BLOGS |Blog da Redação

Muçulmanos devem plantar árvores para casar na Indonésia Débora Spitzcovsky - 29/02/2012 às 09:00

A mais nova lei ambiental da Indonésia muçulmana afeta os noivos do país: a partir de março deste ano, para ter autorização da Igreja para casar, os pombinhos deverão plantar duas mudas de árvore de alguma espécie nativa.

A medida foi anunciada pelo Escritório de Assuntos Religiososonde se registram os muçulmanos que vivem no país e querem casar oficialmente – e, por enquanto, valerá na cidade de Medan e em distritos da ilha de Sulawesi, onde a concentração de adeptos à religião é grande.

Quando for registrar a união no Escritório, o casal receberá as duas mudas, que devem ser plantadas na casa onde os pombinhos morarão. Após o plantio, a licença para o casamento é concedida e, então, os noivos estão autorizados a realizar a cerimônia.

A estimativa é de que a medida renda duas mil novas árvores, todos os meses, para as cidades participantes da iniciativa, ajudando o país – que, atualmente, está entre as dez nações que mais contribuem para o aquecimento global, segundo levantamento do BNDES – a controlar suas emissões de CO2. Você aprova a ideia?

Foto: Creative Commons

Leia também:
Plantio de mudas é penitência para pecados

ver este postcomente

Mission Zero: casa de 1901 é reformada para produzir a energia que consumir Marina Franco - 27/02/2012 às 11:58


Quando o casal Kelly e Matt Grocoff comprou sua casa em Ann Arbor, no estado norte-americano de Michigan, eles tinham um objetivo em mente: transformá-la em um lar autosustentável em energia. A casa, construída por volta de 1901, deveria produzir a quantidade de eletricidade que o casal consumisse – ou mais. Isso sem emissão de gases responsáveis pelo efeito estufa.

Depois de muita pesquisa e de quatro anos de trabalho duro, a casa apelidada de Mission Zero atingiu seu objetivo. Passou a produzir eletricidade a partir de placas fotovoltaicas, que captam a energia do Sol. De fevereiro de 2011 a fevereiro de 2012, produziu 892 kWh a mais do que foi consumido. Resultado: conta de luz zerada e ganho de créditos de energia renovável – sem falar, é claro, nos ganhos ao meio ambiente.

O legal desta história é que o casal postou vídeos no site que criou para a Mission Zero*, com dicas e ensinamentos sobre como fazer uma reforma e reduzir a demanda de energia da sua casa. São vídeos no estilo “faça você mesmo” sobre restauração do piso, das janelas ou reforma da cozinha. O lema do casal é: perder menos, usar menos e produzir.

Já pensou em produzir localmente a sua própria energia?

*Mission Zero

Leia também:
Em um ano, família produz uma sacola de lixo
Revolutionair: produção de energia eólica em casa

ver este postcomente

Espécie de camaleão é descoberta com ajuda do Google Earth Débora Spitzcovsky - 24/02/2012 às 09:00

O cientista inglês Julian Bayliss, da organização Mulanje Mountain Conservation Trust, acaba de identificar uma nova espécie de camaleão em Moçambique, na África, graças às imagens de satélite do Google Earth.

Isso porque, enquanto usava a ferramenta para explorar a floresta de Mount Mabu, no norte do país, Bayliss encontrou uma mancha bastante suspeita nas imagens do Google Earth e decidiu organizar uma expedição científica para analisá-la.

A aventura deu certo: após quatro dias de exploração na floresta – que tem sete mil hectares de cobertura vegetal –, Bayliss descobriu que a mancha que encontrou no Google Earth englobava uma nova espécie de camaleão, batizada de Nadzikambia baylissi, em homenagem ao cientista.

Agora, a preocupação dos especialistas é com a sobrevivência do animal, que mal foi descoberto e já pode estar ameaçado de extinção. Isso porque, por ser muito pequeno e frágil, o camaleão é altamente suscetível às mudanças climáticas e, também, à ação do homem, que atualmente explora a pequena área de floresta onde o animal vive, para caça e produção de madeira. Será que ele aguenta a pressão?   

Imagem: Divulgação/Mulanje Mountain Conservation Trust   

Leia também:
Camaleão de 30 milímetros deve ser o menor do mundo 
Perereca transparente corre risco de extinção

ver este postcomente

Blog da Redação

A redação do PLANETA SUSTENTÁVEL é um encontro de pessoas envolvidas com um grande desafio: trabalhar a sustentabilidade como um tema urgente, transversal e inspirador, tradutível em múltiplas linguagens e necessário para os diversos públicos. Aqui, a editora Mônica Nunes, as repórteres Marina Maciel Vanessa Daraya e a jornalista Suzana Camargo (que colabora com o Planeta desde 2009) indicam lugares imperdíveis da web e contam novidades e boas histórias sobre cultura, sociedade, meio ambiente, cidadania, mudanças climáticas, mobilidade, inovação, direitos humanos, economia verde e muito mais.

Mônica NunesEditora/Gerente de Conteúdo

Marina MacielRepórter

Suzana CamargoColaboradora

Vanessa DarayaRepórter

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Blog da Redação

Arquivos de posts