa suja

25/02 - Últimas notícias do lixo

18/02 - O código florestal e você

11/02 - Isto não é vida!

04/02 - Longa vida à caixinha de leite

28/01 - A l√Ęmpada m√°gica

21/01 - Um origami, uma sacola a menos

14/01 - Alguma coisa est√° fora da ordem

07/01 - Para onde vai o lixo em 2011

17/12 - Presenteie com Mata Atl√Ęntica

10/12 - Leve sua PET para reciclar

03/12 - Os tempos mudaram, ainda bem

26/11 - Que tal uma carona?

19/11 - Bons sinais de mudança no ar

12/11 - Jardins suspensos da paulicéia

05/11 - Mais sobre as sacolinhas

29/10 - Sess√£o pipoca (sustent√°vel)

22/10 - Sustentabilidade 2.0, a miss√£o

15/10 - √Āgua virtual, economia real

08/10 - Palmito bom é na palmeira

01/10 - O clima muda, a energia n√£o

24/09 - A assustadora lição de Páscoa

17/09 - Plantando ideias inteligentes

10/09 - Um voto para o ambientalismo

03/09 - E você, é verde de verdade?

27/08 - Pedalando nos humanizaremos

20/08 - Mais sobre a √°gua da torneira

13/08 - Um brinde à água torneiral

06/08 - Bom destino às fluorescentes

30/07 - Enfim, a era da desconstrução

23/07 - No ciclo do pneu nada se perde

16/07 - Tudo pode (e deve) se transformar

09/07 - No tom da madeira certificada

02/07 - Bem-vindos vira-latas

25/06 - O selo dos selos ambientais

18/06 - Viajar de bem com a vida

11/06 - Libertando-se do óleo

04/06 - Bom senso e a m√£e moderna

30/05 - Em busca da corrente do bem

21/05 - Cidadania, tijolo por tijolo

14/05 - Sem apagão na consciência

07/05 - Sacolas descart√°veis e o lixo

30/04 - Desperdício, mal desnecessário

23/04 - O meio ambiente e o drag√£o de borracha

16/04 - Como remover a montanha eletr√īnica

09/04 - √Āgua cai do c√©u, mas n√£o est√° sobrando

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Sustent√°vel na Pr√°tica

Arquivos de posts