BLOGS |Blog da Redação

Tênis transforma energia dos passos em eletricidade suficiente para carregar um celular Marina Franco - 19/12/2011 às 09:00


Pesquisadores da Universidade de Wisconsin criaram uma maneira de aproveitar a energia do movimento dos pés para abastecer pequenos aparelhos eletrônicos, como celulares. Isso pelas solas de um par de tênis!

Eles desenvolveram o protótipo InStep Nanopower*, que tem uma sola especial (veja na imagem acima) com duas bexigas de plástico – uma no calcanhar e outra na altura dos dedos – conectadas. Quando um passo é dado, o impacto carrega os eletrodos do metal líquido que está dentro dessas bexigas e, assim, cria uma corrente elétrica.

Quanto mais rápida a caminhada ou corrida, mais eletricidade é gerada e armazenada na bateria, que também está acoplada à sola. E como aproveitar essa eletricidade? O protótipo tem, ainda, um cabo micro-USB que pode abastecer eletrônicos pequenos, como um celular. Também seria possível transferir a carga para uma bateria de celular através de uma conexão Wi-Fi.

Seus criadores, Tom Krupenkin e J. Ashley Taylor, ainda buscam investidores para ajudar o produto chegar ao mercado.

*InStep Nanopower

(Imagem: Divulgação)

Leia também:
Tênis do bem
Plante um tênis e assista ao nascimento de uma árvore!

ver este postcomente

Abasteça o carro com casca de laranja Débora Spitzcovsky - 16/12/2011 às 09:00

Que tal usar as cascas da laranjada do café da manhã para abastecer seu carro com energia limpa? Essa é a ideia de pesquisadores da USP – em parceria com especialistas das universidades de Córdoba e York, na Espanha e Grã-Bretanha –, que estão testando um método de produção de biocombustível a partir da casca da laranja

Funciona assim: os restos da produção industrial de suco de laranja – só no Brasil, cerca de oito milhões de toneladas de casca da fruta são jogadas no lixo, todos os anos – são triturados e colocados em uma máquina, onde são expostos a altas potências de micro-ondas, capazes de ativar a celulose presente na casca. A substância, então, é isolada e utilizada na fabricação do biocombustível – usado, entre outros fins, para o abastecimento de veículos.

Se der certo, a tecnologia – que está em fase de testes, inclusive no Brasil – poderá incentivar a produção de energia limpa no mundo e, ainda, ajudar a resolver o crescente problema do lixo. Isso porque, de acordo com os pesquisadores, a máquina desenvolvida por eles é capaz de processar cerca de seis toneladas de resíduos por hora. E mais: a técnica funciona não só com cascas de laranja, mas com qualquer produto que contenha celulose – incluindo papel e cartolina.

Como se não bastasse, os cientistas ainda garantem que, no futuro, a tecnologia poderá ser aplicada em escala doméstica, por qualquer mortal que tenha dinheiro para comprar a “máquina mágica” desenvolvida por eles – atualmente, avaliada em R$ 2,7 milhões. Um investimento e tanto…

Imagem: Getty Images/Royalty Free 

Leia também:
Milena Boniolo despolui água com casca de banana 
Casca de coco pode ser usada para despoluir a água 
Casca de banana pode limpar a água

ver este postcomente

Cidades para Pessoas: projeto inspirador, em segunda fase. Quer participar? Marina Franco - 14/12/2011 às 17:25


Graças ao apoio de 285 micro patrocinadores, que juntos levantaram R$ 25.785 pelo site de financiamento coletivo Catarse*, a jornalista Natália Garcia pode percorrer o mundo e colocar em prática seu projeto Cidades para Pessoas, relatando boas iniciativas com o intuito de inspirar a melhoria das cidades brasileiras. Assim, de maio a dezembro deste ano, ela esteve em sete cidades – Copenhague, Amsterdam, Londres, Paris e Lyon, do roteiro original, além de Friburgo e Estrasburgo –, coletando informações sobre projetos urbanísticos que valorizam a presença das pessoas.

Agora, de volta a São Paulo, Natália trabalha no fechamento das reportagens que produz – todas elas serão licenciadas em Creative Commons, ou seja, sem restrições para reprodução ou utilização em obras derivadas –, e lança nova cota de patrocínio no Catarse. Seu objetivo é arrecadar R$ 30 mil, com doações a partir de R$ 20, para bancar a segunda etapa do projeto jornalístico, que tem três novos destinos – além dos já previstos desde a concepção do projeto: as cidades de Accra (Ghana), Thympu (Butão) e Rishikesh (Índia).

No final deste post, você vê o vídeo que a Natália produziu para contar um pouco do que viu até agora – com trechos de entrevistas bacanas que fez com especialistas – e também como será a segunda etapa do seu projeto.

Quer saber mais? Os bastidores da viagem e algumas das ideias apuradas pela jornalista estão no site do projeto e no blog de mesmo nome, que ela mantém no Planeta Sustentável. Há boas iniciativas em mobilidade urbana, mudanças climáticas, infraestrutura para bicicletas e agricultura urbana, uma prática que, como destaca Natália, melhora problemas como alagamentos e enchentes, além de formar um cinturão verde na cidade que pode ajudar a barrar seu crescimento desordenado.

O trabalho rendeu a participação da jornalista na 9ª Bienal de Arquitetura, onde foi exposto um cartaz com o mapa da cidade de São Paulo com a aplicação das 12 principais ideias levantadas pela jornalista – e que você pode ver no vídeo produzido pelo Portal Casa, da Editora Abril –, e também no TEDxJovemIbira, que em breve divulgará o vídeo no site da conferência.

Agora, veja o vídeo que está no site Catarse e participe desta nova jornada do Cidade para Pessoas:

*Catarse

Leia também:
Conheça a sua cidade pedalando com segurança

ver este postcomente

Blog da Redação

A redação do PLANETA SUSTENTÁVEL é um encontro de pessoas envolvidas com um grande desafio: trabalhar a sustentabilidade como um tema urgente, transversal e inspirador, tradutível em múltiplas linguagens e necessário para os diversos públicos. Aqui, a editora Mônica Nunes, as repórteres Marina Maciel Vanessa Daraya e a jornalista Suzana Camargo (que colabora com o Planeta desde 2009) indicam lugares imperdíveis da web e contam novidades e boas histórias sobre cultura, sociedade, meio ambiente, cidadania, mudanças climáticas, mobilidade, inovação, direitos humanos, economia verde e muito mais.

Mônica NunesEditora/Gerente de Conteúdo

Marina MacielRepórter

Suzana CamargoColaboradora

Vanessa DarayaRepórter

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Blog da Redação

Arquivos de posts