BLOGS |Gaiatos e Gaianos

Sim, absorvente ecológico! Giuliana Capello - 02/10/2007 às 10:19


Falando em fraldas, lembrei-me dos absorventes femininos… Fazia tempo que eu andava incomodada com o lixo produzido durante a minha menstruação. Foi então que, há um ano, uma amiga – a Jéssica, de Ubatuba – me mostrou o Abio, absorvente ecológico.

Eu estava na casa dela e do companheiro Guilherme com um grupo de amigos, participando de um mutirão de Permacultura. Em 4 dias, criamos um lago com a água da chuva, plantamos ervas medicinais, montamos uma espiral de ervas, preparamos almoços vegetarianos memoráveis, fizemos uma oficina de papel artesanal, enfim, demos um trato geral no jardim deles e ainda curtimos Itamambuca.

Bom, mas essa é outra história…Voltando ao Abio, num dos intervalos do encontro, a Jéssica reuniu as meninas na sala para falar do tal absorvente ecológico. Foi o maior auê. Teve quem achou o máximo e quem ficou com nojo. Mesmo assim, todas compraram para experimentar.

O Abio é feito de algodão puro, com uma toalhinha dentro que pode ser mais grossa ou mais fina, para se ajustar à intensidade do fluxo menstrual. Tem com várias estampas e aba com fecho para prender na calcinha.

A idéia surgiu entre as mulheres do IPEMA – Instituto de Permacultura da Mata Atlântica, que fica em Ubatuba. No site deles você encontra mais detalhes sobre o Abio, que já está ajudando algumas costureiras da região a incrementar a renda do mês.

Já faz um ano que virei divulgadora da idéia. Nesse período, algumas amigas também adotaram e outras não se adaptaram ao modelo. Mas o fato é que, para mim, o Abio é uma alternativa excelente, mais confortável, não dá alergia, não tem perfume e também não dá trabalho para lavar.

Acredite: é deixar no balde com água de um dia para o outro e depois lavar com sabão de coco. E outra coisa: a água do balde com o sangue menstrual é excelente para irrigar e fertilizar as plantas – quem me garante são os meus amigos agrônomos.

Enfim, quem quiser saber mais, me escreva que eu dou o caminho das pedras. No mais, acho que já dei detalhes demais da minha intimidade…

ver este postcomente

Comentários

23/03/2009 às 00:00 Anonymous - diz:

Flavia Pinto – diz:adorei a ideia do abio. mas me veio a questao da lavagem. quanto ao sabao, por ser sabao de coco nao prejudica tanto o ambiente? é isso? questiono isso, pois tive filho a pouco tempo e falava em nao usar a fralda descartavel devido a produçao de lixo e uma colega me disse que o que eu gastaria com sabao e agua lavando as fraldas de pano causaria o mesmo nivel de dano ao planeta. o que voce sabe sobre isso?

26/03/2009 às 00:00 Anonymous - diz:

Luana – diz:Mas não vaza?

26/03/2009 às 00:00 Anonymous - diz:

Luana – diz:Luana – diz:Mas não vaza?

30/03/2009 às 00:00 Anonymous - diz:

Giuliana – diz:Oi, Flavia, oi, Luana, muito boa lembrança essa história da água e do sabão, Flavia. Eu deveria ter acrescentado ao texto…Mas já foi. É o seguinte: o sabão de coco em é um sabão mais natural, que contém menos produtos químicos agressivos ao ambiente e também ao tecido de algodão, que assim se mantém novinho por mais tempo. Ao deixar o abio de molho, boa parte do sangue menstrual já se soltará do tecido, facilitando a lavagem e, portanto, exigindo menos água no processo com o sabão. Para evitar o gasto com água, você pode ainda armazenar a água de chuva que escorre pelas calhas do seu telhado e usá-la para lavar as roupas. Assim, estará poupando o planeta duas vezes: ao não produzir lixo durante o período menstrual e ao usar a água de maneira racional. Espero tê-la ajudado. Um abraço pra você. Luana, quanto à sua dúvida, o abio vem com dois tipos de toalhinha, para colocar dentro do suporte de tecido (também feito em algodão): uma mais fina e outra mais felpuda, para diferentes intensidades de fluxo. Assim, você adapta o modelo ao seu fluxo e evita o risco de vazamentos…Te ajudei? Um abraço!

