BLOGS |Blog da Redação

3 vídeos curtíssimos e certeiros pela despoluição do Rio Pinheiros Marina Maciel - 29/09/2014 às 19:06

3-videos-curtissimos-certeiros-despoluicao-rio-pinheiros_560

Pode ser difícil de acreditar, mas o Rio Pinheiros, em São Paulo, – a água lodosa e malcheirosa que é um dos maiores problemas ambientais da cidade – já serviu como espaço de lazer e de inúmeras competições de regatas. Despoluir o rio parece missão impossível, mas tem muita gente e instituições mobilizadas pela causa.

Entre elas, estão a Associação Águas Claras do Rio Pinheiros* – que trabalha pela recuperação ambiental do rio e de seus afluentes desde 2009 – e seus parceiros. Neste mês, a OSCIP lançou duas ações de impacto:
- a exposição Às Margens do Rio Pinheiros, iniciativa que tem apoio do Planeta Sustentável e da Editora Abril, realizada juntamente com o artista plástico Eduardo Srur (que já noticiamos aqui no Planeta Sustentável), e
- o lançamento de três vídeos curtos e “matadores” que abordam ações para despoluir as águas do rio e melhorar a qualidade de vida da população.

Estes três filmes – que abordam o desejo de ter o Rio Pinheiros e seus córregos mais limpos, a necessidade do rio receber mais água da Represa Billings e de se ter mais áreas permeáveis na cidade – estão sendo exibidos nas TVs da Elemídia desde meados de setembro e também serão utilizados em projeto de educação ambiental com crianças e jovens paulistanos.

Agora, você já pode assisti-los aqui, em nosso site, e fazer parte desta campanha. É só apertar play, abaixo, e espalhar estas ideias!

*Associação Águas Claras do Rio Pinheiros

Leia também:
Energia solar ilumina exposição Às Margens do Rio Pinheiros, em SP
Eduardo Srur ocupa margens e pontes do Rio Pinheiros contra poluição da água
Eduardo Srur instala primeira obra da exposição Às Margens do Rio Pinheiros
Stela Goldenstein e o trabalho pela recuperação do Rio Pinheiros
Eduardo Srur faz intervenção no Rio Pinheiros, em SP, e você pode participar dessa iniciativa
Abril faz parceria pela recuperação do Rio Pinheiros

ver este postcomente

Na Espanha, agência de turismo emprega apenas sem-teto como guias turísticos Débora Spitzcovsky - 29/09/2014 às 09:00

agencia-turismo-emprega-sem-teto-guias-turisticos-560

Quer conhecer uma Espanha que não é descrita em nenhum livro de história ou guia de bolso? Então você não pode deixar de fazer um city tour por Barcelona com a agência de turismo Hidden City Tours . Criada pela consultora de pesquisa de mercado Lisa Grace, a empresa chega para movimentar o competitivo setor de turismo da Espanha com um diferencial: emprega, apenas, moradores em situação de rua para atuar como guias turísticos.

A ideia é oferecer aos turistas um passeio que mostre, muito além de história, o lado humano de Barcelona e, ao mesmo tempo, reinserir os sem-teto no mercado de trabalho. Afinal, quem melhor do que moradores em situação de rua para contar o que se passa em cada cantinho da cidade?

agencia-turismo-emprega-sem-teto-guias-turisticos-560-2

Ainda no começo, por enquanto a equipe do Hidden City Tours é formada por quatro ex-sem-teto: José R., Jamón, Juan e José F. Eles foram selecionados por Lisa em um abrigo para moradores de rua e passaram por treinamento de cerca de 80 horas para se profissionalizar para a atividade.

Os city tours são feitos em grupos pequenos de turistas, o que significa que quanto mais pessoas procurarem o serviço, mais sem-teto poderão ser beneficiados pela iniciativa. Mercado é o que não falta: Barcelona é a quarta cidade mais visitada da Europa. Por ano, cerca de 8 milhões de turistas passam pelo local, enquanto o número de pessoas que dormem na rua, todos os dias, é estimado em até 6 mil. Lisa deu um bom jeito de unir o útil ao generoso, não?

Assista, abaixo, ao vídeo oficial da Hidden City Tours. Partiu Espanha para conhecer (e espalhar) a iniciativa?

Leia também:
Moradores em situação de rua cultivam horta comunitária em abrigo
Brechó pendura agasalhos em árvores para moradores de rua se protegerem do frio
Mendigo Urbano: sem-teto à venda na web
Bicicloteca: bike itinerante doa livros a moradores de rua
Hortas em parques públicos para sem-teto

ver este postcomente

Jovens criam skate de rede de pesca pelo fim da poluição dos oceanos Marina Maciel - 26/09/2014 às 11:32

jovens-criam-skates-rede-pesca-pelo-fim-poluição-oceanos

Preocupado em reduzir a poluição dos oceanos, um grupo de três amigos passou o último ano estudando formas de criar um acessório capaz de contribuir com a limpeza das águas. O resultado disso foi o skate sustentável “The Minnow”, produzido a partir da reciclagem de redes de pesca de plástico recolhidas no Pacífico.

A ideia surgiu quando os jovens norte-americanos Ben Kneppers, David Stover e Kevin Ahearn viajavam pelo Chile, onde funciona uma das maiores indústrias pesqueiras do mundo. Lá, graças ao financiamento da Universidade Northwestern, do governo chinelo e do financiamento coletivo pelo Kickstarter, criaram a empresa Bureo Skateboards*.

Junto à comunidade de pescadores, os empreendedores coletam lixo no mar, por meio da iniciativa Net Positiva. Trata-se de um programa criado por eles para envolver a população local no recolhimento de resíduos e na reciclagem.

jovens-criam-skates-rede-pesca-pelo-fim-poluição-oceanos2

Para produzir cada shape, são necessários cerca de 30 m² de redes de pesca. Depois de retirado da água, o material é triturado e transformado em placas em formato de peixe, com “escamas” para dar aderência. Além disso, as rodas do skate ecológico são feitas a partir de 30% de óleo vegetal e têm núcleos totalmente reciclados.

Curtiu? A produção inicial da marca é de duas mil peças, e cada unidade está sendo vendida por US$ 145, o equivalente a aproximadamente R$ 350.

*Bureo Skateboards

Leia também:
Surfistas podem combater mudanças climáticas “pegando” onda
Jovem holandês cria raia-robô para limpar lixo plástico dos oceanos
Inspiração no lixo
Skates quebrados viram prancha de surf

Fotos: Divulgação

ver este postcomente

Blog da Redação

A redação do PLANETA SUSTENTÁVEL é um encontro de pessoas envolvidas com um grande desafio: trabalhar a sustentabilidade como um tema urgente e transversal, tradutível em múltiplas linguagens, necessário para os diversos públicos. Aqui, a editora Mônica Nunes, as repórteres Débora Spitzcovsky e Marina Maciel e a jornalista Suzana Camargo (que colabora com o Planeta desde 2009) indicam lugares imperdíveis da web e contam novidades e boas histórias sobre cultura, sociedade, meio ambiente, cidadania, mudanças climáticas, mobilidade, inovação, direitos humanos, economia verde e muito mais.

Mônica NunesEditora/Gerente de Conteúdo

Débora SpitzcovskyRepórter

Marina MacielRepórter

Suzana CamargoColaboradora

Clique e faça o download

Revista do clima Material de etiqueta

Posts anteriores

Receba as noticías mais recentes

assine RSS Blog da Redação

Arquivos de posts