BLOGS |Blog da Redação

“Adote uma Ponte” quer mais segurança para ciclistas e pedestres de SP Marina Maciel - 18/09/2014 às 19:00

adote-uma-ponte-quer-melhorar-segurança-ciclistas-pedestres

Ponto para a cidade de São Paulo, em mobilidade urbana, pela ampliação das ciclovias! Até o final de 2015, a meta é chegar a 400 km de rotas para bicicletas. Porém, ciclistas têm encontrado alguns obstáculos no ir e vir diário: pontes e viadutos. Sem faixas exclusivas, resta a quem anda de bike se arriscar em meio aos carros, ônibus, motos e caminhões circulando em alta velocidade.

Pensando nisso, a Ciclocidade* (Associação dos Ciclistas Urbanos de São Paulo) lançou campanha, chamada Adote uma Ponte*, para mobilizar a população a cobrar melhorias de segurança dessas travessias por meio de sinalização adequada, além de manutenção de calçadas, iluminação pública e paisagismo.

O projeto funciona assim: uma pessoa “adota” voluntariamente qualquer ponte ou viaduto da cidade e se compromete a produzir textos, vídeos e/ou fotos que revelem as condições de circulação de pessoas sem carro – sejam ciclistas, pedestres, cadeirantes ou outros usuários de veículos sem motor, como carrinhos de transporte de carga – nesses lugares.

Ficou interessado em participar? Basta navegar pelo mapa colaborativo, abaixo, escolher uma ponte ou viaduto e fazer registro:


Ver Mapa colaborativo das pontes de São Paulo num mapa maior

Ao final da campanha, todo o material produzido será entregue às autoridades para que os problemas sejam solucionados.

Aproveite para assistir ao vídeo de divulgação do projeto:

*Ciclocidade
*Adote uma Ponte

Leia também:
Aplicativo mapeia ciclovias e pontos de aluguel de bicicletas em SP
Presidente do Egito pede que população caminhe e use mais bicicleta
Elly Blue: ″EUA podem aprender com Brasil sobre mobilidade″

Foto: tcnbaggins/Creative Commons/Flickr

ver este postcomente

Hamburgo, na Alemanha, quer tirar carros das ruas em 20 anos Débora Spitzcovsky - 12/02/2014 às 16:29

hamburgo-alemanha-tirar-carros-rua

A prefeitura de Hamburgo começou 2014 decidida a acabar com a dependência de carros para se locomover pela cidade, que é considerada a segunda maior da Alemanha. A promessa veio junto com o lançamento oficial do plano Grünes Netz (Rede Verde, em português).

O que ele propõe para se livrar dos automóveis? Nada muito mirabolante, acredite! A ideia do governo hamburguês é, na verdade, bem simples: ampliar as áreas verdes do município – desde parques e jardins comunitários até cemitérios – e, simultaneamente, construir ciclovias e passeios para pedestres que interliguem todos esses locais.

Assim, quando for concluído, em no máximo 20 anos, o plano Grünes Netz garantirá que os moradores da cidade não precisem tirar o carro da garagem para se locomover. Apenas se, realmente, fizerem questão – e, para o governo, os alemães são apaixonados demais por magrelas para desperdiçar a oportunidade de pedalar de um destino a outro, caso realmente tenham essa possibilidade.

Ainda que o plano de extinguir os carros das ruas não seja 100% bem-sucedido, a cidade de Hamburgo só tem a ganhar com o plano Grünes Netz. Afinal, áreas verdes e ciclovias nunca são demais nas áreas urbanas. Bem que o governo brasileiro poderia ter começado o ano assim, animado, como os alemães, não?      

Foto: Prefeitura de Hamburgo/LGV

Leia também:
Não dá mais para ir de carro
Mackinac Island, uma cidade sem carros
Dez soluções para reduzir o trânsito
Livro mostra como morar em São Paulo sem usar carro 
Para eles, todo dia é Dia Mundial Sem Carro
Quais as vantagens de uma cidade com menos carros?
Troque o carro pela bicicleta

ver este postcomente

London Garden Bridge: recanto verde atravessará rio Tâmisa Jéssica Miwa - 04/02/2014 às 09:51

london-garden-bridge_03

No mês passado, Londres ganhou a maior ponte solar do mundo, uma das 34 opções de travessia do rio Tâmisa que teve 70 km de extensão restaurado durante cinco anos por meio de 393 projetos.  E os projetos para torná-la uma cidade cada vez mais humana e sustentável incluem mais uma ponte: os londrinos, agora sonham com um recanto verde para pedestres chamado Garden Bridge.

A ideia é da atriz e ativista britânica Joanna Lumley e o projeto assinado pelo designer britânico Thomas Heatherwick – conhecido pela criação da pira dos Jogos Olímpicos de 2012.

Com 367 metros de extensão, a nova ponte servirá não só como um jardim público, como também unirá a estação de metrô Temple ao South Bank, um dos bairros mais famosos e queridos ao longo do Tâmisa onde está a London Eye, grande roda-gigante que é ícone da cidade.

O horticultor responsável pelo projeto, Dan Pearson, quer criar um espaço que mude de acordo com as estações do ano. Além de proporcionar uma caminhada agradável, a ponte ligará duas partes de Londres pouco acessíveis para pedestres.

As obras estão previstas para o ano que vem. Isto é, se a organização conseguir arrecadar o dinheiro necessário para a construção do novo espaço público, orçado em 150 milhões de libras, o equivalente a R$ 594 milhões.

Se depender dos britânicos, isso não será um problema! Segundo o jornal The Independent, metade da grana já foi arrecadada por meio de doações privadas. Além disso, £4 milhões foram doados pelo órgão responsável pelo transporte público de Londres e £30 milhões da verba de infraestrutura para a cidade também terão o mesmo destino.

Abaixo, mais imagens da nova ponte londrina. E, no site do projeto,  assista a vídeo narrado por Joanna Lumley, que apresenta o projeto da Garden Bridge em detalhes.

london-garden-bridge_05 

london-garden-bridge_04 

london-garden-bridge_06 

london-garden-bridge_02

 

Leia também: 
Londres inaugura a maior ponte solar do mundo
Viu a mega parede viva que brotou em Londres?
Projeto quer transformar antiga ponte em condomínio
Antigos contêineres marítimos viram ponte em parque de Israel
Cidade inglesa é tomada por hortas que oferecem alimentos gratuitos a seus moradores

 

Foto: Reprodução/Divulgação

ver este postcomente

Blog da Redação

A redação do PLANETA SUSTENTÁVEL é um encontro de pessoas envolvidas com um grande desafio: trabalhar a sustentabilidade como um tema urgente, transversal e inspirador, tradutível em múltiplas linguagens e necessário para os diversos públicos. Aqui, a editora Mônica Nunes, as repórteres Marina Maciel Vanessa Daraya e a jornalista Suzana Camargo (que colabora com o Planeta desde 2009) indicam lugares imperdíveis da web e contam novidades e boas histórias sobre cultura, sociedade, meio ambiente, cidadania, mudanças climáticas, mobilidade, inovação, direitos humanos, economia verde e muito mais.

Mônica NunesEditora/Gerente de Conteúdo

Marina MacielRepórter

Suzana CamargoColaboradora

Vanessa DarayaRepórter

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Blog da Redação

Arquivos de posts