30/04/2009 às 16:15 Anonymous - diz:

nara rúbia – diz:achei legal a idéia e tmbm achei super fofo. queria um de oncinha, imaginem que loko.eu só acho que tem um perigo maior de vazar.. ai que medo!Bjo, legal vcs pensarem tão naturalmente sempre priorizando a natureza!BJO BJO!:)nara rubia- firminópolis – GO.

08/06/2009 às 17:22 Anonymous - diz:

Daiana – diz:Olá,Achei maravilhosa esse idéia de absorventes ecológicos.Eu moro no Rio Grande do Sul. Como faço para adquirir esse produto??Abraços

26/01/2010 às 10:20 Anonymous - diz:

Thelma – diz:Gostaria de saber como faço para adquirir esse abio, ou modelo de como fazê-lo, assim estaremos contribuindo com a nossa mãe natureza.Todos me consideram bruxa por ser adepta a coisas naturais, plantas, coisa e tal, e ainda dizem que as faço de cobaias…só que elas gostam!!!Bjs

26/01/2010 às 10:22 Anonymous - diz:

Thelma – diz:Thelma – diz:Gostaria de saber como faço para adquirir esse abio, ou modelo de como fazê-lo, assim estaremos contribuindo com a nossa mãe natureza.Todos me consideram bruxa por ser adepta a coisas naturais, plantas, coisa e tal, e ainda dizem que as faço de cobaias…só que elas gostam!!!Bjs

11/02/2010 às 09:24 Anonymous - diz:

Cristina Aparecida de Oliveira – diz:Bom dia! eu ja havia ouvido falar do absorvente ecológico e amei!!sou super preocupada com nosso querido meio ambiente e afinal faço gestão ambiental, então tudo sugere, certo?rs. Bom, queria saber quanto custa e como faço para comprar.Grata!

13/02/2010 às 23:01 Anonymous - diz:

Laura – diz:Onde eu compro isso????? PS: Eu costumo lavar as calcinhas sujas de menstruação com água oxigenada. É melhor ou pior para o meio ambiente? (Claro que sempre compro em frascos grandes para poupar as embalagens).

21/02/2010 às 16:49 Anonymous - diz:

Silvia Waidlich – diz:Olá Giuliana, adorei esta ídéia e também quero usar.Trabalho com artesanato e gostaria de aprender a costurá-los. Você pode me passar o procedimento? Um abraço.

19/03/2010 às 10:50 Anonymous - diz:

Eneida Schiavon – diz:Se depender de mim, quem inventou isso morre de fome; ou, se isso for adiante, a quantidade imensa de água, água sanitária, sabão em pó que se vai gastar, sem falar no cheiro – caso vc, minha amiga, esteja, por exemplo, em uma reunião de seis horas, ou seminário, ou curso, precise trocar! Especialmente para enormes fluxos menstruais… Em que lugar, minha cara amiga, vc vai guardar??? Na bolsa? Com batons,ou num saquinho plástico??? (sacos plásticos, dizem, embora recicláveis, também agridem o meio ambiente)! Com o perdão da franqueza, péssima ideia – antihigiênica!

19/03/2010 às 14:36 Anonymous - diz:

Diana – diz:É um outro conceito de vida, eu respeito.

07/05/2010 às 00:00 Anonymous - diz:

Denise Nascimento – diz:Que satisfação a vida me dá… sempre colocando pessoas e oportunidades em meu caminho. É com imenso prazer que saúdo você querida amiga desconhecida fisicamente, mas amiga íntima por partilhar a mesma consciência de trabalho e amor pelas mulheres e por Gaya. Gostaria muito de adquirir o produto. Quero divulgar entre minhas clientes. Em breve estarei com turma de curso sobre “massagem TPM” e pedi a deusa que me inspirasse e orientasse para esse trabalho de cura do feminino. aguardo seu contato no meu e-mail. Um grande abraço. Denise.

13/07/2010 às 01:03 Anonymous - diz:

Eneida Schiavon – diz:Vá me desculpar a franqueza, mas essa ideia me fez lembrar o tempo da minha bisavó.Hoje, sinceramente, qto se gastaria de água? E no trabalho? O que a mulher faz? vai guardando os absorventews num saco plástico? Ou não, plástico também deve ser eliminado? A gente fica segurando na mão? Fico me imaginando naquelas intermináveis audiências… fedendo, com a bolsa cheia de absorventes, fedendo, dentro de saquinhos plásticos ou ttecido e, se vazar? Deus!!! francamente, que ideia mais estapafúrdia!

