BLOGS |Blog da Redação

Roupas de fibras naturais e placas solares para corridas e caminhadas Marina Franco - 25/04/2012 às 12:32


Estudantes da Universidade de Colorado, nos Estados Unidos, estão desenvolvendo uma série de roupas feita de fibra natural e capaz de carregar pequenos aparelhos eletrônicos. A ideia é fabricar modelos duráveis, confortáveis e estilosos para ser usados em corridas e caminhadas ao ar livre.

O projeto, coordenado por pesquisadores do Departamento de Design da universidade*, é considerado único porque alia tecidos naturais – como algodão ou linho, ao invés daqueles derivados do petróleo – e placas solares, para armazenar energia do Sol e abastecer os gadgets de quem a está usando. Até então as roupas equipadas com placas solares de que se tinha notícia não tinham o apelo fashion. Afinal, os painéis são feios e volumosos, não é mesmo?

Os pesquisadores também descobriram uma combinação de espessura, peso, tingimento, acabamento e tipo de tecidos naturais que garante boa proteção contra a radiação ultravioleta.

Com financiamento de US$ 15 mil da EPA – Agência de Proteção ao Meio Ambiente, o grupo já desenvolveu protótipos de três jaquetas, um colete e dois capacetes – um para ski, que também é equipado com Bluetooth, e outro que poderá ser usado por militares.

Os modelos foram expostos na feira National Sustainable Design, em Washington, realizada nesta semana. O que acharia de um tipo desses no seu guarda-roupa? Gostaria que suas roupas de ginástica tivessem mais funcionalidades?

*Department of Design and Merchandising

Leia também:
Para carregar celulares, brasileiro cria máscara que converte respiração em energia
Camiseta transforma som em energia
Tênis transforma energia dos passos em eletricidade suficiente para carregar um celular
Catalytic Clothing: um vestido que purifica o ar
Vestido feito de bitucas de cigarro

Foto: Divulgação/ Universidade de Colorado

ver este postcomente

Insetos mortos ganham funeral nos EUA Débora Spitzcovsky - 23/04/2012 às 16:20

Pare e pense: quantas baratas, abelhas, formigas e pernilongos, entre tantos outros insetos, você já matou – propositalmente ou não – durante sua vida? Com a intenção de chamar a atenção para o “inseticídio” no mundo, a agência de criação Carmichael Collection*, de Minneapolis, nos EUA, decidiu prestar uma homenagem aos animais mortos. Como? Promovendo funerais nas ruas da cidade.

As homenagens, feitas em tamanho micro, contam com fotos do inseto, flores, velas e ursinhos, que são colocados nas calçadas para tentar chamar a atenção das pessoas que por ali passam. O funeral de uma barata rendeu até vídeo (assista abaixo). 

Achou ridículo? Na verdade, o propósito da Carmichael Collection é muito maior do que, apenas, fazer uma homenagem póstuma às formigas que são pisoteadas nas ruas ou às borboletas que, acidentalmente, vão parar embaixo de alguma roda de carro. O que a agência de criação quer é provocar as pessoas a pensarem na falta de atenção que andamos tendo com a vida a nossa volta.

Na opinião dos criadores da iniciativa, se cada um de nós fizer um exercício diário para olhar além dos nossos umbigos, as cidades passarão a ser um lugar muito melhor para se viver. Você concorda?  

*Carmichael Collection

Foto: Carmichael Collection/Divulgação

Leia também:
Fotógrafo cria mundo fantástico com insetos
Brasil estuda incluir insetos na dieta do povo

ver este postcomente

Acompanhe terremotos, furacões e tempestades em tempo real Marina Franco - 20/04/2012 às 09:00


Você tem curiosidade de saber em que parte do planeta ocorreu o último abalo sísmico? Se tem, a resposta (até este post ser publicado) é: Mar das Molucas, na Indonésia, às 17:23 do dia 19/04, com magnitude de 5.3 graus, segundo o Instituto de Pesquisas Geológicas dos Estados Unidos. E quanto a grandes tempestades, gostaria de saber se há possibilidade de chuvas fortes ou ciclones na sua cidade?

Para quem se interessa pelos fenômenos naturais, uma boa dica é o aplicativo Painel Global*, que reúne diferentes informações do monitoramento da Terra em tempo real. Os dados são oficiais e chegam ao aplicativo assim que são reportadas por instituições científicas. O mapa, que está repleto de imagens de satélite, também aceita contribuições de internautas sobre novos eventos.

É possível acompanhar as atividades de vulcões e a ocorrência de eventos climáticos extremos como terremotos, furacões, tsunamis ou tempestades. O Painel Global também repassa informações de aeroportos sobre as temperaturas recordes no Brasil e no resto do mundo e monitora a Estação Espacial Internacionalos dados como latitude, longitude, altitude, distância até São Paulo e período de órbita estão à esquerda do mapa mundi e as linhas pontilhadas mostram o seu percurso.

No site do aplicativo ainda há um fórum onde trocam-se informações sobre os fenômenos naturais e um grupo de perfis do Twitter que postam sobre meteorologia e outros assuntos. Acesse e nos conte o que achou!

*Painel Global

Leia também:
Competição entre hackers incentiva criação de aplicativos para exploração espacial
Relatório do IPCC reforça aumento de eventos extremos
Estamos preparados para eventos extremos?

 

ver este postcomente

Blog da Redação

A redação do PLANETA SUSTENTÁVEL é um encontro de pessoas envolvidas com um grande desafio: trabalhar a sustentabilidade como um tema urgente, transversal e inspirador, tradutível em múltiplas linguagens e necessário para os diversos públicos. Aqui, a editora Mônica Nunes, as repórteres Marina Maciel Vanessa Daraya e a jornalista Suzana Camargo (que colabora com o Planeta desde 2009) indicam lugares imperdíveis da web e contam novidades e boas histórias sobre cultura, sociedade, meio ambiente, cidadania, mudanças climáticas, mobilidade, inovação, direitos humanos, economia verde e muito mais.

Mônica NunesEditora/Gerente de Conteúdo

Marina MacielRepórter

Suzana CamargoColaboradora

Vanessa DarayaRepórter

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Blog da Redação

Arquivos de posts