BLOGS |Blog da Redação

Sem reforma na rodovia? Sem sexo! Jéssica Miwa - 30/10/2013 às 16:00

grece-de-sexo-na-colombia-por-melhores-rodovias

Essa história de greve de sexo não é de hoje! A inspiração vem da Grécia Antiga. O dramaturgo Aristófanes, que viveu de 447 a.C. a 385 a.C, escreveu a comédia Lisístrata, na qual a protagonista ateniense liderava mobilização semelhante para acabar com a Guerra do Peloponeso.

Em 2011 – ou seja, milênios depois –, em um pequeno vilarejo da Colômbia chamado Barbacoas, mulheres se recusaram a dormir com seus companheiros até que a rodovia mais importante do local, a única que permite acesso ao resto do país, seja melhorada.

Devido às péssimas condições da estrada, a viagem para o hospital mais próximo pode levar até 14 horas! Como se pode imaginar, acidentes acontecem constantemente e pessoas morrem no caminho – inclusive mulheres grávidas.

Perplexas com o descaso das autoridades, as moradoras da cidade se mobilizaram para transformar essa situação: sem segurança na rodovia, sem sexo! Estava criado o Movimento das Pernas Cruzadas.

Foram 109 dias de greve e, apesar das promessas políticas, nada foi resolvido. Por isso, este ano o movimento voltou com força. E parece estar funcionando. Segundo John Otis, jornalista de Bogotá, os engenheiros responsáveis pela obra anunciaram o início da reforma: até escavadeiras foram vistas no local.

Quem sabe essa iniciativa inspira os colombianos a melhorar as estradas do país inteiro. Sim, esse problema não é privilégio dos moradores de Barbacoas: a falta de infraestrutura é muito comum na Colômbia por causa da geografia local e, também, das guerras que acontecem há décadas, tornando a construção e a manutenção de qualquer estrada quase impossíveis.

Fonte: Huffingtonpost

Foto: Wikimedia Commons

Leia também:
Viver sem gastar é possível? Família alemã faz greve de dinheiro há três anos em protesto contra consumo excessivo
“Greve” de Matt Damon amplia campanha pela água até 22/03

ver este postcomente

Bill Gates oferece até US$ 1 milhão para inventores de camisinhas que aumentam prazer sexual Débora Spitzcovsky - 28/10/2013 às 09:00

camisinha-mais-prazer-bill-gates-incentivo-uso

Quer fazer o bem e, de quebra, ficar milionário? Então, comece a pensar agora em uma maneira de desenvolver camisinhas que “aumentem ou preservem significativamente o prazer”. O magnata norte-americano Bill Gates, fundador da Microsoft, está oferecendo até US$ 1 milhão por elas.

Por quê? Ao redor do mundo, os índices de uso de camisinha estão despencando e, para Gates, a rejeição pouco tem a ver com falta de informação ou questões religiosas. O problema estaria na “falta de modernidade” dos preservativos, que desde a década de 1960 não tiveram nenhuma mudança considerável na sua forma de produção – ou seja, estão ultrapassados.

O fundador da Microsoft considera legítimas as reclamações de que as camisinhas diminuem o prazer nas relações sexuais e podem comprometer a ereção masculina – embora considere seu uso necessário –, por isso, quer dar sua contribuição à causa incentivando a pesquisa de preservativos que garantam maior prazer sexual.

A iniciativa faz parte do programa Grand Challenges Explorations, da Fundação Bill & Melinda Gates. Até 12/11, qualquer pessoa que tenha uma boa ideia para desenvolver camisinhas mais prazerosas – e, consequentemente, incentivar seu uso – pode se inscrever no desafio. Os projetos selecionados pela organização têm apoio inicial de US$ 100 mil, mas se forem bem-sucedidos podem concorrer a financiamentos adicionais de até US$ 1 milhão. É ou não é um bom incentivo para colocar os neurônios pra funcionar e ter uma boa ideia?

