BLOGS |Planeta Urgente

Poluição do ar pode ter custado à Europa U$235 bilhões em 2012 José Eduardo Mendonça - 25/11/2014 às 12:38

poluicao-ar-custado-uniao-europeia-560

Valor, de 2012, é igual ao PIB da Finlândia

A poluição do ar, principalmente de usinas de energia a carvão, custou à sociedade na Europa U$ 235 bilhões em 2012 – ou a mesma quantia que o Produto Interno Bruto (PIB) da Finlândia, revelou hoje relatório da Agência Ambiental Europeia.

A agência fornece pesquisas para legisladores do bloco que estão reconsiderando propostas apresentadas no ano passado pela Comissão Europeia, braço executivo da União, para torná-las mais duras em relação à qualidade do ar.

O trabalho analisou o impacto da poluição sobre custos de saúde, dias de trabalho perdidos, danos a edifícios, redução da produtividade de safras e outros, e descobriu que o custo foi de pelo menos U$ 73 bilhões, podendo ter chegado a U$ 235 bilhões.

Esta grande disparidade reflete o modo de calcular custos e os números se comparam a estimativas de entre U$ 98 bilhões e U$ 311 bilhões em 2008, no começo do período analisado (2008 a 2012).

Estes custos caíram porque as leis ambientais europeias e a crise econômica provocada pela irresponsabilidade do setor financeiro causaram um corte nas emissões de dióxido de carbono, óxidos de nitrogênio, óxidos de enxofre e ainda matéria particulada.

Mas, dizem os pesquisadores, vai ser um desafio manter o progresso e cortar emissões em tempos de crescimento econômico. Das 30 maiores instalações que causavam os maiores danos, 26 eram usinas de energia movidas principalmente a carvão na Alemanha e Leste Europeu.

Entre 2008 e 2012, o custo estimado total das emissões geradas por 14.325 instalações industriais foi de pelo menos U$ 383 bilhões, e possivelmente de até U$ 1.3 trilhão, acrescenta o relatório, de acordo com a CNBC.

Foto: Storm Crypt/Creative Commons

ver este postcomente

Na Inglaterra, milhões são expostos por ano a níveis perigosos de poluição José Eduardo Mendonça - 20/11/2014 às 09:32

poluicao-inglaterra
Condição atinge 95% da população urbana

Milhões de residentes da Inglaterra são expostos por ano a níveis perigosos de poluição, de acordo com o último conjunto de estatísticas oficiais publicado ontem pela Agência Ambiental Europeia.

Também ontem, a Corte Europeia de Justiça julgou que o governo britânico não cumpre as leis de qualidade do ar da União Europeia, e a nova pesquisa revelou que 95% da população urbana do país convive com um nível nocivo de poluentes.

Segundo a agência, embora políticas tenham melhorado a qualidade do ar em geral, a polução ainda é o maior risco ambiental para a saúde, resultando em altos custos para o sistema, trabalhadores enfermos e cerca de 400.00 mortes prematuras na Europa em 2011.

O relatório anual de qualidade do ar coleta dados de estações oficiais de monitoração em toda a Europa. E mostra que quase todos os moradores de cidades são expostos a poluentes em nível considerado arriscado pela organização mundial de saúde.

O poluente mais sério é a matéria particulada, capaz de penetrar profundamente nos pulmões. A exposição de longo prazo a ela foi responsável pela maioria de mortes prematuras na Europa em 2011, e altos níveis de ozônio de solo em curtos episódios levaram também a um número considerável de perdas de vida.

As fontes das partículas incluem geração geotérmica de energia, queima de biomassa ou combustíveis fósseis para aquecimento doméstico e emissões de veículos, informa a Spyghana.

Foto: CARLOS62/Creative Commons/Flickr

ver este postcomente

Mídia social ajuda a estimar a qualidade do ar na China José Eduardo Mendonça - 19/11/2014 às 13:37

Pequenas cidades não contam com estações de monitoramento

Cientistas da computação da Universidade de Wisconsin analisaram posts no Weibo – um serviço semelhante ao Twitter -, a mais popular mídia da China, em 108 cidades, durante mais de 30 dias. Foi examinada também a correlação tempo-espaço entre cidades e dias, pois os picos de poluição cobrem grandes quantidades de território e são duradouros.

Os cientistas rastrearam como as pessoas se queixavam da qualidade do ar, e com quais palavras. O estudo mostrou que o processo pode fornecer exatidão e informação em tempo real ao Índice de Qualidade do Ar, um levantamento amplamente usado dos poluentes mais comuns.

Grandes cidades chinesas têm estações de monitoração para relatá-los, mas isto não acontece nas cidades pequenas, porque os equipamentos são caros e de difícil manutenção. Entre 350.000 e 500.000 chineses morrem prematuramente a cada ano por causa da poluição, estimou um ex-ministro do país em artigo publicado em The Lancet.

Para Shike Mei, um dos autores do estudo, ele é mais do que um mero exercício intelectual. Na área da China Central onde cresceu, há apenas uma estação de monitoração que cobre um território onde vivem 60 milhões de pessoas.

“A província de Anhui, onde nasci, não é muito saudável. Não há informação suficiente sobre poluição e por vezes as pessoas sofrem quando ela é mais pesada. Daí pensamos: como podemos usar uma nova fonte de informação para ajudar as pessoas a entender a severidade da situação?” disse ele.

Os modelos matemáticos do grupo não usaram palavras-chave pré-selecionadas para analisar os textos dos posts. Os pesquisadores desenvolveram  um modelo de aprendizado para atribuir pesos diferentes a posts diferentes, relata o site da Universidade de Wisconsin.

Foto: erhard.renz/Creative Commons

 

ver este postcomente

Planeta Urgente

JOSÉ EDUARDO MENDONÇA

produziu uma série de reportagens pioneiras para o Jornal da Tarde sobre fontes alternativas de energia e, logo depois, indo morar em Londres, tomou contato com o movimento do que se chamava à época conservacionismo - o que se tornou mais tarde ambientalismo. Neste blog, rastreia ações, políticas e o multifacetado pensamento sobre a questão socioambiental pelo mundo. As opiniões expressas nos veículos citados não são de responsabilidade do Planeta Sustentável, embora a divergência entre elas contribua com a dinâmica do debate.

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Planeta Urgente

Arquivos de posts