BLOGS |Gaiatos e Gaianos

Riqueza para além do dinheiro Giuliana Capello - 11/03/2008 às 11:14


Quantas vezes você esbravejou porque não tinha grana para fazer aquela sessão de massagem de que você tanto precisava? Ou as aulas de inglês, o mapa astral, a consulta de I Ching, o curso de danças brasileiras e por aí vai? Pois é, mas quem disse que não dá para conseguir isso tudo sem botar a mão no bolso?

Em muitas ecovilas mundo afora, a comunidade enriquece quando cria oportunidades de trocas não só de produtos feitos pelos moradores (pães, geléias, artesanatos, roupas, marcenaria etc.) mas também de serviços.

Funciona mais ou menos assim: num espaço comunitário (que pode ser o salão de festas, o refeitório, a sala de reuniões ou o entreposto local), prepara-se um mural para as ofertas de serviço. Cada morador reflete sobre suas próprias habilidades e, então, coloca-se à disposição para oferecer algum serviço, em troca de outro. Assim, vai até o mural e deixa um anúncio como esses que a gente vê por aí nos jornais: “Faço massagem ayurvédica” ou “Ofereço aulas de alemão” ou ainda “Que tal aprender a dançar tango?”

Esse tipo de ação solidária gera uma diversidade cultural gigantesca em qualquer comunidade. Num primeiro momento, é curioso notar que nem todas as pessoas oferecem serviços no mural. Por quê? Porque muitas delas não acreditam que têm algo a oferecer. Pode?! Aí existe um trabalho importantíssimo de descoberta de talentos e saberes. A dona-de-casa descobre que seus dotes culinários podem rendem aulas deliciosas de quitutes caseiros. O marceneiro percebe que seu dom de transformar madeira em móveis é desejado por muitas pessoas. O estudante que adora fotografia cria caminhadas fotográficas para ensinar sua arte. A avó que gosta de contar histórias aos netos pode fazer do hobby uma aula divertida.

Percebeu a infinidade de “serviços” que podem aparecer nesse mural? Agora imagine isso no seu condomínio. Quantas vezes você precisou de uma consultoria de um profissional de informática, sem saber que havia um especialista no prédio? Já parou para pensar que ele também já precisou de uma mãozinha para melhorar o inglês e que você poderia ter dado umas aulinhas para ele?

Isso tudo é um processo que, muitas vezes, começa tímido mas vai ganhando corpo e amadurece com o tempo. Nesse ponto, é possível criar uma moeda alternativa para aumentar as possibilidades de trocas. Com ela, você não precisa trocar sua aula de ioga pelo curso de chinês que a sua vizinha lhe ofereceu em troca, mas pode receber dela em moeda alternativa e ir buscar no mural um serviço que seja mais conveniente a você. Deu para entender?

Também é importante não fazer distinção de valores entre os serviços. Aqui, faça o exercício de enxergar que um conhecimento vale tanto quanto qualquer outro. Afinal, quem disse que saber italiano é mais importante ou valioso do que saber preparar uma boa massa de pizza? Ou que consertar um relógio vale mais ou menos do que uma aula de Do-In? Tudo depende do que você pode oferecer e do que quer receber em troca.

No livro “A escola com que sempre sonhei sem imaginar que pudesse existir”, o escritor Rubem Alves relata a experiência da Escola da Ponte, em Portugal. Lá, as crianças não são separadas por turmas, nem por idade, nem por ritmos de aprendizagem. Todas convivem no mesmo espaço e são convidadas a aprender a dosar a liberdade e o espírito comunitário. Lembro-me de ter lido sobre um mural que havia na sala de aula. Nele, cada criança escrevia em que podia ajudar e em que estava precisando de ajuda. Assim, a criança que ia bem em matemática podia oferecer ajuda a um(a) amigo(a), em troca de um apoio nas lições de português. Não é o máximo?

Experimente criar um mural de serviços no seu prédio, na sua vila, na sua escola, no escritório. E se você tem uma família grande, pode se surpreender com a riqueza que vocês conseguem criar juntos – e que vai muito além do dinheiro, pode ter certeza.

Foto: mural de serviços da ecovila de Findhorn, norte da Escócia.

ver este postcomente

Comentários

Não há nenhum comentário. Seja o primeiro!

Deixe aqui seu comentário: Preencha os campos abaixo para comentar, solicitar ou acrescentar informações. Participe!

Enviar

Gaiatos e Gaianos

GIULIANA CAPELLO

é jornalista ambiental especializada em construções sustentáveis, guarda-parque, permacultora e autora do livro Meio Ambiente & Ecovilas (Senac São Paulo). É colaboradora das revistas Arquitetura & Construção, Casa Claudia e Bons Fluidos. Formada em design de comunidades sustentáveis, mora na Ecovila Clareando, a 100 km de São Paulo. Sua casa, construída com técnicas de bioconstrução, reflete princípios que adota em seu cotidiano: conexão com a natureza, simplicidade voluntária e consumo responsável. Aqui, conta histórias de quem deixou a cidade grande para viver no campo ao lado de amigos - e tornar a vida mais plena, criativa e sustentável.

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Gaiatos e Gaianos

Arquivos de posts