No Brasil, a invenção seria de grande valia. Pesquisa feita pelo Ministério da Saúde, em 2013, revelou que menos da metade da população sexualmente ativa usa preservativo nas relações com parceiros casuais, ficando exposta a uma série de doenças e à gravidez indesejada.

Imagem: asleeponasunbeam/Creative Commons

Leia também:
Roupas feitas com camisinhas furadas disseminam prevenção à Aids 
Usar camisinha pode salvar espécies ameaçadas 
Médica sulafricana distribui camisinhas antiestupro na Copa

ver este postcomente

Casal viaja Brasil de carro para ‘caçar’ projetos sociais Jéssica Miwa - 23/10/2013 às 08:00

cacadores-de-bons-exemplos

Vender a casa própria, pedir demissão e ir atrás de um sonho. Você teria coragem? Foi o que Eduardo e Iara Xavier fizeram. Sem experiência de grandes aventuras, em janeiro de 2011 o casal largou a vida pacata em Divinópolis, interior de Minas Gerais, para viajar sobre quatro rodas Brasil afora em busca de projetos sociais.

Sem patrocínio ou qualquer incentivo financeiro, o objetivo do casal é descobrir o que move quem faz o bem. Deixaram o materialismo de lado e decidiram conviver com pessoas que pensam no coletivo.

Crentes de que existem mais ações positivas do que negativas no mundo, o casal visitou 21 estados e percorreu 162 mil km para conhecê-las. Durante 33 meses de estrada, os administradores de empresas já enfrentaram muita lama, pó, buracos e piadas pelo caminho. Mesmo assim, Eduardo e Iara não desanimam.

Mais de 750 projetos já foram identificados. O método? É simples: percorrer ruas das cidades e abordar pessoas para indicar bons exemplos. Nada de ‘jogar no Google’! A prática, porém, não é tããão simples assim: ao anoitecer é preciso sair à procura de local para estacionar e passar a noite, normalmente próximo de postos de gasolina.

Para que as iniciativas fossem bem divulgadas, os Caçadores de Bons Exemplos, como ficaram conhecidos, criaram um site* (e uma fã page no Facebook) que, além de servir como instrumento de divulgação de iniciativas inspiradoras do Brasil, é um verdadeiro banco de dados para a rede do bem.

Apesar da vontade de parar e ajudar diversos projetos que conheceram, abastecer a rede do bem, segundo Iara, é o papel deles. Ao incentivar esse intercâmbio, as pessoas acabam tendo mais ideias sobre como solucionar problemas.

Depois de dois anos e meio, a viagem continua insuficiente para saciar a sede do casal. Planos para o futuro? Vender o carro – pois o dinheiro da casa já está quase extinto – e seguir com mochilas nas costas… a pé! E, já que o Brasil está se tornando pequeno demais para tamanha aventura, Iara e Eduardo pretendem embarcar – sem roteiros – para o exterior até 2014.

Para casa, em Divinópolis, interior de Minas Gerais, só pretendem retornar no ano de 2015 – com uma bagagem que, sem dúvidas, não caberá em lugar nenhum.

cacadores-de-bons-exemplos_2

*Caçadores de Bons Exemplos
*Página no Facebook

ver este postcomente

Blog da Redação

A redação do PLANETA SUSTENTÁVEL é um encontro de pessoas envolvidas com um grande desafio: trabalhar a sustentabilidade como um tema urgente, transversal e inspirador, tradutível em múltiplas linguagens e necessário para os diversos públicos. Aqui, a editora Mônica Nunes, as repórteres Marina Maciel Vanessa Daraya e a jornalista Suzana Camargo (que colabora com o Planeta desde 2009) indicam lugares imperdíveis da web e contam novidades e boas histórias sobre cultura, sociedade, meio ambiente, cidadania, mudanças climáticas, mobilidade, inovação, direitos humanos, economia verde e muito mais.

Mônica NunesEditora/Gerente de Conteúdo

Marina MacielRepórter

Suzana CamargoColaboradora

Vanessa DarayaRepórter

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Blog da Redação

Arquivos de posts