BLOGS |Gaiatos e Gaianos

Tinta com farinha? Sim, é natural e sem cheiro! Giuliana Capello - 02/04/2013 às 16:32


Depois do recente post sobre reboco de parede com esterco de vaca, compartilho com você outra receita inusitada: uma tinta natural, feita em casa, com panela no fogo, no maior estilo mingau de cereal. A grande vantagem vem do fato de sua fórmula ser 100% natural: é uma tinta inofensiva para a saúde humana e o equilíbrio do planeta. Outro ponto positivo? Vamos lá: ela se baseia em um saber antigo, de povos do Marrocos e regiões adjacentes, que há séculos usam a cal para revestir superfícies lisas como paredes, bancadas de pias e até banheiras.

O nome da técnica é tadelakt, que pode ser executada com algumas variações, dependendo da aplicação e do efeito visual que se deseja obter. Trata-se de uma mistura de elementos naturais (farinha de trigo, argila branca, mica, quartzo e água), que permite revestir superfícies internas com ótimo resultado estético e, ao mesmo, sem comprometer a qualidade do ar interno.

Sabemos que as tintas imobiliárias contêm componentes agressivos à saúde humana, que são gradualmente liberados na atmosfera – também com potencial de geração de impactos ambientais. São os chamados compostos orgânicos voláteis ou COVs. Em geral, as pessoas imaginam que o problema se restringe ao período em que a tinta apresenta cheiro, mas não é bem assim: os COVs continuam sendo emitidos à atmosfera mesmo após a eliminação dos odores do produto, causando problemas para a saúde dos moradores, tais como dores de cabeça, insônia, distúrbios neurológicos, fadiga etc.

Já existem algumas certificações de construção sustentável atentas ao problema, bem como fabricantes se empenhando em reduzir o percentual de COVs em seus produtos. De qualquer forma, buscar alternativas caseiras eficientes, econômicas e saudáveis ajuda a simplificar toda essa história, certo?

Então, vamos à receita de tadelakt:

Grude:

2 partes de farinha de trigo (branca ou integral)
8 partes de água
Em uma panela grande, cozinhe a mistura mexendo sempre, até adquirir consistência de um grude mole (mais ou menos por uns 20 minutos).

Tadelakt:

3 partes de argila branca
1 parte de mica
1 parte de quartzo
1 parte do grude preparado com farinha

Misture tudo em um balde grande e vá adicionando água aos poucos, mexendo bem, até adquirir consistência para aplicar com pincel ou trincha.
Se desejar, você pode acrescentar pigmentos minerais para obter diferentes cores e tonalidades.

Acabamento:

4 potes de pasta para dar brilho em panelas e louças
água

Após a segunda demão de tadelakt, dilua a pasta de brilho em água e, com um borrifador, aplique a mistura sobre a superfície semisseca, usando uma pedra de seixo rolado para alinhar os minerais até deixá-la totalmente lisa. Se for o caso, é possível substituir a pedra por um tecido bem grosso (tipo jeans).

No Marrocos, o tadelakt é muito usado para revestir pias, banheiras e paredes de banheiros. Mas a receita, neste caso, deve incluir 2 partes de cimento branco, 1 parte de argila branca, 1 parte de mica e 1 parte de quartzo. Ao acrescentar água, a mistura deve ficar com consistência pastosa, para ser aplicada com uma espátula.

**

Neste feriado da Páscoa, promovemos aqui na ecovila mais um curso de bioconstrução. Durante a oficina de tadelakt, feita na lavanderia da minha casa e coordenada pelo amigo Angelo (que tem a cozinha de sua casa inteirinha revestida em tadelakt), os participantes me ajudaram a revestir uma parede que precisava de acabamento. Eles aprenderam uma técnica nova e eu fiquei feliz com o trabalho em mutirão que adiantou bastante todo o serviço…

Bioconstrução é isso: construir casas saudáveis para os moradores e para o planeta, com a ajuda dos amigos, usando o que a natureza tem para nos oferecer no lugar onde estamos. E aí? Que tal experimentar?

ver este postcomente
Comentários

02/04/2013 às 17:41 Mirna Nóbrega - diz:

Que legal, Giuliana! Já me peguei pensando como faríamos a pintura da nossa futura casa.