15/08/2010 às 14:57 Anonymous - diz:

Flávia – Arte-Mísia – diz:Meu e-mail: arte.misia@ymail.comBlog http://artemisiafeminina.spaces.live.com/Sou produtora de Bio-Absorventes/Paninhos e importo Moon Cup/Copos da Lua, envio para todo o Brasil.Entrem em contato comigo via e-mail.Utilizo bio-absorventes a bastante tempo e não os troco por nada, vale muito a pena a experiência…Assista o vídeo :http://www.youtube.com/watch?v=mPM31Jn-vW4

13/09/2010 às 22:52 Anonymous - diz:

TANIA LAMARA – diz:Eneida….respeito a sua opinião e as demais, é claro! Mas, lendo seu post, me perguntei: o que faziam as nossas (como vc mesma disse!), bisavós com os absorventes sujos delas? Ou vc acha que aquele tempo não se trabalhava fora? Eu mesma, com 42 anos hoje, usei nos primeiros meses da minha menstruação, pq era isso que minha mãe usava! Logo depois ela começou a comprar pra mim os descartáveis….O que será que faziam? Eis a questão: a gente acostuma com o que é prático, fácil! O que me dizem dos antigos sacos de papel pardo que davam no supermercado qdo a gente fazia compras? Acabou e era tão bom, não era? Pelo menos para o meio-ambiente era perfeito! Quem sabe os velhos hábitos nos tornem responsáveis pela tentativa de salvação do planeta no futuro…..

13/09/2010 às 22:54 Anonymous - diz:

TANIA LAMARA – diz:TANIA LAMARA – diz:Eneida….respeito a sua opinião e as demais, é claro! Mas, lendo seu post, me perguntei: o que faziam as nossas (como vc mesma disse!), bisavós com os absorventes sujos delas? Ou vc acha que aquele tempo não se trabalhava fora? Eu mesma, com 42 anos hoje, usei nos primeiros meses da minha menstruação, pq era isso que minha mãe usava! Logo depois ela começou a comprar pra mim os descartáveis….O que será que faziam? Eis a questão: a gente acostuma com o que é prático, fácil! O que me dizem dos antigos sacos de papel pardo que davam no supermercado qdo a gente fazia compras? Acabou e era tão bom, não era? Pelo menos para o meio-ambiente era perfeito! Quem sabe os velhos hábitos nos tornem responsáveis pela tentativa de salvação do planeta no futuro…..

22/10/2010 às 10:22 Anonymous - diz:

Rose – diz:Com satisfação que te parabenizo pelo conceito eco. Cada um sabe o que lhe convem e, de olho nas alterações de ordem mundial, melhor estarmos preparadas para (se) um dia precisarmos de uma alternativa. Não sabemos o que nos espera num futuro próximo, podemos um dia acordar e as empresas, as lojas, farmácias, simplesmente, não estarem tão disponíveis quanto hoje.

04/08/2011 às 16:53 Anonymous - diz:

Magaly – diz:Oi como faço para adiquirir o meu achei ecelente idéia pois quero preservar a natureza.

10/09/2011 às 00:01 Anonymous - diz:

Laira – diz:Olá! por favor diga-me onde compro aqui em Fortaleza Ce. Quero ve se da certo. bjo

Deixe aqui seu comentário: Preencha os campos abaixo para comentar, solicitar ou acrescentar informações. Participe!

Enviar

Gaiatos e Gaianos

GIULIANA CAPELLO

é jornalista ambiental especializada em construções sustentáveis, guarda-parque, permacultora e autora do livro Meio Ambiente & Ecovilas (Senac São Paulo). É colaboradora das revistas Arquitetura & Construção, Casa Claudia e Bons Fluidos. Formada em design de comunidades sustentáveis, mora na Ecovila Clareando, a 100 km de São Paulo. Sua casa, construída com técnicas de bioconstrução, reflete princípios que adota em seu cotidiano: conexão com a natureza, simplicidade voluntária e consumo responsável. Aqui, conta histórias de quem deixou a cidade grande para viver no campo ao lado de amigos - e tornar a vida mais plena, criativa e sustentável.

