BLOGS |Blog da Redação

Campanha contra uso de animais em testes de cosméticos choca ao maltratar mulher Débora Spitzcovsky - 23/05/2012 às 09:00

Jacqueline Traide, de 24 anos, passou 10 horas trancada em uma vitrine, localizada em uma das mais movimentadas ruas de Londres, sendo torturada por um pesquisador. Por que ninguém fez nada? O abuso foi consentido, já que Jacqueline se candidatou para ser voluntária da campanha Fighting Animal Testing*, da Humane Society International (HSI)*, que pretende chamar a atenção dos consumidores para os maus-tratos cometidos contra animais no processo de produção de cosméticos.

A modelo sofreu diversas agressões, que podiam ser vistas por qualquer um que passava em frente à vitrine: o cabelo de Jacqueline foi raspado, ela foi forçada a comer, teve a boca esticada por um aparelho de metal e líquidos e cremes foram aplicados em sua pele e olhos.

A ação, claro, chocou a todos e era exatamente esse o objetivo da HSI: mostrar aos cidadãos que torturas semelhantes são cometidas, todos os dias, contra animais nos laboratórios das empresas que fabricam cosméticos – aqueles que a maioria de nós leva para casa sem se preocupar em como são fabricados

Além de pedir o consumo mais consciente deste tipo de artigo, a campanha pretende coletar o maior número possível de assinaturas para tentar acabar com o uso de animais em testes de produtos de beleza produzidos nos países da União Europeia. Simpatiza com a causa? Então, assine a petição online da Fighting Animal Testing.

*Fighting Animal Testing  
*HSI

Foto: Mark Large/HSI

Leia também:
Cientistas deverão justificar uso de animais em pesquisas 
Orcas processam SeaWorld por trabalho escravo, mas perdem ação
Animais de produção são os que mais sofrem maus-tratos 
Contra tráfico de animais, ONG prende pessoas em elevador 
Como são feitos os testes de laboratório em animais? 
Um futuro melhor para os animais

ver este postcomente

Movimento Crie Futuros lança livro para inspirar líderes da Rio+20 Marina Franco - 21/05/2012 às 13:12


Bolsa de valores culturais; roupa que protege corpo e alma; agricultura comunitária; catadores de lixo que propagam conhecimento; exterminador de fumaça do carro. Essas são algumas das ideias postadas na plataforma do movimento internacional Crie Futuros, que tem o objetivo de imaginar futuros desejáveis para os próximos anos.

O exercício de imaginar o futuro que queremos é, também, a proposta da Rio+20, a Conferência das Nações Unidas sobre Desenvolvimento Sustentável, que será realizada em junho, no Rio de Janeiro. Por isso, o Crie Futuros planeja lançar o livro Desejável Mundo Novoem português e inglês – que reunirá, com bastante humor, futuros que inspiram estilos de vidas sustentáveis para 2050, que foram pensados por pessoas, redes e instituições de nove países em encontros presenciais ou no Wikifuturos, espaço no site do movimento. Aproveite e dê uma olhada nas ideias que estão lá*!

O Crie Futuros, que é coordenado por Lala Deheinzelin, especialista em economia verde, está no Catarse, plataforma de financiamento coletivo, para receber apoio para imprimir e distribuir o livro a, pelo menos, 350 líderes da Rio+20. Se conseguir mais apoio além da meta de R$ 18 mil, o movimento pretende atingir mais lideranças e realizar oficinas durante o evento da ONU.

No vídeo abaixo, Lala explica mais sobre o projeto e instiga seu apoio com a pergunta “Vamos criar futuros desejáveis?”:

*Crie Futuros

Leia também:
Catarse: financie seus projetos colaborativamente
Vaquinha online

Imagem: Reprodução

ver este postcomente

Quanto lixo você deixa de produzir ao usar uma garrafa reutilizável? Descubra com a 999Bottles Débora Spitzcovsky - 18/05/2012 às 09:00

Quer saber a quantidade de lixo que você deixa de gerar ao optar por beber água em uma garrafa reutilizável, ao invés de uma de plástico descartável? Ou, ainda, descobrir a quantidade de recursos naturais que você ajuda a poupar ao adotar essa postura? Idealizada pelo designer norte-americano Ferd van Engelen, a 999Bottles tem as respostas para todas essas perguntas.

Feita com aço inoxidável, a garrafa reutilizável possui três anéis numéricos que permitem que o usuário contabilize quantas vezes ao dia ele enche de água sua 999Bottles – e, consequentemente, a quantidade de garrafas plásticas que deixa de consumir. O nome do objeto não é à toa: por possuir três anéis numéricos, a garrafa só permite contar até 999. Depois, a contagem volta para o zero.

Depois, para descobrir os ganhos ambientais que o número de garrafas plásticas economizadas representa, basta baixar o aplicativo para iPhone 999Bottles. O app informa a quantidade de petróleo que o usuário da garrafa reutilizável ajudou a economizar e, também, a quantidade de lixo poupado. O aplicativo ainda faz comparações. Por exemplo: encher a 999Bottle 1.603 vezes significa deixar de produzir uma quantidade de resíduos que, empilhados, teriam uma altura equivalente à da Torre Eiffel.

Por enquanto, a 999Bottles ainda não está disponível no mercado. Para que a nova garrafa reutilizável seja vendida ao consumidor, o designer Ferd van Engelen precisa de capital, que ele quer conseguir por meio de crowdfundingou financiamento coletivo. O produto está anunciado no Kickstarter e van Engelen tem até 22/06 para angariar $99,999.

Assista, abaixo, ao vídeo do designer explicando um pouco mais sobre a 999Bottle.

Foto: Divulgação/999Bottles

Leia também:
Para onde vão as garrafas plásticas? 
Enquanto isso, a garrafa PET…   
Escola na Ásia é construída com garrafas PET   
Água na Jarra: o fim das garrafinhas plásticas

ver este postcomente

Blog da Redação

A redação do PLANETA SUSTENTÁVEL é um encontro de pessoas envolvidas com um grande desafio: trabalhar a sustentabilidade como um tema urgente, transversal e inspirador, tradutível em múltiplas linguagens e necessário para os diversos públicos. Aqui, a editora Mônica Nunes, as repórteres Marina Maciel Vanessa Daraya e a jornalista Suzana Camargo (que colabora com o Planeta desde 2009) indicam lugares imperdíveis da web e contam novidades e boas histórias sobre cultura, sociedade, meio ambiente, cidadania, mudanças climáticas, mobilidade, inovação, direitos humanos, economia verde e muito mais.

Mônica NunesEditora/Gerente de Conteúdo

Marina MacielRepórter

Suzana CamargoColaboradora

Vanessa DarayaRepórter

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Blog da Redação

Arquivos de posts