BLOGS |Planeta Urgente

Mídia social ajuda a estimar a qualidade do ar na China José Eduardo Mendonça - 19/11/2014 às 13:37

Pequenas cidades não contam com estações de monitoramento

Cientistas da computação da Universidade de Wisconsin analisaram posts no Weibo – um serviço semelhante ao Twitter -, a mais popular mídia da China, em 108 cidades, durante mais de 30 dias. Foi examinada também a correlação tempo-espaço entre cidades e dias, pois os picos de poluição cobrem grandes quantidades de território e são duradouros.

Os cientistas rastrearam como as pessoas se queixavam da qualidade do ar, e com quais palavras. O estudo mostrou que o processo pode fornecer exatidão e informação em tempo real ao Índice de Qualidade do Ar, um levantamento amplamente usado dos poluentes mais comuns.

Grandes cidades chinesas têm estações de monitoração para relatá-los, mas isto não acontece nas cidades pequenas, porque os equipamentos são caros e de difícil manutenção. Entre 350.000 e 500.000 chineses morrem prematuramente a cada ano por causa da poluição, estimou um ex-ministro do país em artigo publicado em The Lancet.

Para Shike Mei, um dos autores do estudo, ele é mais do que um mero exercício intelectual. Na área da China Central onde cresceu, há apenas uma estação de monitoração que cobre um território onde vivem 60 milhões de pessoas.

“A província de Anhui, onde nasci, não é muito saudável. Não há informação suficiente sobre poluição e por vezes as pessoas sofrem quando ela é mais pesada. Daí pensamos: como podemos usar uma nova fonte de informação para ajudar as pessoas a entender a severidade da situação?” disse ele.

Os modelos matemáticos do grupo não usaram palavras-chave pré-selecionadas para analisar os textos dos posts. Os pesquisadores desenvolveram  um modelo de aprendizado para atribuir pesos diferentes a posts diferentes, relata o site da Universidade de Wisconsin.

Foto: erhard.renz/Creative Commons

 

ver este postcomente

Doença renal crônica pode estar ligada à poluição José Eduardo Mendonça - 17/11/2014 às 08:54

doenca-renal-cronica-pode-estar-ligada-poluicao-560

Estudo observou maior incidência em áreas com pior qualidade do ar

A poluição do ar pode estar ligada ao crescimento dos índices de doença renal crônica, segundo estudo que examinou sua incidência em áreas de pior qualidade do ar nos Estados Unidos.

“Se a poluição for um fator de risco, o impacto deverá ser ainda maior em países onde os níveis são muito mais altos,” disse Jennifer Bragg-Gresham, da Universidade do Michigan, em estudo apresentado sábado no encontro anual da Sociedade Americana da Nefrologia.

As taxas da doença variam muito no país, e os fatores pessoais dos pacientes não explicam sozinhos as diferenças.

O trabalho levantou dados de 1.1 milhão de americanos e seus registros médicos de 2010. E usou ainda informações compiladas pela Agência de Proteção Ambiental do País sobre a qualidade do ar em cada um de seus condados.

Ao deixaram de fora fatores de risco individuais, como idade, diabetes e hipertensão, os pesquisadores descobriram a associação entre a doença e o tipo de poluição conhecida como matéria fina particulada. No entanto, não provaram uma relação de causa e efeito.

Investigações futuras sobre as ligações devem incluir diagnósticos em laboratório, dados longitudinais, medidas de poluidores do ar múltiplos e controle mais acurado de todos os fatores de risco, informa o Science Codex.

Foto: Ben Amustutz/Creative Commons

ver este postcomente

Estudo liga déficit de atenção à poluição do ar José Eduardo Mendonça - 06/11/2014 às 09:52

estudo-liga-deficit-atencao-poluicao-ar-560

Crianças expostas no útero têm risco 5 vezes maior

As crianças de Nova York expostas no útero a níveis altos de poluentes como os de escapamentos de veículos tiveram um risco cinco vezes maior de problemas de atenção aos nove anos de idade, de acordo com novo estudo feito pela Universidade Columbia e publicado no PLoS One.

Pais preencheram um questionário usado comumente para diagnosticar o transtorno do déficit de atenção, e os pesquisadores descobriram que crianças cujas mães tinham as maiores quantidades de hidrocarbonos policíclicos aromáticos (PAHs) em seus organismos tinham probabilidade cinco vezes maior de mostrar comportamento de desatenção do que aqueles cujas mães tinham os níveis mais baixos.

O estudo é mais uma evidência dos riscos da exposição aos PAHs, que são emitidos pela queima de combustíveis e outros materiais orgânicos. No caso, os cientistas deixam claro que examinaram sintomas de desatenção, e não de hiperatividade.

“Nossa pesquisa sugere que fatores ambientais podem contribuir de forma significativa com os problemas de atenção,” disse ontem Frederica Perera, cientista de saúde ambiental e principal autora do trabalho.

Cerca de uma em cada dez crianças diagnosticadas com o transtorno apresentam chances maiores de ter um desempenho acadêmico fraco, comportamentos de risco e salários mais baixos na idade adulta, escreveram os pesquisadores.

Em estudos anteriores com os mesmos tipos de crianças, Perera e colegas encontraram associações entre níveis mais altos de exposição pré natal aos PHAs e retardos de desenvolvimento aos 3 anos de idade, níveis de QI mais baixos aos 5, e maior probabilidade de ansiedade, depressão e problemas de atenção aos 6 e 7 anos, informa o Live Science.

Foto: Daniel Fogg/Creative Commons

ver este postcomente

Planeta Urgente

JOSÉ EDUARDO MENDONÇA

produziu uma série de reportagens pioneiras para o Jornal da Tarde sobre fontes alternativas de energia e, logo depois, indo morar em Londres, tomou contato com o movimento do que se chamava à época conservacionismo - o que se tornou mais tarde ambientalismo. Neste blog, rastreia ações, políticas e o multifacetado pensamento sobre a questão socioambiental pelo mundo. As opiniões expressas nos veículos citados não são de responsabilidade do Planeta Sustentável, embora a divergência entre elas contribua com a dinâmica do debate.

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Planeta Urgente

Arquivos de posts