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

22/07 - Beleza de verdade vem de dentro

15/07 - Criança é para brincar

08/07 - A falta de água, a Copa e o porvir

01/07 - Como você lida com a sua menstruação?

24/06 - Você, a comunidade e a tal felicidade

10/06 - Por uma revolução mais gentil

03/06 - O dia em que chorei por um rio invisível

27/05 - Aprender a não julgar

20/05 - Dia de compras na ecovila

13/05 - Mulheres na agricultura

06/05 - Cardápio feito pelos vizinhos

29/04 - Mudaram as estações, tudo mudou…

22/04 - Um tico-tico na lavanda

15/04 - Autonomia para cuidar da água

08/04 - A taioba do meu quintal

01/04 - Meu pé de ipê verde

25/03 - Uma porteira para outro mundo

18/03 - A lua, o silêncio e o manjericão

11/03 - As favelas e minha vida na ecovila

06/03 - Orgulho de ser pedreira

25/02 - Deixa o santo de casa fazer milagre!

18/02 - Histórias que vêm do nosso prato

12/02 - A seca, o sistema e o suco de eucalipto

04/02 - Ecovila não pode ser privilégio de rico

28/01 - Vida de cão sem ração

21/01 - É tempo de futebol na ecovila!

15/01 - Falta de natureza já virou doença

07/01 - Qual é a sua comunidade?

17/12 - Feliz com a chegada de novos vizinhos

10/12 - Natal sem poluição publicitária

03/12 - O equívoco das grandes obras

26/11 - O prazer de trabalhar em casa

19/11 - Leitura no ponto de ônibus!

12/11 - Sem vitrines: abstinência ou prazer?

05/11 - Individualismo não é sustentável

29/10 - Uma nova geração a caminho!

22/10 - Que mundo você apoia com suas compras?

15/10 - Simplicidade: arrumou sua cama hoje?

08/10 - Você quer uma casa no campo?

01/10 - Lições de sustentabilidade da vovó

24/09 - Tradição de primavera

17/09 - Desacelere e seja mais feliz

10/09 - Por mais espaços inspiradores

03/09 - Para transcender as leis

27/08 - Natureza, máquinas e ritmos internos

20/08 - Nasci analógica, e agora?

13/08 - Não deixe o trabalho matar sua curiosidade

06/08 - Orgânicos: um luxo ou um direito de todos?

30/07 - Fofocar é sustentável?

23/07 - Hoje o almoço vai ser Panc!

16/07 - Ratos em casa: o que fazer?

10/07 - Vinho de jaca e banana nanica? Noooossa!

02/07 - O inverno e os edifícios doentes

25/06 - Protestos, compras e o amanhã

18/06 - Geração pudim de leite e papel de carta

11/06 - De quintal em quintal

04/06 - Uma viagem 100% sustentável

28/05 - Naná e meus sapatos: uma lição de desapego

21/05 - Para caminhar em tempos difíceis

14/05 - Quer uma vida criativa? Conecte-se à natureza!

07/05 - Pelo fim da capina química nas cidades

30/04 - Que tal virar minimalista?

23/04 - Gratidão: uma chave para o não consumo

16/04 - A insustentável leveza dos tomates chineses

09/04 - Sobre a diferença entre possuir e ter acesso

02/04 - Tinta com farinha? Sim, é natural e sem cheiro!

28/03 - Lições caninas para uma vida mais feliz

19/03 - E dá-lhe esterco no reboco!

12/03 - Abundância é ter chuchu na cerca!

05/03 - Você quer estar ajustado ou ser livre?

26/02 - Menos iPad, mais Aipim!

19/02 - Feliz, sem isso e sem aquilo

13/02 - Você pratica a simplicidade ao fazer as malas?

05/02 - Seu trabalho é sustentável?

29/01 - IPTU verde e o caminho para leis mais simpáticas

22/01 - Privacidade em comunidade

15/01 - Vamos usar mais água de chuva!

08/01 - Reflorestamento na ecovila

18/12 - De onde vem a água que nos abastece?

11/12 - Para viver em paz no campo

04/12 - Você rima simplicidade com vontade?

27/11 - Juá para escovar os dentes?

20/11 - Viva a autonomia cultural!

13/11 - Bioconstrução com sabor de autoestima

06/11 - Bioconstrução: resiliência para todos!

