BLOGS |Gaiatos e Gaianos

Sim, absorvente ecológico! Giuliana Capello - 02/10/2007 às 10:19


Falando em fraldas, lembrei-me dos absorventes femininos… Fazia tempo que eu andava incomodada com o lixo produzido durante a minha menstruação. Foi então que, há um ano, uma amiga – a Jéssica, de Ubatuba – me mostrou o Abio, absorvente ecológico.

Eu estava na casa dela e do companheiro Guilherme com um grupo de amigos, participando de um mutirão de Permacultura. Em 4 dias, criamos um lago com a água da chuva, plantamos ervas medicinais, montamos uma espiral de ervas, preparamos almoços vegetarianos memoráveis, fizemos uma oficina de papel artesanal, enfim, demos um trato geral no jardim deles e ainda curtimos Itamambuca.

Bom, mas essa é outra história…Voltando ao Abio, num dos intervalos do encontro, a Jéssica reuniu as meninas na sala para falar do tal absorvente ecológico. Foi o maior auê. Teve quem achou o máximo e quem ficou com nojo. Mesmo assim, todas compraram para experimentar.

O Abio é feito de algodão puro, com uma toalhinha dentro que pode ser mais grossa ou mais fina, para se ajustar à intensidade do fluxo menstrual. Tem com várias estampas e aba com fecho para prender na calcinha.

A idéia surgiu entre as mulheres do IPEMA – Instituto de Permacultura da Mata Atlântica, que fica em Ubatuba. No site deles você encontra mais detalhes sobre o Abio, que já está ajudando algumas costureiras da região a incrementar a renda do mês.

Já faz um ano que virei divulgadora da idéia. Nesse período, algumas amigas também adotaram e outras não se adaptaram ao modelo. Mas o fato é que, para mim, o Abio é uma alternativa excelente, mais confortável, não dá alergia, não tem perfume e também não dá trabalho para lavar.

Acredite: é deixar no balde com água de um dia para o outro e depois lavar com sabão de coco. E outra coisa: a água do balde com o sangue menstrual é excelente para irrigar e fertilizar as plantas – quem me garante são os meus amigos agrônomos.

Enfim, quem quiser saber mais, me escreva que eu dou o caminho das pedras. No mais, acho que já dei detalhes demais da minha intimidade…

ver este postcomente

Comentários

23/03/2009 às 00:00 Anonymous - diz:

Flavia Pinto – diz:adorei a ideia do abio. mas me veio a questao da lavagem. quanto ao sabao, por ser sabao de coco nao prejudica tanto o ambiente? é isso? questiono isso, pois tive filho a pouco tempo e falava em nao usar a fralda descartavel devido a produçao de lixo e uma colega me disse que o que eu gastaria com sabao e agua lavando as fraldas de pano causaria o mesmo nivel de dano ao planeta. o que voce sabe sobre isso?

26/03/2009 às 00:00 Anonymous - diz:

Luana – diz:Mas não vaza?

26/03/2009 às 00:00 Anonymous - diz:

Luana – diz:Luana – diz:Mas não vaza?

30/03/2009 às 00:00 Anonymous - diz:

Giuliana – diz:Oi, Flavia, oi, Luana, muito boa lembrança essa história da água e do sabão, Flavia. Eu deveria ter acrescentado ao texto…Mas já foi. É o seguinte: o sabão de coco em é um sabão mais natural, que contém menos produtos químicos agressivos ao ambiente e também ao tecido de algodão, que assim se mantém novinho por mais tempo. Ao deixar o abio de molho, boa parte do sangue menstrual já se soltará do tecido, facilitando a lavagem e, portanto, exigindo menos água no processo com o sabão. Para evitar o gasto com água, você pode ainda armazenar a água de chuva que escorre pelas calhas do seu telhado e usá-la para lavar as roupas. Assim, estará poupando o planeta duas vezes: ao não produzir lixo durante o período menstrual e ao usar a água de maneira racional. Espero tê-la ajudado. Um abraço pra você. Luana, quanto à sua dúvida, o abio vem com dois tipos de toalhinha, para colocar dentro do suporte de tecido (também feito em algodão): uma mais fina e outra mais felpuda, para diferentes intensidades de fluxo. Assim, você adapta o modelo ao seu fluxo e evita o risco de vazamentos…Te ajudei? Um abraço!

30/04/2009 às 16:15 Anonymous - diz:

nara rúbia – diz:achei legal a idéia e tmbm achei super fofo. queria um de oncinha, imaginem que loko.eu só acho que tem um perigo maior de vazar.. ai que medo!Bjo, legal vcs pensarem tão naturalmente sempre priorizando a natureza!BJO BJO!:)nara rubia- firminópolis – GO.