Um dúvida que tenha pensado também é: como fazer a limpeza de casa de uma maneira mais sustentável. Pensei na quantidade de produtos químicos utilizados e se o tratamento da água cinza é suficiente para impactar menos o meio ambiente.

beijos

03/04/2013 às 18:41 Elisabeth - diz:

Oi, Mirna.
Sobre a limpeza da casa posso te dizer que tenho usado apenas vinagre e sabão de coco na minha casas há anos! Óleo de eucalipto ou de pinho é bom para amenizar o cheiro do vinagre, mas só umas gotinhas já dão conta do recado. Bicarbonato de sódio também resolve uma pá de coisas aqui em casa, incluindo tirar cheiro de xixi do colchão da cama das crianças, lavar os cabelos, tirar manchas do tanque, acabar com a festa de cupins e formigas, dor de barriga, desentupir pia, e por aí vai. Vale a pena para fazer a limpeza geral e colaborar com o ambiente, com o planeta! Só de pensar na quantidade de substâncias químicas nocivas que são jogadas diariamente pelo ralo para limpar a casa e a roupa! Nossa! Não vamos fazer isso, não! Há alternativas! Sempre! Basta procurar.
Quanto ao tadelak: amei! Que ideia ótima! Estou para me mudar e já estava pensando em como pintar uma parede. Agora está resolvido. Grata! Um abraço.

03/04/2013 às 22:22 Hilton Fernandes - diz:

Onde posso adquirir os materiais abaixo?
Argila branca
Mica
Quartzo

03/04/2013 às 22:42 Elizabeth - diz:

Eu conheço uma loja de tintas que não tem Cov nas tintas inclusive possui o selo green,é na afectintas 20982961 tatuape legal lá…

04/04/2013 às 12:43 Lara - diz:

Querida Giuliana,
Foi um prazer pintar sua casa!! Fiquei impressionada com o resultado na casa do Angelo.
Obrigada por tudinho e mais um pouco.
Beijos

06/04/2013 às 11:52 ei3 - diz:

Peço licença para esclarecer que as fotos utilizadas são de fato de peças revestidas com Tadelakt, mas que a receita sugerida não é. A receita sugerida guarda semelhanças com a receita das pinturas realizadas pelas mulheres do Novo México; enquanto que o Tadelak é uma técnica de revestimento que atingiu sua arte na região do Marrocos.

07/04/2013 às 00:42 Mirna Nóbrega - diz:

Elizabeth, muito obrigada pelas dicas! Adorei!!
beijos

08/04/2013 às 09:12 Giuliana Capello - diz:

Olá, Hilton,
Sobre onde adquirir os materiais, uma opção é a loja Brasilminas, que fica em Guarulhos, região metropolitana de São Paulo. Eles vendem em quantidades maiores, para uma receita que renda bastante. Boa sorte! Abraço, Giuliana

15/04/2013 às 13:50 mari - diz:

Amei a nova tecnica q veio ao meu conhecimento, pois nao sabia como pintar minha casa com a presença de meu netinho de 3 anos morrando comigo; vou fazer sim. obrigada;

13/05/2013 às 11:52 Luciano - diz:

Esse quartzo e mica, são em pó? O quartzo pode ser esses que se encontra em marmoraria? Alguém de Salvador para me informar onde posso achar esse material nas redondezas?
Grato pelas informações!

13/05/2013 às 16:29 Luciano - diz:

Olá novamente, essa mica por acaso seria a vermiculita? Grato.

19/05/2013 às 21:11 Veronilce - diz:

Olá td bem? Adorei seu blog. Gostaria de saber se posso combater cupins e formigas cortadeiras de maneira ecológica em minha chácara. Ah! e também os marimbondos que insistem em fazer morada dentro da casa existente lá. Obrigada por suas dicas.Abraços

28/06/2013 às 12:34 Rafael Britto - diz:

Oi Giuliana, adorei a tinta, e pretendo pintar o quarto do meu filho que está vindo poraí. Você tem ideia de quantidade. Vou comprar o material da BrasilMinas mas não tenho ideia de quanto.

O quarto é mais ou menos de 4m quadrados.
Agradeço!