30/10 - Ecovila ou empreendimento imobiliário?

23/10 - Lições de uma ecovila alemã

16/10 - Aprendendo a observar a natureza

09/10 - Desplugada do mundo?

02/10 - Comida orgânica combina com…

25/09 - Beterraba para tingir tecido!

18/09 - Liberdade para experimentar!

12/09 - Bioconstrução de casas e sonhos

04/09 - O design da sustentabilidade

28/08 - O que é uma casa sustentável?

21/08 - Muito além de técnicas ecológicas

14/08 - A horta está no seu prato?

07/08 - Minhocas e kefir: meus novos companheiros

31/07 - Sobre não ter coleta de lixo em casa…

24/07 - Qual é a cara do seu consumo?

17/07 - Ecovilas de portas abertas

10/07 - Tempo enlatado

03/07 - Menos dinheiro para uma vida mais rica

26/06 - Horta limpa: chuva, suor e girassóis

19/06 - Rio+20, umbigos e dilemas pós-modernos

12/06 - Um bife por um mundo melhor?!

05/06 - Ritmo de comunidade

29/05 - Como você cuida de você?

22/05 - Ser limpinho num planeta sujinho?

15/05 - Eu, você e o fim do mundo

08/05 - Esterco, palha e felicidade

01/05 - No compasso da natureza

24/04 - A simplicidade e a crise de imaginário

17/04 - Criança precisa de natureza

10/04 - Dias de mudança e gentilezas!

03/04 - Mudança para a ecovila!

27/03 - Meio ambiente: por que custo e não investimento?

20/03 - A lição básica do lixo

13/03 - Discurso sustentável tem limite

06/03 - A cidade, o campo e a estrela Sinhá

28/02 - A mágica das trocas de saberes

21/02 - Carnaval em comunidade

14/02 - Ideias para esverdear a construção

07/02 - Teste drive do banheiro seco

31/01 - O planeta numa bandeja (de isopor)?

24/01 - Reflexões sobre o slow life e a internet

17/01 - A face feia dos cosméticos

10/01 - Vasos para melhorar o trânsito

03/01 - Primeira virada em casa!

20/12 - 2012: ano para entender o planeta

13/12 - Pratique a observação!

06/12 - Greenbuilding para pássaros

29/11 - Belo Monte, Rachel Carson e minhas velas artesanais

22/11 - O caipira e a mobilidade urbana

15/11 - O que dar a alguém que já tem “tudo”?

08/11 - Pela volta do fogo doméstico

02/11 - O empurrãozinho que faltava…

25/10 - Um lugar em você chamado Ahimsa

19/10 - RPPN El Nagual: cooperação, amizade e inspiração

11/10 - Dez anos de um sonho

04/10 - Você quer ser bom ou justo?

27/09 - É primavera em mim

20/09 - E viva o decrescimento

13/09 - Um guarda-chuva para dois verões

06/09 - E quando não há rede de esgoto?

30/08 - Quem casa quer casa (ecológica!)

23/08 - Se não é divertido, não é sustentável

16/08 - Lunática com muito orgulho

09/08 - Secador solar e generosidade

02/08 - Doze metros de muita história

26/07 - Velhice x terceira idade

19/07 - Infância desplastificada

12/07 - Um dia sem telas

05/07 - Um luxo chamado Tempo

28/06 - Horta de fundo de quintal

21/06 - Liberdade anda junto com sustentabilidade

14/06 - Produtos que não deveriam existir

07/06 - Lixo é uma questão topológica

31/05 - Celebração de blogueira

24/05 - Você e o fim da sacolinha em SP

17/05 - A lição do Ubuntu ancestral

10/05 - Ecovila: no pasto ou na mata nativa?

03/05 - Cada um com seu entulho

26/04 - O descaso com o lixo orgânico

19/04 - Espiritualidade e vida comunitária

12/04 - Produzir ou consumir cultura?

05/04 - Fukushima e você

29/03 - Trocas solidárias que enriquecem

22/03 - Lavar roupas sem sabão!

15/03 - Acordos comunitários para a ecovila

08/03 - O valor de uma árvore

01/03 - A chegada de uma nova vida

22/02 - Por que o simples é tão complicado?

15/02 - Impressões do interior

08/02 - Só tecnologia não salva o planeta

01/02 - Bioconstrução na serra fluminense

25/01 - Um bairro em transição

18/01 - Petrofóbicos e locávoros, uni-vos!

