BLOGS |Blog da Redação

As mais curtidas do Facebook, de 24 a 30/01 Mônica Nunes - 31/01/2012 às 15:37

Com Marina Maciel

Veja as reportagens e os posts que mais despertaram interesse nos internautas no Facebook do Planeta Sustentável, na semana passada.

O destaque foi o Planeta no Parque 2012, realizado no aniversário da cidade de São Paulo, no Parque da Juventude. O álbum de fotos “bombou”! Também pudera, o evento reuniu 38 mil pessoas  que participaram das atividades propostas: teatro, yoga, ginástica, jogos interativos e caminhadas, além do show da banda Os Paralamas do Sucesso, que fechou o encontro.

Aproveite, também, para votar no Planeta Sustentável, que é finalista do Prêmio Greenbest na categoria Veículo de Comunicação pela segunda vez. Eu – editora e gerente de conteúdo – também estou concorrendo ao prêmio como melhor jornalista/blogueiro com foco em sustentabilidade.

Veja, agora, o ranking das notícias mais curtidas:

1) O dia em que a internet parou
163 curtiram
94 compartilharam

2) Holanda monta orfanato temporário para bebês focas afetados por tempestades
157 curtiram
46 compartilharam

3) Uma sacola reutilizável gigante, no Planeta no Parque 2012
135 curtiram
71 compartilharam

4) Planeta Sustentável é finalista do Greenbest 2012
89 curtiram
13 compartilharam

5) Esgoto doméstico pode ser usado como matéria-prima para produção de papel
87 curtiram
58 compartilharam

Participe do próximo ranking semanal (06/02) do Planeta Sustentável! Leia, curta, opine, comente e compartilhe as reportagens destacadas no Facebook.

ver este postcomente

Camiseta transforma som em energia Marina Franco - 30/01/2012 às 09:00


No último festival de Glastonbury, realizado no ano passado na Inglaterra, certamente os espectadores não ficaram na mão por falta de bateria no celular. É que o público testou uma invenção que é capaz de converter o barulho de som alto em eletricidade. A tecnologia para essa transformação já existia, mas o que a novidade tem de revolucionária é que ela foi feita na forma de camiseta!

A peça de roupa que aparece na foto acima foi desenvolvida pelas empresas britânicas Orange e GotWind. Nela foram costuradas duas camadas especiais, responsáveis pelo efeito:
- uma de filmes piezoelétricos, que funcionam como um grande microfone, absorvendo as ondas de som, e
- outra de cristais de quartzo entrelaçados, que, pela compressão das ondas de som, as converte em eletricidade suficiente para abastecer celulares.
A energia – que veio de uma fonte limpa – é então armazenada numa bateria acoplada à camiseta, chamada de Sound Charge.

De acordo com seus criadores, se a invenção absorve ruídos de 80 decibéis, o equivalente ao que é emitido em uma rua movimentada, é capaz de gerar 6 Watt-hora de energia em um final de semana. A quantidade carregaria dois aparelhos celulares. Agora imagine quantos aparelhos ela salvou em um grande festival de música, com potência de som bem mais alta do que a de uma rua.

Por enquanto, a Sound Charge ainda não foi produzida em série. Que tal se virar realidade por aqui também?

No vídeo abaixo, em inglês, seus inventores contam mais sobre seu funcionamento:

*Orange
*GotWind 

Leia também:
Barulho é usado para produzir energia
iBamboo: som alto sem energia elétrica

ver este postcomente

Esgoto doméstico pode ser usado como matéria-prima para produção de papel Débora Spitzcovsky - 27/01/2012 às 14:13

Utilizar as águas residuais, provenientes das zonas residenciais das cidades, para produzir papel e, de quebra, baratear o preço do processo de tratamento de esgoto – que sai do bolso dos consumidores. Essa é a proposta do médico israelense Rafi Aharom, de Tzur Yigal.

Segundo ele, 99,9% do esgoto doméstico que chega às unidades de tratamento é liquído, mas 0,1% é composto por materiais sólidos, riquíssimos em celuloseproveniente de alimentos e, até mesmo, papel higiênico –, que podem ser reaproveitados para produzir papel.

Para colocar o processo em prática, é preciso recolher esse material sólido – que, normalmente, já é filtrado nas unidades de tratamento de esgoto, mas não reciclado –, secar e purificá-lo e, em seguida, vendê-lo para as empresas produtoras de papel. De acordo com Aharom, a nova matéria-prima baratearia o preço do produto e, também, do processo de tratamento de esgoto – uma vez que as companhias não teriam que dar um fim ao material sólido presente nas águas residuais. Ou seja, o consumidor só tem a ganhar.

O processo já foi implantado e está sendo testado no sul de Israel, onde, de acordo com Aharom, o esgoto doméstico possui grande quantidade de celulose. Já pensou se o método chega ao Brasil? 

Imagem: Miguel Boyayan

Leia também:
PooPooPaper: papel feito com cocô de animais

ver este postcomente

Blog da Redação

A redação do PLANETA SUSTENTÁVEL é um encontro de pessoas envolvidas com um grande desafio: trabalhar a sustentabilidade como um tema urgente, transversal e inspirador, tradutível em múltiplas linguagens e necessário para os diversos públicos. Aqui, a editora Mônica Nunes, as repórteres Marina Maciel Vanessa Daraya e a jornalista Suzana Camargo (que colabora com o Planeta desde 2009) indicam lugares imperdíveis da web e contam novidades e boas histórias sobre cultura, sociedade, meio ambiente, cidadania, mudanças climáticas, mobilidade, inovação, direitos humanos, economia verde e muito mais.

Mônica NunesEditora/Gerente de Conteúdo

Marina MacielRepórter

Suzana CamargoColaboradora

Vanessa DarayaRepórter

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Blog da Redação

Arquivos de posts