28/06/2013 às 17:35 Giuliana Capello - diz:

Rafael, que legal sua disposição em preparar o quarto para o filho que está chegando. Sobre quantidades, talvez seja o caso de comprar o pedido mínimo que eles aceitam, porque costumam vender quantidades grandes. Se for sobrar, você aproveita para dar uma cara nova a outras partes da casa. Outra opção, bem bacana, aliás, é juntar uns amigos e comprar de forma colaborativa. Cada um fica com um pouco e resolve sua demanda, sem gastar muito. Tem sempre alguém precisando pintar um quarto, a sala, a cozinha… Boa sorte pra você, um abraço!

26/07/2013 às 10:33 A casa sustentável é mais barata – parte 04 (ecotintas) | kolmea.blog - diz:

[...] Tinta com farinha? Sim, é natural e sem cheiro! Uma tinta natural, feita em casa, com panela no fogo, no maior estilo mingau de cereal. A grande vantagem vem do fato de sua fórmula ser 100% natural: é uma tinta inofensiva para a saúde humana e o equilíbrio do planeta. Outro ponto positivo? Vamos lá: ela se baseia em um saber antigo, de povos do Marrocos e regiões adjacentes, que há séculos usam a cal para revestir superfícies lisas como paredes, bancadas de pias e até banheiras. O nome da técnica é tadelakt, que pode ser executada com algumas variações, dependendo da aplicação e do efeito visual que se deseja obter. Trata-se de uma mistura de elementos naturais (farinha de trigo, argila branca, mica, quartzo e água), que permite revestir superfícies internas com ótimo resultado estético e, ao mesmo, sem comprometer a qualidade do ar interno. Sabemos que as tintas imobiliárias contêm componentes agressivos à saúde humana, que são gradualmente liberados na atmosfera – também com potencial de geração de impactos ambientais. São os chamados compostos orgânicos voláteis ou COVs. Em geral, as pessoas imaginam que o problema se restringe ao período em que a tinta apresenta cheiro, mas não é bem assim: os COVs continuam sendo emitidos à atmosfera mesmo após a eliminação dos odores do produto, causando problemas para a saúde dos moradores, tais como dores de cabeça, insônia, distúrbios neurológicos, fadiga etc. Já existem algumas certificações de construção sustentável atentas ao problema, bem como fabricantes se empenhando em reduzir o percentual de COVs em seus produtos. De qualquer forma, buscar alternativas caseiras eficientes, econômicas e saudáveis ajuda a simplificar toda essa história, certo? Então, vamos à receita de tadelakt: Grude: 2 partes de farinha de trigo (branca ou integral) 8 partes de água Em uma panela grande, cozinhe a mistura mexendo sempre, até adquirir consistência de um grude mole (mais ou menos por uns 20 minutos). Tadelakt: 3 partes de argila branca 1 parte de mica 1 parte de quartzo 1 parte do grude preparado com farinha Misture tudo em um balde grande e vá adicionando água aos poucos, mexendo bem, até adquirir consistência para aplicar com pincel ou trincha. Se desejar, você pode acrescentar pigmentos minerais para obter diferentes cores e tonalidades. Acabamento: 4 potes de pasta para dar brilho em panelas e louças água [...]

Deixe aqui seu comentário: Preencha os campos abaixo para comentar, solicitar ou acrescentar informações. Participe!

Enviar

Gaiatos e Gaianos

GIULIANA CAPELLO

é jornalista ambiental especializada em construções sustentáveis, guarda-parque, permacultora e autora do livro Meio Ambiente & Ecovilas (Senac São Paulo). É colaboradora das revistas Arquitetura & Construção, Casa Claudia e Bons Fluidos. Formada em design de comunidades sustentáveis, mora na Ecovila Clareando, a 100 km de São Paulo. Sua casa, construída com técnicas de bioconstrução, reflete princípios que adota em seu cotidiano: conexão com a natureza, simplicidade voluntária e consumo responsável. Aqui, conta histórias de quem deixou a cidade grande para viver no campo ao lado de amigos - e tornar a vida mais plena, criativa e sustentável.

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Gaiatos e Gaianos

Arquivos de posts