11/01 - Permacultura para transformar

04/01 - Água de chuva, muita chuva…

21/12 - Partida e chegada

14/12 - A nova história dos três porquinhos

07/12 - 365 dias mais ecológicos

30/11 - Maternidade e natureza

23/11 - Livrai-nos dos pecados do greenwashing!

16/11 - Pesadelo de consumo

09/11 - Dias de mudança (e desapego)

02/11 - Sustentável e mais barato, sim!

26/10 - Quem faz a sua comida?

19/10 - Ecovila: mutirão na represa!

12/10 - Cohousing: morar com amigos

05/10 - Esgoto bacana e ecológico

28/09 - Superadobe ou terra ensacada

21/09 - Primavera com onça e lobo-guará!

14/09 - Bioconstrução para multiplicar

08/09 - Feriado unplugged

31/08 - O que é viver bem?

24/08 - Jardim de histórias

17/08 - Por que adoro hortas permaculturais

10/08 - O joio e o trigo

03/08 - Máquinas descartáveis?!?

27/07 - Parques x hidrelétricas

20/07 - Atire bolas de semente!

13/07 - Sobre as boas tradições

06/07 - Precisamos de uma escola!

29/06 - Sobre a formação de uma ecovila

22/06 - Festa junina na ecovila

15/06 - Quando o tamanho é documento

08/06 - Terra fértil e sangue menstrual

02/06 - O tempo de uma casa

25/05 - O centro comunitário da ecovila

18/05 - Tempo para a arte

11/05 - Medicina ecológica?

04/05 - O céu de todos e de cada um

27/04 - Aqui e agora

20/04 - Sabedoria das ervas

13/04 - Qual é a sua sustentabilidade?

06/04 - Privacidade numa comunidade

31/03 - Ecodesign para cuidar do planeta

23/03 - Home centers e produtos ecológicos

16/03 - O valor do silêncio

09/03 - Ecovila com horta… e sem delivery

02/03 - A conta de gasolina na ecovila

23/02 - Patos, galinhas e outros bichos

16/02 - Despedida na ecovila

10/02 - Conectada, finalmente!

02/02 - Menos tv, mais horta

26/01 - O recado das crianças

19/01 - Os pedreiros somos nós!

12/01 - Esperança e cooperação na ecovila

05/01 - O tempo é o novo regente

15/12 - Sobre a proximidade do fim

08/12 - A COP15 e a síndrome do panetone

01/12 - Histórias de uma parteira na Amazônia

24/11 - Multiplicar é muito bom

17/11 - Governança na ecovila

10/11 - Morar em vila…em São Paulo

03/11 - Gestão do lixo na ecovila

27/10 - Ecovila e sustentabilidade econômica

20/10 - Um carro, um jipe ou um cavalo?!

13/10 - Parede de toquinhos

06/10 - Casa com água da chuva

29/09 - Para iluminar a casa e curtir a noite

22/09 - Festa da primavera

15/09 - Uma casa para abrigar nossos sonhos

08/09 - Uma moldura para o horizonte

01/09 - A composteira da minha avó

25/08 - Quando o ecológico não é bem ecológico

18/08 - Tijolos de adobe

11/08 - Não sei se é verdade, mas repasso?!?

04/08 - Por que adoro feiras de trocas

28/07 - Ecovila sem internet?

21/07 - Entre amigos

14/07 - Minha casa num programa de tv…

07/07 - Ah, esse excesso de e-mails…

30/06 - Trabalho de formiguinha

23/06 - Socorro, não aguento mais SP!

16/06 - Para tecer uma vida na ecovila

09/06 - Entre na onda das roupas usadas

02/06 - Mão na massa, sem discursos

26/05 - Mata atlântica: mais que uma efeméride

19/05 - Como construir uma ecovila?

12/05 - O que fazer com a madeira que sobrou?

05/05 - Histórias de reúso, economia e bons amigos

28/04 - Frio na barriga…

21/04 - Mutirão de solo-cimento

14/04 - Encontro de ecovilas!

07/04 - Sua casa pode ser uma ecovila

31/03 - Meu telhado verde, verdinho, verdinho

24/03 - Celebrar ajuda a enfrentar problemas

17/03 - Yoga e sustentabilidade

10/03 - O segredo da abóbora mágica…

03/03 - Dona-de-casa, eu?!?