08/06/2009 às 17:22 Anonymous - diz:

Daiana – diz:Olá,Achei maravilhosa esse idéia de absorventes ecológicos.Eu moro no Rio Grande do Sul. Como faço para adquirir esse produto??Abraços

26/01/2010 às 10:20 Anonymous - diz:

Thelma – diz:Gostaria de saber como faço para adquirir esse abio, ou modelo de como fazê-lo, assim estaremos contribuindo com a nossa mãe natureza.Todos me consideram bruxa por ser adepta a coisas naturais, plantas, coisa e tal, e ainda dizem que as faço de cobaias…só que elas gostam!!!Bjs

26/01/2010 às 10:22 Anonymous - diz:

Thelma – diz:Thelma – diz:Gostaria de saber como faço para adquirir esse abio, ou modelo de como fazê-lo, assim estaremos contribuindo com a nossa mãe natureza.Todos me consideram bruxa por ser adepta a coisas naturais, plantas, coisa e tal, e ainda dizem que as faço de cobaias…só que elas gostam!!!Bjs

11/02/2010 às 09:24 Anonymous - diz:

Cristina Aparecida de Oliveira – diz:Bom dia! eu ja havia ouvido falar do absorvente ecológico e amei!!sou super preocupada com nosso querido meio ambiente e afinal faço gestão ambiental, então tudo sugere, certo?rs. Bom, queria saber quanto custa e como faço para comprar.Grata!

13/02/2010 às 23:01 Anonymous - diz:

Laura – diz:Onde eu compro isso????? PS: Eu costumo lavar as calcinhas sujas de menstruação com água oxigenada. É melhor ou pior para o meio ambiente? (Claro que sempre compro em frascos grandes para poupar as embalagens).

21/02/2010 às 16:49 Anonymous - diz:

Silvia Waidlich – diz:Olá Giuliana, adorei esta ídéia e também quero usar.Trabalho com artesanato e gostaria de aprender a costurá-los. Você pode me passar o procedimento? Um abraço.

19/03/2010 às 10:50 Anonymous - diz:

Eneida Schiavon – diz:Se depender de mim, quem inventou isso morre de fome; ou, se isso for adiante, a quantidade imensa de água, água sanitária, sabão em pó que se vai gastar, sem falar no cheiro – caso vc, minha amiga, esteja, por exemplo, em uma reunião de seis horas, ou seminário, ou curso, precise trocar! Especialmente para enormes fluxos menstruais… Em que lugar, minha cara amiga, vc vai guardar??? Na bolsa? Com batons,ou num saquinho plástico??? (sacos plásticos, dizem, embora recicláveis, também agridem o meio ambiente)! Com o perdão da franqueza, péssima ideia – antihigiênica!

19/03/2010 às 14:36 Anonymous - diz:

Diana – diz:É um outro conceito de vida, eu respeito.

07/05/2010 às 00:00 Anonymous - diz:

Denise Nascimento – diz:Que satisfação a vida me dá… sempre colocando pessoas e oportunidades em meu caminho. É com imenso prazer que saúdo você querida amiga desconhecida fisicamente, mas amiga íntima por partilhar a mesma consciência de trabalho e amor pelas mulheres e por Gaya. Gostaria muito de adquirir o produto. Quero divulgar entre minhas clientes. Em breve estarei com turma de curso sobre “massagem TPM” e pedi a deusa que me inspirasse e orientasse para esse trabalho de cura do feminino. aguardo seu contato no meu e-mail. Um grande abraço. Denise.

13/07/2010 às 01:03 Anonymous - diz:

Eneida Schiavon – diz:Vá me desculpar a franqueza, mas essa ideia me fez lembrar o tempo da minha bisavó.Hoje, sinceramente, qto se gastaria de água? E no trabalho? O que a mulher faz? vai guardando os absorventews num saco plástico? Ou não, plástico também deve ser eliminado? A gente fica segurando na mão? Fico me imaginando naquelas intermináveis audiências… fedendo, com a bolsa cheia de absorventes, fedendo, dentro de saquinhos plásticos ou ttecido e, se vazar? Deus!!! francamente, que ideia mais estapafúrdia!

15/08/2010 às 14:57 Anonymous - diz:

Flávia – Arte-Mísia – diz:Meu e-mail: arte.misia@ymail.comBlog http://artemisiafeminina.spaces.live.com/Sou produtora de Bio-Absorventes/Paninhos e importo Moon Cup/Copos da Lua, envio para todo o Brasil.Entrem em contato comigo via e-mail.Utilizo bio-absorventes a bastante tempo e não os troco por nada, vale muito a pena a experiência…Assista o vídeo :http://www.youtube.com/watch?v=mPM31Jn-vW4

13/09/2010 às 22:52 Anonymous - diz:

TANIA LAMARA – diz:Eneida….respeito a sua opinião e as demais, é claro! Mas, lendo seu post, me perguntei: o que faziam as nossas (como vc mesma disse!), bisavós com os absorventes sujos delas? Ou vc acha que aquele tempo não se trabalhava fora? Eu mesma, com 42 anos hoje, usei nos primeiros meses da minha menstruação, pq era isso que minha mãe usava! Logo depois ela começou a comprar pra mim os descartáveis….O que será que faziam? Eis a questão: a gente acostuma com o que é prático, fácil! O que me dizem dos antigos sacos de papel pardo que davam no supermercado qdo a gente fazia compras? Acabou e era tão bom, não era? Pelo menos para o meio-ambiente era perfeito! Quem sabe os velhos hábitos nos tornem responsáveis pela tentativa de salvação do planeta no futuro…..

