GALERIA

10 crianças engajadas com a sustentabilidade

Elas não perdem tempo: desde cedo, incentivadas pelos pais ou mesmo por iniciativa própria, crianças de todo o mundo decidem colocar a mão na massa e se mexer para mudar a realidade do planeta em que crescerão. Conheça a história de 10 pequenos engajados com a sustentabilidade

Débora Spitzcovsky
Planeta Sustentável - 20/02/2013

onebillionrising.org

1. MAYA SHEA PEEN

Os pais de Maya sempre incentivaram o interesse da filha por causas ambientais e sociais. E deu certo: aos 12 anos, a menina é fundadora e CEO da Maya’s Ideas. A pequena empresa comercializa acessórios de moda e roupas eco-friendly feitos com algodão orgânico e materiais vintage recicláveis. Quer mais? Maya tem uma organização sem fins lucrativos chamada Maya’s ideas 4 the Planet, que visa ajudar sua comunidade, difundir a conscientização ambiental e incentivar meninas a seguirem seus sonhos em áreas não tradicionais

Saiba mais em:
Antes dos 13, empreendedores já lucram com sustentabilidade

Divulgação

2. VANIS BUCKHOLZ

Assim como Maya, Vanis Buckholz teve apoio dos pais quando decidiu empreender. Aos 10 anos, ele é CEO da My ReCycler, uma empresa sediada nos EUA que recicla materiais como garrafas de vidro, latas e plásticos. Tudo começou quando, aos sete anos, o menino aprendeu sobre reciclagem na escola durante a comemoração do Dia da Terra. Há três anos, ele começou a coletar produtos recicláveis de vizinhos e amigos, mas ficou surpreso com o volume de materiais que são jogados fora inadequadamente e decidiu criar o negócio

Saiba mais em:
Menino de dez anos cria empresa de reciclagem

Arquivo pessoal

3. RACHEL BECKWITH

Em seu aniversário de nove anos, a menina surpreendeu ao pedir de presente doações para a ONG charity: water*, em vez de brinquedos. Rachel explicou que descobriu que milhões de pessoas não vivem até o quinto aniversário por falta de água limpa e pediu aos seus familiares e conhecidos que a ajudassem a juntar US$ 300 para lutar contra essa realidade. Infelizmente, Rachel morreu antes de completar os tão esperados nove anos, mas sua causa continua viva. A campanha da menina já arrecadou mais de US$ 1 milhão

Saiba mais em:
Menina de oito anos dá início a campanha de combate à falta de água

Arquivo pessoal

4. JOSHUA SMITH

Também aos nove anos, o norte-americano Joshua Smith conseguiu recuperar os dois parques urbanos do bairro onde mora. Como ele conseguiu tal feito? Vendendo limonadas! A ideia surgiu quando a mãe de Joshua proibiu o menino de brincar nos parques próximos a sua casa, por conta da situação precária dos locais. Em vez de se render ao videogame, o garoto decidiu montar, na porta de casa, uma barraca para comercializar limonada orgânica e, assim, arrecadar dinheiro para recuperar os parques públicos

Saiba mais em:
Menino de nove anos vende limonada para recuperar parques públicos

Arquivo pessoal

5. ISADORA FABER

Cansada de questionar os problemas de seu colégio sem receber resposta, a brasileira de 13 anos ficou famosa por criar a página Diário de Classe, a verdade…, no Facebook, em que denuncia as condições precárias de sua escola pública. A atitude rendeu muitos problemas para Isadora, que recebeu até ameaças de morte, mas "botar a boca no trombone" surtiu efeito e melhorias foram feitas no colégio. A atitude foi inspirada no blog de uma menina escocesa que tirava fotos da merenda de sua escola e criticava a qualidade da comida

Saiba mais em:
Menina de 13 anos expõe problemas de sua escola no Facebook

Laríssa/Creative Commons

6. TA’KAIYA BLANEY

A menina de 11 anos que tem nome diferente - que, em português, significa Água Especial -, vive no Canadá, é descendente de indígenas e gravou uma música a respeito da importância da preservação das águas e dos animais marinhos, que estariam ameaçados com a construção de um oleoduto perto da aldeia onde mora. Mas o maior feito da menina foi outro: em junho de 2012, ela veio ao Brasil para a Rio+20 e protestou contra o documento produzido na Conferência, rasgando papeis que representavam o relatório

Saiba mais em:
Menina de 11 anos protesta contra documento final da Rio+20

Arquivo pessoal

7. BIANCA CARVALHO

Aos 16 anos, disposta a ajudar crianças carentes da comunidade onde morava, na Baixada Fluminense, Bianca Carvalho fundou a ONG Mundo Novo da Cultura dentro da sua casa e até pagou as contas da organização com a própria mesada que ganhava dos pais

Saiba mais em:
A menina que criou uma ONG para crianças

Divulgação/American Museum of Natural History

8. AIDAN DWYER

Com apenas 13 anos, o nova-iorquino desbancou os mais renomados cientistas que dedicam seus dias a pesquisas a respeito de métodos mais eficientes de captação de energia solar. Estudante da 7ª série, o menino construiu, sozinho, uma estrutura que capta 20% mais energia solar do que os atuais painéis fotovoltaicos. E o melhor: Aidan se inspirou na natureza. Seu projeto imita a estrutura de uma árvore - com galhos e folhas irregulares, que cumprem a função de coletar luz solar para realizar fotossíntese e, assim, produzir energia

Saiba mais em:
Menino de 13 anos revoluciona método de captação de energia solar

Divulgação

9. AVA ANDERSON

Em outubro de 2008, a norte-americana estava assistindo televisão com sua mãe, quando descobriu que a maioria dos produtos de beleza contém substâncias tóxicas que prejudicam a saúde de quem os usa e pode, até mesmo, causar câncer. Ava Anderson não pensou duas vezes: criou sua própria marca de produtos de beleza, a Ava Anderson Non Toxic, que possui dezenas de produtos feitos sem componentes tóxicos, como batons, blushes e cremes. A marca cresceu tanto que já possui centenas de consultoras vendendo os seus produtos nos EUA

Saiba mais em:
Garota cria linha de cosméticos não tóxicos

Sustainable_OS_2012/Creative Commons

10. SUMMER RAYNE

Na foto, ela já está crescidinha, mas o engajamento de Summer começou cedo, com 17 anos. Ela cursava ecologia na faculdade, já tinha uma carreira acadêmica de sucesso e era considerada uma das mulheres mais bonitas do campus. Só que Summer não estava satisfeita por achar que o que aprendia não deveria ficar restrito aos corredores da faculdade. Foi por isso que, ao ser descoberta por uma agência de modelos de NY, ela resolveu usar a nova carreira para alcançar os objetivos da antiga e, em seis meses, tornou-se a primeira "ecomodel" do mundo

Saiba mais em:
Garota vira modelo para salvar o planeta

|