24/02 - Quanto vale o nosso trabalho?

17/02 - Forno de pizza de barro

10/02 - Meus vizinhos, minha família

03/02 - Mosaico de vidros usados

27/01 - A insustentável mão-de-obra

20/01 - Sorvete de inhame!

13/01 - De que é feita a minha casa?

06/01 - Parede de garrafa?!

16/12 - Composteira de novo!

09/12 - O Natal pode ser ecológico?

02/12 - A alegria de viver em comunidade

25/11 - Infância ecológica

18/11 - Devagar é mais gostoso

11/11 - Mitos e vícios modernos

04/11 - Crise financeira ou chance para o planeta?

28/10 - O que eu vou fazer numa ecovila?

21/10 - Fãs de pau-a-pique

14/10 - Construir com as próprias mãos

07/10 - Parto natural e ecológico

30/09 - Confissão: eu não passo roupas

23/09 - As ecovilas e as mudanças climáticas

16/09 - Slow life: vida mais calma, lenta e confortável

09/09 - Paredes vivas de Cob

02/09 - Dividir para ter mais

26/08 - Tomada de decisão por consenso

19/08 - Simplicidade voluntária

12/08 - Bicho de ecovila

05/08 - Brechó arquitetônico

29/07 - Histórias de João-de-barro

22/07 - Tapioca: regional, gostosa e sustentável

15/07 - Para ter uma composteira caseira

08/07 - Mutirão de telhado verde

01/07 - Malhação para o planeta

24/06 - Minha casa na ecovila

17/06 - Catadores de esperança

10/06 - Água no copinho plástico? Tô fora!

03/06 - Música para sentir a natureza

27/05 - Bioconstrução e desastres naturais

20/05 - Democracia, consenso ou autocracia??

13/05 - Entulho não é lixo!

06/05 - Viva o pequeno agricultor!

28/04 - Educação para o campo

22/04 - Meu bairro, minha cidade

15/04 - Por trás do velho clichê

08/04 - Para construir uma comunidade

01/04 - O prazer das compras solidárias

25/03 - O tempo do sol e da lua

18/03 - Poluição e Arte dentro do túnel

11/03 - Riqueza para além do dinheiro

04/03 - Catadora, com muito orgulho

26/02 - Nós e a natureza, conectados

19/02 - High tech ou low tech?

15/02 - Impressões de uma ecochata (?) na Campus Party

12/02 - Horta vertical para pequenos espaços

05/02 - Receitas naturais para curar a ressaca do carnaval

29/01 - Aprendendo a costurar com a avó

22/01 - Festa infantil não precisa ser descartável!

15/01 - Telhado ou jardim?

08/01 - Consumo verde: tarefa difícil mas necessária

18/12 - Permacultura: do linear ao cíclico

14/12 - Um mergulho na Permacultura

04/12 - Cinco dias com o arquiteto descalço

27/11 - Banheiro seco? Como assim?!

20/11 - Sustentável é também saber ouvir

13/11 - Permacultura: transformando problemaem solução

06/11 - Uma delícia de mutirão

30/10 - O dia em que adotei a Sofia

23/10 - Falta de civilidade é fogo (na mata)!

16/10 - Design natural é tudo de bom!

09/10 - Dividir a lavanderia com o vizinho?!?

02/10 - Abaixo as fraldas descartáveis!

02/10 - Sim, absorvente ecológico!

25/09 - Histórias de uma outra gastronomia

25/09 - Uma outra gastronomia – parte 2

21/09 - Sem carro e sem delivery

18/09 - Por uma dieta que respeite o planeta

11/09 - Minhocas via Sedex

04/09 - Mais adubo e menos lixo

28/08 - Lugar de madeira é…

28/08 - Construtoras precisam se adaptar

24/08 - Seu Zé e as arvrinhas

21/08 - Reunião de condomínio? Não, de ecovila!

14/08 - Disk-pizza e permacultura na geladeira

07/08 - Domingão na feira de trocas

07/08 - Feira de trocas – parte 2

07/08 - Feira de trocas – parte 3

31/07 - Guarda-roupa coletivo espanta o frio

25/07 - Até quando seremos gaiatos?

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Gaiatos e Gaianos

Arquivos de posts