13/09/2010 às 22:54 Anonymous - diz:

TANIA LAMARA – diz:TANIA LAMARA – diz:Eneida….respeito a sua opinião e as demais, é claro! Mas, lendo seu post, me perguntei: o que faziam as nossas (como vc mesma disse!), bisavós com os absorventes sujos delas? Ou vc acha que aquele tempo não se trabalhava fora? Eu mesma, com 42 anos hoje, usei nos primeiros meses da minha menstruação, pq era isso que minha mãe usava! Logo depois ela começou a comprar pra mim os descartáveis….O que será que faziam? Eis a questão: a gente acostuma com o que é prático, fácil! O que me dizem dos antigos sacos de papel pardo que davam no supermercado qdo a gente fazia compras? Acabou e era tão bom, não era? Pelo menos para o meio-ambiente era perfeito! Quem sabe os velhos hábitos nos tornem responsáveis pela tentativa de salvação do planeta no futuro…..

22/10/2010 às 10:22 Anonymous - diz:

Rose – diz:Com satisfação que te parabenizo pelo conceito eco. Cada um sabe o que lhe convem e, de olho nas alterações de ordem mundial, melhor estarmos preparadas para (se) um dia precisarmos de uma alternativa. Não sabemos o que nos espera num futuro próximo, podemos um dia acordar e as empresas, as lojas, farmácias, simplesmente, não estarem tão disponíveis quanto hoje.

04/08/2011 às 16:53 Anonymous - diz:

Magaly – diz:Oi como faço para adiquirir o meu achei ecelente idéia pois quero preservar a natureza.

10/09/2011 às 00:01 Anonymous - diz:

Laira – diz:Olá! por favor diga-me onde compro aqui em Fortaleza Ce. Quero ve se da certo. bjo

07/07/2014 às 23:00 Anelise - diz:

Oi gostaria de saber como faço para adquirir…

05/08/2014 às 11:26 Rosana Wardil - diz:

Nível de consciência e bom senso regem a escolha de uma vida alternativa de sustentabilidade. Tenho certeza de que cada um de nós somos agentes transformadores. Façamos a nossa parte.

15/09/2014 às 20:49 janaína rodrigues marçola - diz:

Oi gostaria de saber mais sobre o absorvente ecologico e onde comprar poderia me dar o e-mail de vendas bjs……

24/09/2014 às 14:48 silvana - diz:

Boa tarde
Anoyumos
Gostaria muito de comprar esse produto achei muito interessante,pos os absorventes que uso ,me assa.machuca .Quero experimentar o bio Teria que comprar dois ,enquanto uso um outro eu lavo <como faço para obter,ja tentei varios saite e nada consegui para comprar,o preço.Gostaria muito que me ajuda-se obter esse produto;Essa vai ser minha ultima tentativa de obter,pois passam saites que não existe,To faz tempo tentando
Agradeço desde ja
Abraços
Silvana

P.s Falam tanto do produto no saite e nao dão a opçao de compra-lo muito estranho

01/12/2014 às 06:33 Berenice Maria Sauthier - diz:

Gostaria de saber mais a respeito. Por exemplo: onde e como encontrar, valor para adquirir, forma de uso.. Agradeço e aguardo resposta. Um abraço.

Deixe aqui seu comentário: Preencha os campos abaixo para comentar, solicitar ou acrescentar informações. Participe!

Enviar

Gaiatos e Gaianos

GIULIANA CAPELLO

é jornalista ambiental especializada em construções sustentáveis, guarda-parque, permacultora e autora do livro Meio Ambiente & Ecovilas (Senac São Paulo). É colaboradora das revistas Arquitetura & Construção, Casa Claudia e Bons Fluidos. Formada em design de comunidades sustentáveis, mora na Ecovila Clareando, a 100 km de São Paulo. Sua casa, construída com técnicas de bioconstrução, reflete princípios que adota em seu cotidiano: conexão com a natureza, simplicidade voluntária e consumo responsável. Aqui, conta histórias de quem deixou a cidade grande para viver no campo ao lado de amigos - e tornar a vida mais plena, criativa e sustentável.

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Gaiatos e Gaianos

Arquivos de posts